Agradecimentos ao site http://indicetj.com pelo espaço.

Os nazireus e a bebida inebriante

 

NÚMEROS 6:1-4

"E falou o SENHOR a Moisés, dizendo:  2 Fala aos filhos de Israel e dize-lhes: Quando um homem ou mulher se tiver separado, fazendo voto de nazireu, para se separar para o SENHOR, 3 de vinho (yayin) e bebida forte (shekar) se apartará; vinagre de vinho (yayin) ou vinagre de bebida forte (shekar) não beberá; nem beberá alguma beberagem de uvas; nem uvas frescas nem secas comerá. 4 Todos os dias do seu nazireado, não comerá de coisa alguma que se faz da vinha, desde os caroços até às cascas."

Análise:

Quem estava proibido de consumir "vinho e bebida forte"? Será que era todo o povo? Não! Tratava-se de um dos requisitos para aquele que "fez voto de nazireu", não para todos os israelitas. Enquanto durasse o voto, os nazireus não poderiam consumir nada que fosse oriundo da videira, tanto o fermentado como o não fermentado, tanto o sólido como o líquido. 

Certa vez, os nazireus pecaram tomando vinho quando cederam à pressão imposta por israelitas rebeldes. — Amós 2:12.

Mas, será que poderiam beber quando “se cumprissem os dias do seu nazireado”? (Números 6:13)? Sim! Falando sobre esta ocasião, o versículo 20 diz: "o nazireu pode beber vinho (yayin)". Portanto, a bebida embriagante era autorizada até mesmo para quem tinha concluído o voto de nazireu! Veja bem: Deus autorizou a bebida que antes era proibida! Não há registro de que a lei tenha sido reformulada para que o nazireu evitasse permanentemente bebida alcoólica. 

 

Objeção comum:

Diante da forte evidência acima, alguns tentarão justificar o consumo posterior de yayin fermentado por parte dos nazireus dizendo: "Ah... naquele tempo Deus ainda não tinha proibido especificamente o uso de vinho (yayin) fermentado e embriagante... Somente algum tempo depois Deus declarou expressamente que todo o seu povo devia abster-se destas bebidas."

Mas, falar é fácil... Eu quero ver é provar... De fato, não há nenhuma declaração assim na Bíblia inteira. Quando se indaga onde está a tal "declaração expressa" proibindo todo o povo de consumir yayin fermentado, a maioria não saberá responder. Alguns citarão rapidamente Provérbios 23:29-35. Porém, esse texto sabiamente censura a bebida apenas para os que têm um desejo compulsivo e descontrolado no beber. Não constitui uma lei divina para "todo o seu povo" como querem. (Dica: Para uma consideração detalhada de Provérbios 23:29-35, veja no "índice de estudos sobre bebidas alcoólicas", na primeira página do site, o artigo "Mas, e os textos que 'condenam' a bebida?")

É a dedicação completa do nazireu um exemplo daquilo que todo cristão deve procurar ser?

Muitos dos que são contra o uso de bebida alcoólica concordariam com isso. Porém, esta ideia não tem respaldo nas Escrituras. Por que? Simplesmente porque Cristo não fez "voto de nazireu, para se separar para o SENHOR" (Números 6:2) e tampouco imitou o exemplo deles, nem mesmo para com as bebidas! 

Observe o contraste revelador feito pelo próprio Jesus:

"Porque veio João Batista, que não comia pão nem bebia vinho, e dizeis: Tem demônio. Veio o Filho do Homem, que come e bebe, e dizeis: Eis aí um homem comilão e bebedor de vinho, e amigo dos publicanos e dos pecadores." – Lucas 7:33, 34.

Talvez saiba que João Batista era nazireu. Porém, Jesus não. Sendo assim, pergunto: era Jesus menos consagrado que João Batista visto que bebeu vinho? Estaria Jesus não evidenciando o máximo padrão divino de santidade, de consagração, e de dedicação por consumir (Mateus 26:29) e ordenar (Mateus 26:27) o consumo “fruto da vide” para todos os cristãos na Santa Ceia?

Ora, o que os nazireus comiam ou não comiam, bebiam ou não bebiam, não é modelo para os crentes! Os nazireus também estavam impedidos de coisas tais como cortar o cabelo e tocar em algum cadáver (Números 6:5, 6). Mas os cristãos não estão proibidos disso. Nosso exemplo primário é Jesus Cristo, não os nazireus (1 Pedro 2:21). E Jesus BEBEU vinho. Não procurou seguir "a dedicação completa do nazireu". Logo, seguir as pisadas de Jesus Cristo não envolve abster-se de "vinho e bebida forte". 

Beber ou não beber é uma decisão pessoal

O vinho e a bebida forte, assim como o pão, não são alimentos indispensáveis ao consumo (Deuteronômio 29:6). "Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber”, escreveu o apóstolo Paulo sob a inspiração divina. — Colossenses 2:16.

 

JUÍZES 13:7, 14

" 7 Porém disse-me: Eis que tu conceberás e terás um filho; agora, pois, não bebas vinho (yayin) nem bebida forte (shekar) e não comas coisa imunda; porque o menino será nazireu de Deus, desde o ventre até o dia da sua morte...

14 De tudo quanto procede da vide não comerá, nem vinho (yayin), nem bebida forte (shekar) beberá, nem coisa imunda comerá; tudo quanto lhe tenho ordenado guardará."

Visto que Sansão seria nazireu desde a gestação, não se permitiu à mãe dele comer algo originário da vinha. Evidentemente, a ordem de não comer de "tudo quanto procede da vide" não estabelece que uvas são condenadas para todos os servos de Deus posto que Jesus e os discípulos fizeram uso delas. Da mesma forma, beber "vinho e bebida forte" não é contrário à lei divina para os cristãos.

 

Nazireus X Cristãos

1º GRUPO

PROIBIDO

aos nazireus:

"de tudo o que procede da vide não comerá" (Juízes 13:14).

2º GRUPO

OBRIGATÓRIO

aos cristãos:

"bebei deles todos... deste fruto da vide" (Mateus 26:27, 29).

Leitor, dos grupos acima, qual deles você imita?

 

CLIQUE - ÍNDICE ESTUDO SOBRE BEBIDAS ALCOÓLICAS

Gostaria de conhecer seu comentário sobre os estudos das bebidas alcoólicas.

Escreva para emverdade@yahoo.com.br