facebok

GRUPO INDICETJ EX-TJ

Participe também!

 

 

FUI ENGANADO POR UMA FALSA ESPERANÇA

Artigo de Luiz Alberto Araújo Bezerra

 

 

 

Comecei a estudar com as Testemunhas de Jeová em 1979, o livro é o “A VERDADE QUE CONDUZ A VIDA ETERNA”. Já o primeiro capítulo diz: IMINENTES GRANDIOSAS BÊNÇÃOS DE DEUS?

 

Na página 6 têm a seguinte pergunta: Levará ainda muito tempo antes de Deus satisfazer o desejo humano de paz e felicidade?

A resposta é: Não! O Tempo já é iminente!

 

Outra pergunta é a seguinte: Que prova as condições cada vez piores do mundo?

A resposta é: Prova que vivemos nos “últimos dias” do atual sistema iníquo. (2 Timóteo 3:1-5)

 

Na página 94 diz o tema do estudo: OS ÚLTIMOS DIAS DÊSTE SISTEMA INÍQUO DE COISAS.

No pé da página têm a pergunta 1.: Quando começaram os “últimos dias” e com que evento terminarão?

A resposta é: Começou em 1914, quando Jesus Cristo foi entronizado como rei nos céus. Terminará quando Destruir este presente sistema iníquo de coisas.

 

A pergunta 2.: Que disse Jesus, em Mateus 24:34, sobre quando acabaria o “tempo do fim”?

Resposta: “Esta geração de modo algum passará até que todas estas coisas ocorram.” (Mateus 24:34)

 

A pergunta 3. (a): Segundo Jesus, que geração não passaria antes de vir o fim?

Resposta: A geração das pessoas vivas que viveram em 1914 e viram o que aconteceu então, e tinham idade suficiente para ainda se lembrarem destes eventos.

 

Pergunta (b): Portanto, como podemos saber se estamos muito próximos do fim deste sistema iníquo?

Resposta: Esta geração já está ficando bastante idosa. Um grande número dela já faleceu.

 

 

Qual é a duração de uma geração?

Resposta: É de 70 ou 80 anos. (Salmo 90:10)

 

 

O que acontecerá com alguns da geração de 1914?

Resposta: Alguns destes ainda estarão vivos para ver o fim deste sistema iníquo. Isto significa que resta apenas pouco tempo antes de vir o fim! (P. 95)

 

 

VEJAMOS O QUE JÁ FOI ENSINADO COM RELAÇÃO

 

À GERAÇÃO DE 1914

 

1969 - Os que tinham 15 anos em 1914, eram os que faziam parte da geração que não passaria – (Despertai! 22/4/1969,p.13,14)

 

1981 - Os que tinham 10 anos em 1914, eram os que faziam parte da geração que não passaria – (A Sentinela 115:4/1981, p.32)

 

1984 - Os Bebês que viviam em 1914, eram os que faziam parte da geração que não passaria  – (A Sentinela 15/11/1984, p.5)

Descobrindo que tinha sido enganado com uma falsa esperança, em 1993 decidi abandonar a organização das Testemunhas de Jeová. Depois que sai veio mais mudanças, confira:

 

1995 – A geração que não passaria seria a de pessoas contemporâneas dum certo período histórico, com as características identificadoras delas. – (A Sentinela 1/11/1995, p.17, par. 6)

“esta geração” parece referir-se aos povos da terra que vêem o sinal da presença de Cristo, mas que não se corrigem. – (Idem p.19, par.12)

 

2014 - Jesus estava se referindo a dois grupos de cristãos ungidos da geração que não passaria. O primeiro grupo é composto de irmãos que estavam vivos em 1914 e que discerniram prontamente o sinal da presença de Cristo naquele ano. Eles não pertenciam a esse grupo apenas por estarem vivos em 1914, mas por terem sido ungidos por espírito como filhos de Deus naquele ano ou antes. — Rom. 8:14-17.

O segundo grupo incluído em “esta geração” são ungidos contemporâneos dos membros do primeiro grupo. Eles não estavam simplesmente vivos no mesmo período que os membros do primeiro grupo, mas foram ungidos com espírito santo na época em que os do primeiro grupo ainda estavam na Terra. Assim, nem todo ungido hoje está incluído em “esta geração” mencionada por Jesus. Atualmente, os que formam o segundo grupo estão com idade avançada. Mas as palavras de Jesus em Mateus 24:34 nos dão confiança de que pelo menos alguns ‘desta geração de modo algum passarão’ antes de verem o início da grande tribulação. Isso deve aumentar nossa convicção de que falta pouco tempo para o Rei do Reino de Deus destruir os perversos e trazer um novo mundo de justiça. – (A Sentinela 15/1/2014, p. 31)

 

Como podemos ver, a mudança no entendimento com relação à geração foi muito grande. Será que a interpretação atual está certa? Só o tempo dirá?

 

Luiz Alberto Araújo Bezerra

 

 facebok

GRUPO INDICETJ EX-TJ

Participe também!