Agradecimento pelo espaço ao site http://indicetj.com

 facebok

GRUPO INDICETJ EX-TJ

Participe também!

 

Servos de Deus que fizeram...

...BOM uso da bebida alcoólica

 

Jesus

LUCAS 7:33, 34

“ 33 Porque veio João Batista, que não comia pão nem bebia vinho (oinos), e dizeis: Tem demônio.

34 Veio o Filho do Homem, que come e bebe, e dizeis:

Eis aí um homem comilão e bebedor de vinho, amigo dos publicanos e dos pecadores. ”

Análise:

Eram os líderes religiosos que disseram que Jesus era "comilão e bebedor de vinho, amigo dos publicanos e dos pecadores."

Será que era mentira que Jesus comia e bebida com tais pessoas? Observe o que se diz em Marcos 2, versículos 15 e 16: 

 

"E aconteceu que, estando sentado à mesa em casa deste, também estavam sentados à mesa com Jesus e seus discípulos muitos publicanos e pecadores, porque eram muitos e o tinham seguido. "E os escribas e fariseus, vendo-o comer com os publicanos e pecadores, disseram aos seus discípulos: Por que come e bebe ele com os publicanos e pecadores?"

 

Assim, a afirmação de que Jesus "sentava-se à mesa" com "muitos publicanos e pecadores" é verdadeira. Jesus explicou a razão de comer e beber com eles: 

"E Jesus, tendo ouvido isso, disse-lhes: Os sãos não necessitam de médico, mas sim os que estão doentes; eu não vim chamar os justos, mas sim os pecadores." - versículo 17.

É verdade que o próprio Jesus disse que quem come e bebe com os ébrios é um mau servo (Mateus 24:48, 49). Porém, embora realmente comesse e bebesse com tais pessoas, Jesus não aprovava ou imitava as práticas delas uma vez que as chamou de "doentes... pecadores". Ele comia da mesma comida. Mas, não era glutão. Ele bebia da mesma bebida. Mas não a ponto de se tornar um ébrio. Jesus dava o exemplo no comer e no beber. Assim, o que era mentira difamatória era a afirmação de que Jesus era "comilão e beberrão" (Mateus 11:19) A verdade é: a associação de Jesus com tais - e o consumo da comida e bebida - visava a saúde espiritual delas, atuando como "médico".

 

Mas, que tipo de vinho Jesus bebia?

Inicialmente, é valioso lembrar-se de que se disse a respeito de João: “não beberá vinho, nem bebida forte, e será cheio do Espírito Santo, já desde o ventre de sua mãe.” (Lucas 1:15) Pelo contexto bíblico geral, quando "vinho" e "bebida forte" são citados na mesma frase contextual, ambos são alcoólicos.

No registro de Lucas 7:33, 34, Jesus contrasta o que João Batista não comeu e não bebeu com o que ele próprio comeu e bebeu. Porém, qual teria sido o contraste entre Jesus beber e João não beber, se Jesus apenas tomasse suco de uva não-alcoólico? Também, acha inteligente afirmar que o vinho "dos publicanos e dos pecadores" era tão somente uvas espremidas, sem nenhum teor alcoólico?

Ter Jesus bebido vinho inebriante não nos deve escandalizar. Ele disse: "Bem-aventurado aquele que em mim não se escandalizar." (Lucas 7:23). Segundo o Vocabulário de Teologia Bíblia, 6ª Edição, página 1081, "o próprio Jesus não refugou [recusou] tomar vinho, com o risco de ser julgado mal (Mateus 11:19)". Naturalmente, Jesus fazia bom uso da bebida. Caso alguém opte pelo uso de tais bebidas, precisará demonstrar a "mente de Cristo" para, igualmente, não escandalizar outros. — 1 Coríntios 2:16.

Pense nisso:

Estava João Batista, por não “beber vinho, nem bebida forte”, com mais “Espírito Santo” que Jesus, que “bebia”? Deixou Jesus de estar “cheio do Espírito Santo” visto que bebia, diferente de João?

Ora, Lucas 4:1 atesta claramente que Jesus estava “cheio do Espírito Santo”. Portanto, para se estar “cheio do Espírito Santo” (Efésios 5:18) não se requer estar totalmente vazio de “vinho e bebida forte”. O caso de Timóteo também ilustra isso (1 Timóteo 5:23). Assim, o exemplo de Jesus indica que é possível o bom uso destas bebidas e, ao mesmo tempo, estar "cheio do Espírito Santo". 

