Escrevendo uma carta de dissociação

INTRODUÇÃO 

Se você está pronto à deixar as Testemunhas, você pode desejar fazê-lo "oficialmente", escrevendo uma "Carta de Dissociação". Este é um procedimento formal que já foi usado por incontáveis pessoas que já não querem mais serem identificados como Testemunhas de Jeová. 

OS PRÓS E OS CONTRAS 

Se você escreve uma carta ou não é decisão sua, mas você pode desejar considerar alguns dos vários argumentos prós e contras: 

A FAVOR 

Escrever a carta lhe dará um sentimento de liberação. Pode ser considerado um ritual de separação. Você pode colocar suas razões por estar partindo por escrito, o que ajudará a organizar suas idéias e também o ajudará a ficar firme se suas razões forem questionadas. Pesquisar a carta o permite confirmar sua decisão. Em anos posteriores, você poderá reler a carta e revisar as razões que o levaram a sair. A carta assegura que todos na congregação saberão que você saiu deliberadamente e apenas não desapareceu. 

CONTRAS 

Algumas pessoas encaram a carta como uma exigência da Sociedade, para o benefício da Sociedade. Eles não vêem nenhuma razão para escrever um pedaço de papel para sair de algo que estão fazendo voluntariamente. (Nota: A sentinela de 15 de setembro de 1981, página 23, também reconhece dissociação "como ação") Até onde eu sei, a Sociedade nunca respondeu quaisquer dos assuntos colocados em uma Carta de Dissociação. Só é requerido da congregação que envie os formulários S-77 e S79 para a Sociedade poder atualizar os arquivos dela. Se você remeter sua carta à congregação, é extremamente improvável que alguém a veja, com exceção de alguns anciãos cuja fé na Sociedade é suficientemente forte para se esquecerem dos assuntos que você escreveu. O teor de sua carta não será lido à congregação, mas eles serão informados que você "caiu fora" e deverá ser evitado. De acordo com o Manual dos Anciãos, os que se dissociaram devem ser encarados e tratados iguais aos "desassociados". Algumas pessoas podem desejar adiar este tipo de tratamento pelo maior tempo possível. 

À parte dos pontos citados acima, você pode provavelmente ter outros prós e contras. 

PROCEDIMENTO SUGERIDO

Se depois de pesar as alternativas, você decide que quer escrever uma Carta de Dissociação, aqui segue um exemplo dos passos que você poderá tomar... 

Leve um rascunho de anotações com você durante alguns dias. Sempre que você se lembrar de algo que o aborrecia, anote. Você poderá observar as referências depois. 

Durante este tempo, pode conseguir o endereço de uma Testemunha que particularmente goste. Diga-lhe que você está atualizando sua lista de amigos para incluir o endereço dela (sempre uma boa idéia). Enquanto fizer isto, você também pode conferir para ter certeza se sua lista tem os números de telefone certos. (A razão por fazer esta lista de endereços ficará evidente a seguir) 

Depois de uma semana, quando suas notas estiverem terminadas, você poderá desejar as comparar com alguns dos recursos disponíveis para ex-testemunhas (livros, sites, artigos, etc) e ver se você perdeu alguma coisa. Anote os assuntos que são importantes para você, junto com as referências pertinentes. É melhor não escrever abaixo o teor preciso. Esta é sua carta, e você se sentirá bem se for escrita exatamente em suas próprias palavras. 

Organize suas notas em ordem lógica. Aqui segue um esboço de amostra: 

DECLARAÇÃO FORMAL 

Uma história breve de sua entrada para a Organização e as impressões positivas que seguramente teve. 

Uma discussão dos "assuntos principais" que o forçaram a dissociar-se. Esta parte pode ser agrupada através de tópicos relacionados, como "Doutrinal", "Pessoal", "Social", "Organizacional" e assim por diante. 

Uma lista explícita de pedidos (por exemplo: "Não me liguem", não "tentem doutrinar minhas crianças"). Se você não tiver nenhum pedido específico, pode omitir esta parte. 

Conclusão. (por exemplo: deseje-lhes sucesso em sua busca espiritual, e assegure a eles que você se sente bem em ter tomado esta decisão para expandir sua procura pela verdade). 

Neste momento, você deveria testar sua carta. É uma boa idéia remover qualquer parte "torcida" (por exemplo, os chamando por nomes, sugerindo que eles são obra de Satanás, etc.). Você não tem que jogar baixo por qualquer dor pessoal que você sofreu, pois se você soar amargurado, será a "prova" para eles que não está seguro de sua decisão, ou que não foi feito racionalmente. Tenha isto em mente, assim, claridade é importante. 

Se possível, escolha uma parte neutra (um amigo, parente ou sócio) para ler sua carta e fazer sugestões. 

É altamente improvável que os anciãos deixarão a congregação ver sua carta, então um dia antes de enviá-la aos anciãos, faça cópias e as remeta a seus amigos Testemunhas. Inclua uma carta de apresentação dizendo que você queria que eles soubessem sobre uma decisão importante em sua vida. Você também deveria dizer que só certos amigos especiais estão recebendo uma cópia da carta, e que a lista de assuntos é estritamente privada. (Isto os assegurará que eles não serão chamados diante de um comitê por terem lido sua carta.) 

Submeta a carta aos anciãos. Se você se sentir motivado, você também poderá remeter uma cópia à Sociedade. Há razões para acreditar que estas cartas são mantidas em arquivo, embora quase certamente que não receberá uma resposta. 

Se os anciãos o contatarem novamente para o "ajudar", tenha certeza que eles focalizam os assuntos específicos de sua carta. Se eles o visitarem, é provável que tentarão renovar seu entusiasmo pela organização e suas promessas, em lugar de assuntos particulares. (Esta não é uma característica peculiar da Sociedade. Em casos como estes, a maioria das pessoas evitará assuntos difíceis e lidará com generalidades se não puderem refutar o especifico.) 

Os passos acima são apenas sugestões. Como autor deste artigo, me sinto compelido a mencionar que eu não escrevi uma Carta de Dissociação, mas que ajudei várias pessoas com as suas. 

Em meu caso, não senti que uma Carta de Dissociação fosse necessária, pois "me afastei" sem qualquer pessoa notar. Seu caso pode ser diferente. 

A distinção importante é que agora você está tomando suas decisões. A Sociedade só pode lhe dizer o que fazer se você conceder-lhes esse direito, e aparentemente você decidiu que pode viver sem a versão deles do que é a verdade.

 

©Timothy Campbell

Traduzido por Fábio Pacheco com permissão, de 
 Translated by Fábio Pacheco with permission, from 
   
www.beyondjw.com