Agradecimentos ao site http://indicetj.com pelo espaço.

 

ROMANOS 14:21

"Bom é não comer carne, nem beber vinho (oinos),

nem fazer outras coisas em que teu irmão tropece, ou se escandalize, ou se enfraqueça.”

 

Análise:

Alguns alegam que o vinho mencionado aqui não era inebriante. Será? Se não for, então, é tolice apresentá-lo como condenando a bebida alcoólica! Além disso, se Paulo fala aqui de vinho como puro suco de uva, sem nenhum teor alcoólico, então, por que estaria ele dizendo que seria "bom... não beber vinho" sem álcool? Acaso, ele próprio não recomendou vinho a Timóteo [na hipótese de vinho apenas como suco de uva]? Não ordenou Cristo que se tomasse do vinho na Ceia [na hipótese de vinho apenas como suco de uva]? (1 Timóteo 5:23; Mateus 26:27) De fato, como poderia a ingestão até mesmo de um pouco de suco de uva escandalizar ou fazer com que um irmão "tropece"? Será que quem tropeçou por ver outro tomar apenas suco de uva se nega também a tomar o vinho da Ceia? Todavia, o abuso de vinho alcoólico pode resultar em embriaguez e escandalizar a alguém. 

A interpretação correta destas palavras precisa combinar com o que Paulo diz em 1 Coríntios 8:13: “Se a comida serve de escândalo a meu irmão, nunca mais comerei carne, para que não venha a escandalizá-lo”. Paulo não declara ter abandonado completamente o uso de carne em todas as suas refeições. Repare o uso da condicional "se". Paulo "não comeria carne" apenas SE soubesse que isso resultasse em escândalo para determinado irmão ou irmã.

De modo similar, Paulo não ensina em Romanos 14:21 que em todas as situações da vida, sempre devemos evitar "comer carne" e "beber vinho". Desaconselha o comer e o beber apenas perante aquele que visse nisso uma razão para "tropeço", "escândalo" ou "enfraquecimento".

Adicionalmente, considere também a respeito daquele que faz certas restrições quanto a comida e a bebida - como é o caso daqueles que são contra o consumo de bebidas alcoólicas:

ROMANOS 14:1-3, 14, 17, 20

“Ora, quanto ao que está enfermo na fé, recebei-o, não em contendas sobre dúvidas.      2 Porque um crê que de tudo se pode comer, e outro, que é fraco, come legumes.      3 O que come não despreze o que não come; e o que não come não julgue o que come; porque Deus o recebeu por seu...      14 Eu sei e estou certo, no Senhor Jesus, que nenhuma coisa é de si mesma imunda, a não ser para aquele que a tem por imunda; para esse é imunda.      17 porque o Reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo.      20 ... É verdade que tudo é limpo, mas mal vai para o homem que come com escândalo." Almeida, Edição Revista e Corrigida.

Notou como é considerado aquele que não "crê que de tudo se pode comer" e beber? É diagnosticado como "enfermo na fé" e "fraco", segundo os versículos 1 e 2. Os fortes eram aqueles que comiam e bebiam algo considerado impróprio pelos doentes na fé. Com qual deles você se assemelha?

Os "fracos" precisam de cuidados por parte dos "fortes". Paulo incluiu-se entre os fortes quando disse: "nós que somos fortes devemos suportar as fraquezas dos fracos e não agradar a nós mesmos." Romanos 15:1. 

De que maneira Paulo e os outros fortes fariam isso? Não bebendo diante de tais indivíduos "enfermos na fé".

Naturalmente, isso também inclui evitar determinadas ações que venham a prejudicar a outros - mesmo que o outro seja "forte" no sentido espiritual. Por exemplo, alguns são sensíveis quanto a bebidas fortes. Outros não estão acostumados com elas ou não se dão com elas. Se você estivesse numa reunião social junto com alguém assim, tentaria pressioná-lo ou fazê-lo sentir-se sem jeito, para que o acompanhasse em tomar bebidas alcoólicas? Ou preferiria antes abster-se, para não causar problemas a ele? O raciocínio cauteloso de Paulo (versículo 21) é o recomendado para o cristão discernidor. 

