Agradecimentos ao site http://indicetj.com pelo espaço.

 

 

PROVÉRBIOS 23:20, 21

"20  Não estejas entre os beberrões de vinho (yayin), nem entre os comilões de carne.

21  Porque o beberrão e o comilão cairão em pobreza; e a sonolência faz trazer as vestes rotas.”

 

Análise:

É verdade que o beberrão desagrada a Deus. Todavia, o relato não vai ao extremo advertindo para não se estar nem mesmo entre os que responsavelmente bebem vinho, como se a ação de tomá-lo já fosse, por si mesma, imprópria.

O uso das palavras “beberrões” e ”beberrão” mostra que se fala aqui sobre indivíduos que abusam no beber (Queira notar Deuteronômio 21:18-21). Portanto, não é o beber, mas a intemperança no beber que se reprova.

Note como a Nova Versão Internacional traduz este mesmo versículo: “Não ande com os que se encharcam de vinho, nem com os que se empanturram de carne. Pois os bêbados e os glutões se empobrecerão, e a sonolência os vestirá de trapos.”

Assim como comer carne com equilíbrio é correto, assim também é o uso controlado de vinho inebriante.

Se a expressão “beberrões de vinho”, está a condenar o consumo moderado de vinho, então, a expressão “comilões de carne” está a condenar o consumo moderado de carne! Porém, evita todo e qualquer uso de carne aquele que alega que a Bíblia condena o uso de bebida alcoólica?

 

Abstinência do vinho?

Já encontrei alguns líderes religiosos que argumentam assim: "É melhor a abstinência de vinho ou de bebida forte para prevenir que alguém venha a se tornar um beberrão". Realmente, se a pessoa nunca beber álcool, nunca se tornará alcoólatra.

Se estes líderes querem realmente coerência, então, também, pela mesma linha de raciocínio, deveriam aconselhar que o melhor seria abster-se totalmente de CARNE para prevenir que o indivíduo se torne um futuro “comilão de carne”! De certo, se a pessoa jamais ingerir carne, nunca dará o primeiro passo para se tornar "comilão de carne". Mas, será que os que dizem ser melhor abster-se de bebida alcoólica igualmente repudiam totalmente a carne e, mais, incentivam outros a também ignorá-la?

O que nos importa mais saber é: Será que ir ao extremo por evitar totalmente a bebida inebriante ou a carne - com o argumento de "não dar o primeiro passo" - é o modo bíblico de pensar? Não. Esse não é o ponto de vista correto. Como podemos ter certeza disso? Ora, simplesmente porque Jesus e os apóstolos comeram carne! (Lucas 24:41-43 ; Atos 10:40, 41 ; Veja também Gênesis 9:3 ; Deuteronômio 12:15 ; Lucas 15:23, 29, 30). Além disso, é digno de nota que nenhum escritor bíblico desaconselhou a comida em geral — ou a carne — para não se ficar exposto ao pecado da glutonaria. Também não o fizeram para com a bebida inebriante. Consequentemente, quem raciocina diferente dos escritores inspirados deve "aprender a não ir além do que está escrito". - 1 Coríntios 4:6.

O que cada escritor bíblico realmente fez foi alertar sobre o consumo ABUSADO da bebida. É esse o verdadeiro raciocínio bíblico. O outro raciocínio é meramente humano.

A Bíblia não condena aquele que bebe com responsabilidade, nem aquele que evita a bebida. Beber ou não beber é decisão pessoal. Naturalmente, se o organismo da pessoa não tolerar a bebida alcoólica, seria prudente evitá-la totalmente. 

Para mais matéria sobre a moderação, consulte o artigo "Alimentos - Use-os moderadamente"

CLIQUE - ÍNDICE ESTUDO SOBRE BEBIDAS ALCOÓLICAS

Gostaria de conhecer seu comentário sobre os estudos das bebidas alcoólicas.

Escreva para indicetj@yahoo.com.br