QUAL É A RELIGIÃO VERDADEIRA? 

  ©Timothy Campbell

    Traduzido por Fábio Pacheco com permissão, de 
Translated by Fábio Pacheco with permission, from 
   www.beyondjw.com

.

.

    

.

PARA QUEM IREMOS?

Ex-Testemunhas, e Testemunhas com sérias dúvidas sobre a Sociedade, frequentemente fazem a seguinte pergunta: Se as Testemunhas não são a verdadeira religião, então, qual é? 

Algumas pessoas que se desconectaram da Sociedade se refreiam de fazer esta pergunta. Elas adotam a incômoda postura que as Testemunhas realmente são a Verdadeira Religião, mas devido a alguma falha inerente a si próprios, não podem participar. Estas pessoas sofrem de sentimentos de culpa e inadequação. Elas podem continuar se identificando como "testemunha inativa” ao invés de “ex-testemunha”,  mesmo se compareceu a apenas algumas reuniões no ano passado. Elas sempre estão à beira de partir. De certo modo, a situação difícil delas é semelhante à história do burro que se posicionou precisamente a meio caminho entre duas pilhas de feno: Ele não pôde decidir qual direção tomar, e passou fome. Muito similarmente, estas pessoas acabam ficando espiritualmente famintas, nunca capazes de escolher ou achar uma fonte viável de nutrição espiritual. 

Outras ex-testemunhas de fato rejeitam a Sociedade Torre de Vigia , mas acreditam que  agora têm que procurar a real e verdadeira Religião. Às vezes tais pessoas saltam a bordo da primeira religião que se assemelhar as Testemunhas, normalmente fundamentalista por natureza, e ficam "nascidos de  novo". Algumas ex-testemunhas procuram durante algum tempo, são frustradas, e desistem completamente de religião. Tais pessoas podem se tornar ateus ou agnósticos. 

Algumas ex-testemunhas podem procurar uma religião que não apresenta nenhuma semelhança com o que deixaram. Elas podem achar satisfação seguindo um modo não-ocidental de pensar, como Budismo, Daoismo ou Hinduísmo. Algumas outras podem abraçar religiões da chamada New Age, que são híbridos de Cristianismo, misticismo Oriental, e (em alguns casos) marketing astuto. 

ESCOLHAS FORTUITAMENTE PARCIAIS 

Ninguém escolhe uma religião completamente por acaso, mas efeitos fortuitos afetam nossa escolha. Por exemplo, se você vivesse próximo à  porta de uma igreja luterana, seria ligeiramente mais provável a se tornar um luterano que se juntar a uma igreja que lhe exigiu que dirigisse durante duas horas para chegar ás reuniões. 

Sua escolha pode ser influenciada por seus pais e antepassados. A influência deles ecoou na famosa canção, "Me dê a religião dos velhos tempos" que olha ao longe no passado e declara, "Se era bom o bastante para Moisés, é bom o bastante para mim." O que chegou primeiro certamente têm efeito no que chegou depois. Se seus pais fossem Testemunhas de Jeová, é improvável que você partisse em direção a outra religião. 

Sua escolha também pode ser baseada no que você ouviu, particularmente de pessoas que você respeita. Tais pessoas estão dando um "bom testemunho" para o sistema de convicções particulares que abraçam. 

Um das influências mais fortes pela escolha de religião é a cultura. É raro  pessoas nascidas e criadas em um país islâmico se tornarem cristãs de repente. Raramente tais pessoas são expostas à mensagem do Cristianismo. Também, em países onde o Islã é fundamentalista, um cristão em potencial teria que enfrentar o estigma social. Como para pessoas que crescem na China comunista, as chances de encontrar ideias Ocidentais sobre religião estão extremamente limitadas. 

Pessoas em países Ocidentais tendem a ter uma visão negativa do Islã, por razões políticas. Elas também não têm acesso as expressões de religiões Orientais que foram costuradas para se  ajustar ao ocidente. Por exemplo, para alguém que deseja aprender sobre Zen Budismo frequentemente é exigido adotar modos japoneses que não são realmente integrados a mensagem de Zen. Estas afetações japonesas podem fazer a filosofia inacessível. 

Nossa escolha de religião pode ser influenciada e também pode ser constrangida em muitas formas. 

TOLICE CONTRA BENEFÍCIOS 

Algumas pessoas mantêm que não há nenhuma verdadeira religião porque (eles dizem) religião é uma idéia fundamentalmente absurda. Esta é a posição tomada por alguns (Alguns não significa todos) evolucionistas. Um exemplo notório é Richard Dawkins (o autor do livro "O Gene Egoísta"). Ele parece ter um mecanismo microscópico para ver as coisas, e mantém que religião é o intelectualmente equivalente a um vírus. 

Como tal, uma religião somente seria outro processo que tenta sobreviver. Reduzindo a pergunta sobre religião a este nível, nos focalizamos somente nos benefícios de religião a um grupo de pessoas (e a própria religião), mas não diz nada sobre "verdade". Isto não é tão ruim quanto pode soar. 

