Mudanças Históricas

nas Testemunhas de Jeová

 

O Corpo Governante é o grupo de homens experientes que lidera as Testemunhas de Jeová, que é uma religião cristã muito conhecida mundialmente. A foto mostrada representa algo simplesmente surpreendente para a parte histórica da Organização.

Até o ano de 2007, o ensino oficial propagava a ideia de que a classe ungida (um grupo dentro das Testemunhas de Jeová que tem esperança de ir para o céu, pois a maioria espera viver eternamente aqui mesmo na terra) teve seus últimos membros escolhidos por Deus até o ano de 1935. Naquele ano, Joseph Franklin Rutherford, o segundo presidente mundial das Testemunhas, teve uma revelação em que esclarecia que a "grande multidão" de Apocalipse 7:9 são as "outras ovelhas" de João 10:16. Esse entendimento levou as Testemunhas de Jeová a não mais direcionarem a sua pregação especificamente para o ajuntamento de ungidos. Se concentrariam agora no ajuntamento das "outras ovelhas", que seria uma "grande multidão".

Até 2007 acreditava-se que qualquer Testemunha de Jeová que se tornara ungida após o ano de 1935 se dava pelo fato de estar substituindo um membro ungido que se tornou infiel mesmo sendo um dos membros veteranos. Algo interessante é que as Testemunhas de Jeová entendem que os membros que constituem o Corpo Governante devem ser todos ungidos, seguindo assim o modelo apostólico do primeiro século.

Ora, com o constante crescimento da "grande multidão" e inevitável declínio do número de ungidos entre as Testemunhas, a Organização entrou no século 21 com um dilema em vista: ou permitir que "estrangeiros" (não ungidos) assumissem o controle da Organização ou abrir as portas do céu para a entrada de novos membros ungidos por descontinuar o ensino sobre o fim da unção em 1935.

O Corpo Governante, sabendo, é claro, da grande instabilidade organizacional que causaria a entrada de membros das "outras ovelhas" no poder atemporal da Organização, decidiu empreender uma mudança lenta e gradual na doutrina de 1935. Ele começou dando as primeiras investidas nesse sentido em A Sentinela (revista oficial da Organização) de 1º de maio de 2007. Lá, o Corpo Governante admitiu que não tinha os meios de determinar uma data para o fim da chamada celestial (veja "Perguntas dos Leitores"). Para deixar baixar a poeira, o Corpo Governante deixou passar um tempo: 8 meses, para ser específico. Em janeiro de 2007, numa Sentinela de uso organizacional interno, ele finalmente declarou: "Evidentemente, Jeová tem se certificado de que sempre tenhamos ungidos entre nós durante os dias finais deste sistema mundial até a destruição de 'Babilônia, a Grande'. (Rev. 17:5)" (15 de janeiro, p. 23, § 16) Para as Testemunhas, "Babilônia, a Grande" são as demais religiões. Portanto, espera-se agora que tenhamos ungidos entre as Testemunhas de Jeová até o Armagedom, que será o Fim!

Essa foi, sem dúvida alguma, uma das mudanças históricas mais importantes para as Testemunhas de Jeová da atualidade. Essa mudança doutrinal e organizacional vai trazer progressos indizíveis para a religião. Por exemplo, com a morte dos membros mais conservadores do Corpo Governante, a saber, John Barr e Teodore Jaracz (Carey Barber já faleceu, veja A Sentinela de outubro de 2007, p. 31), os membros menos idosos introduzirão mudanças positivas significativas. É bem provável que os novos membros, tais como Antony Morris, David Splane e Stephen Lett, quando assumirem o controle futuro, diminuirão em muito as restrições e legalismos organizacionais excessivos que foram introduzidos durante a presidência de Frederick William Franz, quarto presidente mundial das Testemunhas, e que perduram até hoje. Só para citar um exemplo, o ostracismo imposto a membros dissidentes da Organização.

Uma outra provável melhora futura, com o progresso organizacional nas mãos dos novos membros do Corpo Governante, é a transformação das transfusões de sangue entre as Testemunhas de Jeová numa questão de consciência. O mensário Nosso Ministério do Reino de maio de 2007 abriu as portas da possibilidade nesse campo.

E, por último, talvez a Organização principal também melhore as suas relações com os vários grupos de Estudantes da Bíblia espalhados até hoje em todo o mundo. Um desses grupos me enviou um email informando que o fator mais distanciador entre ele e o grupo de Estudantes da Bíblia principal (Testemunhas de Jeová, a partir de 1931) são as questões organizacionais. Os Estudantes da Bíblia originais (fundados diretamente por Charles Taze Russell) parece que são mais liberais e menos institucionalizados. É grande o número de anciãos e servos ministeriais das Testemunhas de Jeová que estão se direcionando para os variados grupos de Estudantes da Bíblia existentes!

É claro que esses comentários são meras especulações. É também um assunto de bastante tempo para que tais comentários se concretizem. Provavelmente, a evidência mais visível de tais mudanças futuras será o provável aumento no número de ungidos que deverá ser relatado nas próximas celebrações da Refeição Noturna do Senhor, que são feitas anualmente pelas Testemunhas de Jeová.

O desejo sincero de cada um que está a par de toda a estrutura doutrinal e organizacional das Testemunhas Cristãs de Jeová não deve ser, obviamente, tecer críticas desarrazoadas a respeito de tais progressos exegéticos que ocorrem de tempos e tempos nessa religião. Nós devemos esperar mesmo é que a Organização simplesmente mude para melhor, a saber: para a promoção do amor incondicional e dos frutos inalienáveis da consciência e convivência humana!