 

1ª Objeção:

"Romanos 14:21 pode estar falando de suco de uva sim visto que um nazireu se ofenderia caso Paulo bebesse suco de uva - mesmo moderadamente - em sua presença." 

Comentário: Todo nazireu sabia que ele próprio poderia tomar vinho ao terminar o seu nazireado (Números 6:13, 20). Pela lei divina, à medida que os nazireus terminavam o seu voto, podiam beber vinho. Devemos imaginar que esta lei do SENHOR causava escândalo aos nazireus que ainda estavam por cumprir seu voto? É claro que não! Logo, é antibíblico a afirmação que um nazireu se escandalizaria vendo Paulo - um não nazireu - tomando suco de uva ou bebida inebriante posto que ele não estava sob as regras do nazireado.

Considere também: 

  • Será que João Batista, que era nazireu, se escandalizou por Cristo beber o que ele não bebia? Será que os nazireus tropeçaram quando Cristo instituiu a Ceia, ordenando que todos bebessem do "fruto da vide"? 

  • Sem o temor de escandalizar algum nazireu, em diversas ocasiões, Deus prometeu vinho para seu povo (Joel 3:18; Amós 9:13). Então, até mesmo um ex-nazireu poderia se beneficiar desta provisão divina!

Para outros detalhes, consulte no índice o artigo específico sobre os nazireus.

 

2ª Objeção:

"Tomar bebida alcoólica, mesmo moderadamente, poderá escandalizar a pelo menos uma pessoa. Por isso, nunca beberei, em nenhuma ocasião."

Comentário: Tudo bem, você tem o direito de nunca beber. Porém, se entendeu de Romanos 14 que todos os crentes nunca devem beber, então precisa meditar mais demoradamente no capítulo, em especial, nos versículos alistados abaixo:

" 3   O que come (no nosso caso, o que bebe) não despreze o que não come (no nosso caso, o que não bebe); e o que não come (no nosso caso, o que não bebe) não julgue o que come (no nosso caso, o que bebe); porque Deus o recebeu por seu."

" 5   Um faz diferença entre dia e dia, mas o outro julga iguais todos os dias. Cada um esteja inteiramente seguro em seu próprio ânimo." 

" 6   Aquele que faz caso do dia, para o Senhor o faz. O que come (no nosso caso, o que bebe) para o Senhor come (no nosso caso, bebe), porque dá graças a Deus; e o que não come (no nosso caso, não bebe) para o Senhor não come (não bebe) e dá graças a Deus."

Em nenhum dos versículos acima se diz que apenas um proceder é o correto. Permite-se que o crente coma (ou beba) determinados alimentos ou, se quiser, não coma (ou beba). Ambos são autorizados. 

O que é errado é "desprezar" ou "julgar" o seu irmão se ele optar por um proceder diferente do seu. Definitivamente, os versículos não dizem que o correto é apenas o não comer ou o não beber. Ambos, no seu proceder, dão "graças a Deus" e "Deus os recebe por seu".

 

 

São dois tipos de cristãos: "um" que bebe e "outro" que não bebe. Um é fraco outro é forte. O fraco precisa se fortalecer. O doente precisa ser curado. O cristão fraco - em vez de ficar toda vida fraco - deve dedicar-se à um estudo sistemático da Palavra de Deus afim de tornar-ser sadio em sentido espiritual. Uma vez "curado" ou forte, deverá ter o mesmo cuidado para os que ainda permanecem doentes na fé.

 

CLIQUE - ÍNDICE ESTUDO SOBRE BEBIDAS ALCOÓLICAS

Gostaria de conhecer seu comentário sobre os estudos das bebidas alcoólicas.

Escreva para emverdade@yahoo.com.br