Se nós aceitarmos a visão tomada por pessoas como Dawkins, somos compelidos a trocar a ênfase de "verdade" para "utilidade" (i.e. benefícios). Quer dizer, estamos assumindo que sobreviver, tem que prover benefícios a seus partidários para uma religião. Como tal, uma religião pode ser absurda (ou incompreensível) mas sua sobrevivência prova que não é inútil. 

Dado este ponto de vista, nós poderíamos julgar uma subjetividade em religião, enquanto perguntando, me "faz feliz?" ou objetivamente: "Satisfaz um grande número de pessoas?" 

O QUE É VERDADE? 

É possível  uma religião que é totalmente falsa prover benefícios atuais? Isso depende do que se quer dizer por "falsa". As doutrinas de uma religião podem não soar bem para seus críticos, mas seus rituais e ambiente social podem endereçar necessidades humanas básicas. As doutrinas específicas podem não resistir ao escrutínio, mas desde que elas reforcem o ambiente social, elas ganham uma medida de validez. Os crentes podem não se interessar por uma análise profunda de suas convicções básicas, porque eles podem ver claramente que "entregam os bens". Se nós discutirmos este ponto,  podemos nos achar na posição absurda de contar para alguém, "Você apenas imagina que é feliz!" 

Considerando que a religião provou que suas doutrinas podem fazer vibrar uma corda ressonante e  próspera em seus membros, pode ser considerada ao menos "relativamente verdadeira", ainda que não possa ser considerada "absolutamente verdadeira". Quer dizer, a maquinaria básica da religião produz resultados positivos, assim sendo, tem que refletir algo de bom em seus membros. 

O QUE É VERDADE SOBRE "A VERDADE?" 

Ex-testemunhas, posto que já foram um dia, podem ter a idéia que uma religião deva ser a verdade no sentido absoluto. De fato, leva um longo tempo para ex-testemunhas deixarem de se referir à sua antiga religião como "A Verdade". 

Ainda que a doutrina das "Novas Luzes" da Sociedade Torre de Vigia seja baseada na idéia de que sequer Ela é infalível. Apesar da falta de perfeição, a Sociedade proporcionou para muitas pessoas uma experiência religiosa satisfatória. Ela deve estar fazendo alguma coisa direito: milhões de pessoas estão perfeitamente contentes em serem:  As Testemunhas de Jeová. 

O que é a "verdade" sobre as Testemunhas? Em primeiro lugar, é verdade que as pessoas gostam de ter um senso de serem um dos poucos eleitos, ter um senso de certeza, e cavar profundamente em mistérios que confundem outros. Estar ou não as Testemunha participando da verdade no sentido absoluto, não altera o fato de que as Testemunhas ganham os benefícios mencionados, e muitos outros, apesar de tudo. 

UMA PROCURA DESESPERADA 

As ex-testemunhas tem que lidar com o choque de descobrir que a religião que eles pensaram que era a Verdade, é, na realidade, apenas outra religião com um jogo particular de benefícios e falhas. 

Algumas ex-testemunhas adquirem um desejo constrangedor de encontrar uma verdadeira religião, a que sabe tudo e revela tudo. Até mesmo depois que deixaram as Testemunhas (a qual uma vez pensaram ser perfeita), eles podem reter o sentimento que a religião ideal está lá fora...se tão somente pudéssemos encontrar... 

O DESAFIO DA MUDANÇA 

A maioria das religiões populares (especificamente, essas não centralizadas ao redor de uma única pessoa) são dirigidas por pessoas (normalmente os homens) que são corretos, com motivos que são basicamente bons e puros. Pode não ter sido o caso em tempos anteriores, mas com a separação da igreja e estado, sem os olhos de águia da mídia, uma religião desperdiça menos energia e corre menos risco. 

A dificuldade é, nenhuma pessoa (ou grupo de pessoas) pode saber tudo. Eles não podem compreender toda sutil nuance de toda possível doutrina. Por isto as religiões edificam conselhos, reuniões de um corpo administrativo, ou convocações de anciões. Devem ser examinados assuntos que uma dia foram edificados sobre a rocha,  mas que devem ser re-examinados de tempos em tempos, e às vezes, alterados. A Sociedade Torre de Vigia batiza este processo de  "Novas Luzes". Outras religiões podem chamar este processo com outro nome. Para citar uma declaração popular, eles buscam "Progresso, não Perfeição". 

Todas as religiões têm que progredir para manter passo com o mundo secular. Quer dizer, constantemente estão sujeitas ao escrutínio de suas interpretações pelo mundo moderno. Por exemplo, houve um tempo em que as pessoas pensavam que o raio era um sinal da desaprovação de Deus. Isto é bastante difícil de enquadrar, senão pelo fato facilmente observado que o raio prefere bater no objeto mais alto da área, que frequentemente é o campanário de uma igreja! (Bem, talvez uma devota Testemunha não ache que seja tão surpreendente...) 