Por outro lado, não é possível que alguém cheio de “vinho e bebida forte”, isto é, bêbado, esteja simultaneamente “cheio do Espírito Santo”. 

Dica: Observe a consideração de Efésios 5:18 no artigo "Mas, e os textos que 'condenam' as bebidas?".

 

Outros servos de Deus também fizeram bom uso da bebida. Por exemplo:

SULAMITA

CANTARES DE SALOMÃO 7:9

"E o teu paladar, como o bom vinho (yayin) para o meu amado, que se bebe suavemente e faz com que falem os lábios dos que dormem."

Notou que efeito teria "o bom vinho" imaginado pela sulamita para seu amado? Nenhum suco de uva não-fermentado faria com que “falassem os lábios dos que dormem"!

DANIEL

DANIEL 10:2, 3

" 2 Naqueles dias, eu, Daniel, estive triste por três semanas completas.

3 Manjar desejável não comi, nem carne nem vinho (yayin) entraram na minha boca, nem me ungi com ungüento, até que se cumpriram as três semanas."

Na Bíblia, vinho pode representar a alegria. Portanto, não seria coerente Daniel tomar vinho posto que estava "triste". Significa isso que Daniel ficaria triste pelo resto da vida e, consequentemente, nunca beberia vinho? O próprio contexto indica que tal abstinência durou "até que se cumprissem as três semanas". Depois disso, estava liberado para tomá-lo.

ISAQUE

GÊNESIS 27:25

“... (Jacó) trouxe-lhe também vinho (yayin), e (Isaque) bebeu”

FILHOS DE JÓ

JÓ 1:13

“E sucedeu um dia, em que seus filhos e suas filhas comiam e bebiam vinho (yayin) na casa de seu irmão primogênito”

SALOMÃO

Veja: "Vinho alegra a Deus e aos homens"

 

 

... MAU uso da bebida alcoólica

 

Noé

GÊNESIS 9:20, 21

“ 20 E começou Noé a ser lavrador da terra e plantou uma vinha.

21 e bebeu do vinho (yayin) e embebedou-se; e descobriu-se no meio de sua tenda.”

 

Análise:

Esta é a primeira menção de vinho (yayin) nas Escrituras. Este registro não testemunha que Noé foi o descobridor do vinho ou o primeiro a fazer uso dele. Tampouco prova que Noé desconhecia os efeitos do abuso da bebida. É simplesmente o primeiro registro bíblico de um servo de Deus consumir vinho ao ponto de embebedar-se.

Em Lucas 17:27 Jesus fala sobre as vítimas do Dilúvio nos dias de Noé: "comiam, bebiam, cassavam-se e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, e veio o dilúvio e consumiu a todos." Diante disso, é razoável crer que Noé observasse o efeito do excesso do vinho na conduta repreensível de tais pessoas.

 

Bebeu Noé apenas suco de uva não fermentado? 

O que indica Gênesis 9:24 ao dizer que "Noé despertou do seu vinho"? Indica que a bebida era fermentada. Afinal, exagerar no suco de uva nunca resulta em embriaguez — mas poderá acarretar numa baita dor de barriga!

 

Por que Noé "embebedou-se"?

A Bíblia não revela. Porém, não parece que Noé, chamado de "homem justo e perfeito em suas gerações" (Gênesis 6:9), "embebedou-se" por livre e espontânea vontade. O que poderia ter acontecido? Fato é que o Dilúvio ocasionou a queda das águas que "estavam por cima do firmamento" (Gênesis 1:7). É bem possível que a maior incidência do sol sobre a vinha influenciasse o poder natural de fermentação das uvas, aumentando seu teor alcoólico. Dessa forma, a quantidade usual de vinho que antes não embebedava agora tornou-se inebriante e imprópria. Sendo este o caso, é natural que Noé não tenha compreendido isso imediatamente, daí, "embebedou-se".

 

TEMPO PARA FERMENTAÇÃO

Em Gênesis 9:20, é dito simplesmente que Noé “plantou uma vinha e bebeu do vinho”. Note que a proximidade da expressão “plantou uma vinha” e “bebeu do vinho” não indicou que tal "vinho" fosse necessariamente puro suco de uva não fermentado. O vinho que Noé tomou era embriagante.

