Material enviado por Rildo Arantes

 

 

 

 

 

 

1

Carta da ATCJ:

587 AEC - Provas arqueológicas não provam

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

2

O que diz a arqueologia?

 

 

 

 

 

Segundo os registros da Bíblia de Jerusalém e dicionário britânico de 1964, a dinastia Neo-babilônica iniciou em 625 à 539 A.C. Em contraste, a liderança das Testemunhas de Jeová ensina que o período correto é 645 à 539 A.C..

 

Dados da B.J. e História Secular

Nabopolassar 626-605 A.C.

Nabucodonosor 605-562 A.C.

Avil-Marduk 562-560 A.C.

Neriglisar 560 A.C.-556 A.C.

Labashimarduk 556 A.C.

Nabônides/Belshazar 556-539 A.C.

 

Dados da A.T.C.J.

645-625 A.C.

625-582 A.C.

581-580 A.C.

579-576 A.C

556 A.C.

556-539 A.C.

 

Segundo a tabela acima, notamos que o período adotado pelas TJs difere em 20 anos, além de alterar todas datas importantes do Antigo Testamento.

 

Dados da B.J. e História Secular

 

Dados da A.T.C.J.

Queda de Samaria em 722/721 A.C.

Queda de Nínive em 612 A.C.

Queda de Jerusalém em 587/586 A.C

 

740 A.C.

632 A.C.

607 A.C.

 

Inclusive está sendo organizado pelo Museu de Israel no Masp Tesouros da Terra Santa. Lá se encontram achados arqueológicos que documentam a queda de Jerusalém em 586 AEC. É só conferir, mais uma prova.

Como já é de conhecimento, Nabucodonossor começou sua campanha contra Jerusalém em 606/605 A.C., levando alguns judeus para Babilônia, inclusive datando a ida de Daniel em 617 A.C.

Se considerarmos a profecia de Jeremias registrada em seu livro no capítulo 25, versículo 11, (onde se indica que as nações serviriam ao rei durante 70 anos), como poderia Daniel ter estado 80 anos? E o registro em 29:10 deixa claro que retornariam ao completarem 70 anos.

A própria revista A Sentinela, de 01/09/07, dá liberdade de interpretação sobre quando Nabucodonosor foi governante, deixando claro que a arqueologia tem forte argumento, não só a História Secular, mas também comentaristas bíblicos que apóiam a Cronologia Bíblica sem desrespeitar o relato bíblico.

Se considerarmos que Nabucodonosor ascendeu ao trono em 624 A.C., vamos contrário a maioria das datas registradas em crônicas da Babilônia, da Assíria, do Egito e outros documentos.

É claro que apoiando 607 A.C. como queda definitiva de Jerusalém e somando-se 2.520 anos, chegamos a 1914. Matematicamente não se pode questionar. Mas sabemos o quanto a data de 1914 foi ajustada no decorrer das décadas até hoje... De fato, 1914 é um grande quebra-cabeça. Seriam gastos páginas de explicação para encaixar tantas mudanças que tiveram, não vale a pena, só se alguém se interessar.

 

Como é de conhecimento de todos, a ida de Russel para o Egito fortalece a doutrina de 1914 como data do fim. Note, no livro "As Sete Maravilhas do Mundo Antigo, página 52, um gráfico datando o Armagedom para 1914, que era aceito por muitos.

Vamos refletir um pouco: Várias datas foram abandonadas como erro profetizado pela liderança das TJs, e permanece a data de 1914?

Outra razão para avaliarmos o ano de 1914 é a nova edição do livro "Revelação - Seu Grandioso Clímax Está Próximo" ter excluído Mateus 25:31-33 e Lucas 21:24-26. Deixo para o leitor avaliar. Analise principalmente as páginas 19, 32, 69, 147, 259 e 281.

Pela primeira vez pude acreditar na ATCJ que deu crédito à carta que enviei em 2007, setor de redação, reconhecendo que não houve atualização na brochura "O Governo que Estabelecerá o Paraíso", edição de 2006. Deixo para o leitor avaliar.

Com todas essas evidências, ainda dá para continuar aceitando que 607 é a real data da queda de Jerusalém? Reflita, pesquise, ore e pense se é justo pregar que no ano de 1914 Jesus foi empossado como Rei para governar no meio das nações terrestres. Mateus 25:31-33, (segundo ensinam as TJs)

 

Os Ungidos - Para as TJs, apenas 144.000 são ungidos.

Sabemos que a doutrina dos ungidos, ou seja, dos 144.000, se fortaleceu em 1935, e que o número estava completo também em 1935. Mas nos últimos 20 anos ao invés de diminuir, veio aumentado - só nos últimos dois anos aumentou 581 ungidos!

Veio então novo ajuste em maio de 2007, deixando explicado em A Sentinela que não se poderia mais especificar uma data como número completo de ungidos. Torna-se um avanço espiritualmente.

A Sentinela de 01/01/07 também deixa margem para o leitor perceber que o entendimento dos 144.000 selados é somente no futuro.

Antes do ano de 1935, o próprio segundo presidente da Organização das TJs tinha registrado em seu livro "Criação" (de 1927, página 217) que todos que se associavam ao Corpo de Cristo se tornavam ungidos.

Quem está há mais de 20, 30, 40 anos na Organização sabe muito bem o que era a Geração de 1914 que jamais passaria até que viesse o Armagedom, ou seja, não passariam para a morte. Depois de todos esses anos veio um novo ajuste na Sentinela de 15/02/08: a geração é composta somente pelos Ungidos, ou seja, os 144.000 que fazem parte da Geração. Aliás, era um suposto "novo" ajuste que já estava sendo analisado desde 07/06/78 por um dos membros do Corpo Governante (Albert Schroeder), já falecido... Pergunto: Se trata de nova luz de Jeová um assunto que estava 30 anos para ser aprovado por outros do CG?

Não tenho dúvida que todas as TJs que reconhecem a Jesus e Javé e confessam pela fé se tornam filhos de Deus e se tornam ungidas espiritualmente. João 1:12; 2 Coríntios 1:21-22; 1 João 5:1; 3:1-2.