Uma religião que tenta resistir à marcha da ciência ou correntes de pensamento liberal, tem que gastar energia cada vez maior para segurar a maré de ideias contrárias. Com isto em mente, até mesmo a sólida igreja católica admitiu recentemente, que a  evolução é mais que "apenas uma teoria". (Dificilmente um endosso, mas não obstante uma mudança significante.) 

ENTÃO QUEM É PERFEITO? 

Não há religião que nunca cometeu um erro, porque nenhuma religião é composta  por pessoas perfeitas. Assim o é, assim o foi. Isto é visto nas palavras dos profetas do Velho Testamento que frequentemente apontavam para as falhas dos Israelitas e (em alguns casos)  suas regras. 

Claro que, algumas religiões tentam resistir a ciência e até certo ponto tentem parecer "perfeita". Tais religiões têm que gastar enorme energia para tentar manter os membros em sincronia com a "compreensão" atual. Quanto mais energia uma religião tem que gastar nesta tarefa, quanto mais totalitária tem que se tornar. Em tal embalo, não são encorajadas perguntas difíceis e investigação aberta. O acesso às informações deve ser controlado, ou pelo menos minimizado. Ex-testemunhas sabem muito bem a respeito. Ainda que a Sociedade não faça uma "lista negra" de livros específicos e sites da Web, as Testemunhas implicitamente sabem que não devem ler nada crítico escrito por uma ex-testemunha. Tais escritas estão condenadas debaixo da bandeira geral de propaganda de apóstata. 

QUEM O POSSUI? 

Já estabelecemos que nenhuma religião é perfeita. Então,  como você escolhe qual seguir? Isso é uma pergunta justa? 

Não há nenhuma regra escrita no céu em cartazes flamejantes que dizem que você tem que escolher uma religião particular e condenar todas as outras. Talvez, se alguém lhe perguntar, a "Que religião pertence você?" você poderia responder, "Nenhuma. Mas por que você não me pergunta: o que é minha religião?" 

O que sua religião é não tem que ter um nome. Você pode decidir (para o melhor de sua habilidade) o que constitui sua religião. Por exemplo, você poderia acreditar que "Você deveria amar seu próximo como a si mesmo". Essa única declaração seria uma fundação sólida para sua religião pessoal, e bastante francamente, não seria uma regra fácil para seguir fielmente. 

UMA FATIA DA VERDADE 

Se você tivesse sido criado como um presbiteriano, você ainda poderia ser um. Você poderia achar que preenche suas necessidades, e você não está muito interessado nos pequenos detalhes. Te dá um gosto do divino, junto com uma participação social. Não há nada de errado com isso. 

Todavia, se você rejeitou as Testemunhas de Jeová, é provável que você sonde mais profundamente os assuntos. Você já sabe o que é gostar de acreditar em algo como "A Verdade", quando na realidade foi apenas uma pequena fatia da verdade, adornada com cronologias abstrusas e regras miríades. 

APLICANDO O QUE VOCÊ APRENDEU 

Você pode escolher uma igreja particular como seu "Lar base", preferivelmente uma sem uma lista de doutrinas absolutas que você não pode aceitar completamente. Mas desde que você aprendeu (a duras penas) simplesmente como facilmente nossa compreensão pode ser confundida e pode ser arruinada, você tem uma habilidade que poucas pessoas adquirem: você tem a habilidade para dizer, "Oh, realmente?" Você ousou fazer perguntas difíceis, e você ousou escutar para as respostas. 

Às vezes, entretanto, a resposta para uma pergunta difícil é o silêncio. É duro aceitar, e isto é, aonde todos, até mesmo os ateus, precisam de fé. Nós precisamos acreditar que o silêncio será rompido eventualmente. Talvez não em nossa vida, mas seguramente em algum momento. 

Como você as respostas procuram a suas perguntas, não se amedronte através do silêncio ocasional. É preferível ao barulho e flash com que muitas religiões preenchem as áreas desconhecidas. A verdadeira religião não é uma exibição de fogos de artifício. 

Nós ousamos não saber, para que um dia, verdadeiramente possamos saber. 

O PROCESSO RELIGIOSO 

Você é responsável para achar sua própria salvação, porém você define esse termo. Você pode se beneficiar da contribuição de homens sábios e (com esperança) rejeitar o discurso dos tolos. Mas no final das contas, você é quem escolhe. É sua responsabilidade, e somente sua, escolher o curso sábio da ação. 

A verdadeira religião não é uma única escolha. É uma série sem fim de escolhas - às vezes porque cometemos erros, e às vezes, porque entramos em território novo. Religião é em geral sobre propósito, mas a verdadeira religião também é sobre flexibilidade. Fazer parte da verdadeira religião é ser ensinável, e isso requer honestidade e humildade. 

A verdadeira religião espreita em todos lugares. Está ao redor, em todo canto. Onde quer que haja pessoas que estão procurando respostas, que estão dispostas a deixar noções apreciadas seriamente, se necessário, lá você achará a verdadeira religião. 

A Verdadeira religião reside em cada um de nós. O desafio é se libertar.