Naturalmente, levaria algum tempo para que a vinha crescesse e produzisse. E mais outro tempo para a preparação do vinho inebriante. Normalmente, anos.

 

Encontramos fraseologia similar:

AMÓS 9:14

“... e plantarão VINHAS, e beberão o seu vinho (yayin), e farão pomares, e lhes comerão o fruto.”

Sob inspiração divina, o Amós profetiza acerca de uma terra transformada e gloriosa onde haveria vinho. Seria este vinho inebriante ou seria apenas suco de uvas, antes da fermentação? Se dependermos da fraseologia bíblia, seria alcoólico - do mesmo tipo que Noé usou. Assim como Noé "plantou uma vinha, e bebeu do vinho", o povo poderia fazer o mesmo, mas, sem embebedar-se, naturalmente.

 

DEUTERONÔMIO 28:39

"Plantarás VINHAS e cultivarás; porém não beberás vinho (yayin), nem colherás as uvas, porque o bicho as colherá."

 

SOFONIAS 1:13

"... e plantarão VINHAS, mas não lhes beberão o vinho (yayin)."

 

Se dependermos somente da fraseologia bíblica usada em relação a Noé tomar vinho da vinha que plantou, os textos acima estariam igualmente referindo-se ao mesmo tipo de vinho com capacidade embriagante.

É interessante que a Lei mosaica permitia que os pobres comessem uvas até saciar-se. Está escrito em Deuteronômio 23:24: “Quando entrares na vinha do teu próximo, comerás uvas conforme o teu desejo até te FARTARES, porém não as porás no teu vaso.”

 

 

 

GÊNESIS 19:31-35

"  31 Então a primogênita disse à menor: Nosso pai é já velho, e não há varão na terra que entre a nós, segundo o costume de toda a terra;    32 vem, demos a nosso pai vinho (yayin) a beber, e deitemo-nos com ele, para que conservemos a descendência de nosso pai.    33 Deram, pois, a seu pai vinho (yayin) a beber naquela noite; e, entrando a primogênita, deitou-se com seu pai; e não percebeu ele quando ela se deitou, nem quando se levantou.    34 No dia seguinte disse a primogênita à menor: Eis que eu ontem à noite me deitei com meu pai; demos-lhe vinho (yayin) a beber também esta noite; e então, entrando tu, deita-te com ele, para que conservemos a descendência de nosso pai.    35 Tornaram, pois, a dar a seu pai vinho (yayin) a beber também naquela noite; e, levantando-se a menor, deitou-se com ele; e não percebeu ele quando ela se deitou, nem quando se levantou." – Almeida Revisada.

Análise:

Em sã consciência, Ló não tomaria propositadamente sequer um gole de vinho fermentado caso este fosse desaprovado por Deus, tomaria? Em nenhuma parte há o menor indicativo de que tenha bebido em resultado de alguma fraqueza ou predisposição para a bebedice. Assim, ter Ló aceito o vinho inebriante sugere que este era permitido — com temperança. 

Infelizmente, induzido por suas filhas, Ló fez mau uso do vinho por extrapolar no consumo dele. Não foi sábio. E suas filhas usaram a bebida erroneamente, para fins escusos. (Isto lembra as palavras de Habacuque 2:15: "Ai daquele que dá de beber ao seu companheiro! Tu, que lhe chegas o teu odre e o embebedas, para ver a sua nudez")

Tivesse Ló limitado-se a beber apenas um pouco do vinho, inexistiram tais problemas!

 

Por que Ló repetiu a bebedeira "no dia seguinte" (versículo 34)?

A Bíblia não especifica. Contudo, se houvesse um momento de lucidez após a primeira bebedice, creio que Ló não chegaria tão cedo perto de alguma bebida inebriante! Se for assim, talvez ele não tenha necessariamente repetido a bebedeira. O mais provável é que suas filhas deliberadamente cuidassem para que ele permanecesse num estado ébrio, não sóbrio, para concluírem seu objetivo (Note Gênesis 19:31, 32). Assim, sem suas faculdades mentais controladas, não seria difícil continuar a beber "no dia seguinte". — Gênesis 19:34.

 

CLIQUE - ÍNDICE ESTUDO SOBRE BEBIDAS ALCOÓLICAS

Gostaria de conhecer seu comentário sobre os estudos das bebidas alcoólicas.

Escreva para indicetj@yahoo.com.br

 

 facebok

GRUPO INDICETJ EX-TJ

Participe também!