<%@ Language=JavaScript %> Como a Sociedade foi Financiada (pré-1990)  - Testemunhas de Jeová Jehova

 
 
 

 

Como a Sociedade foi Financiada (pré-1990)

 Traduzido por Berlirner com permissão, de Translated by Berlirner with permission, from www.freeminds.org

por Randy Watters

 

Como o trabalho do reino é financiado? 

Alguns poderiam pensar que isto é feito pelo dinheiro obtido das Bíblias e literaturas Bíblicas produzidas pela Sociedade, mas não é assim. A pequena contribuição recebida das pessoas que levam as literaturas não cobre o custo operacional das atividades da Sociedade. ( A Sentinela - 01 de Maio de 1960 - pág. 265 ) 

A Sociedade Torre de Vigia sempre teve cuidado no teor de suas declarações, para passar uma ideia que eles não estão de fato capitalizando. A anterior declaração dá a impressão que as vendas de livros e literaturas não cobrem o custo deles de produzir isto. Porém, eles especificamente não disseram isto, mas usaram a frase, "operacional das atividades da Sociedade." Se eles fossem honestos, eles deveriam dizer, "A pequena contribuição recebida de pessoas que levam as literaturas cobre a maioria de nossas inteiras necessidades organizacionais, inclusive missionários, escritórios de filial, e assim por diante." A outra pequena porcentagem vem de "contribuições de livre vontade." 

Passar a impressão errada é a especialidade deles. Note a declaração semelhante na Sentinela de 01 de Maio de 1948 - pág. 140 (meus comentários estão acrescentados em negrito itálico): 

"Consequentemente, em sinceridade, as pessoas indagam frequentemente como um trabalho de tal magnitude é mantido, é óbvio que não há nenhum ganho monetário para os ministros de campo por publicar a mensagem e igualmente, nenhum ganho monetário para a Sociedade. (Por apenas falar com o dono da casa, não! Mas por vender os livros & revistas, sim!) Na verdade, um pouco de dinheiro é contribuído para a literatura impressa, mas as doações em dinheiro recebidas na ocasião que as publicações impressas da Sociedade são colocadas com as pessoas é aplicado para imprimir e distribuir mais auxilio no estudo da Bíblia; mas tais doações em dinheiro estão longe, muito longe, elas apenas cobrem a maior parte dos custos, suficientes para continuar o trabalho global da Sociedade. Doações em dinheiro, além dos donativos para a literatura, estão financiando nosso trabalho em todas as terras. Tudo isso é pela graça de Jeová Deus." 

Semelhantemente, a próxima declaração aparece em um suplemento do Nosso Ministério do Reino, um boletim dado a esses que estão ativamente comprometidos em vender a literatura da Sociedade:

De onde vem o dinheiro? 

"Esta é uma pergunta frequentemente formulada por pessoas deste mundo materialista. Não há segredo. Alguns dos custos de impressão e transporte são cobertos pelas contribuições recebidas para a literatura colocada no campo. Mas o dinheiro desta fonte nem de perto cobre as despesas da Sociedade nesta época inflacionária." - Nosso Ministério do Reino, Dezembro de 1980 - pág.3. 

O boletim prossegue no apelo que as contribuições fazem as prensas de Brooklyn girar.

Pessoas frequentemente perguntam como a Sociedade pode imprimir livros e revistas e obter lucro, visto parecerem mais baratos que outros livros no mercado. Uma compreensão básica de custos de impressão e o método da Sociedade provê a resposta. O seguinte é uma ilustração, para um analise atual revisada do custo deles por cada revista: 

Para Ilustrar: O custo mais caro em impressão normalmente é a mão de obra. A Sociedade resolveu esse problema tendo todo seu trabalho feito por voluntários, nenhum deles são pagos. Segundo, não há nenhum intermediário a ser pago. A Sociedade faz toda a propaganda, marketing e remessa. Terceiro, quanto mais cópias de um livro são impressos, quanto mais baixo é o seu custo. Enquanto uma impressão normal possa valer $5 calculando-se que irão ser impressos 5.000 cópias, esse mesmo livro pode custar apenas $2 se forem impressos 100.000 cópias. Isto é devido ao uso mais eficiente de trabalho e maquinaria, enquanto comprando papel em enormes quantidades, etc. 

Para ilustrar, olhemos para este exemplo de quanto poderia custar um livro típico no mercado secular: 

Custo no varejo: $12.95 

Custo no atacado para a livraria: $7.77 

Custo da Publicação: $3.50 

Custo de materiais no livro: $ 45 centavos 

Como se pode ver, a maior parte do custo do livro é absorvido na mão de obra e comercializando custos. Claro que, o mesmo é verdade em todas as formas de fabricação. O produto final pode custar com manufaturação apenas 5% do preço de varejo em artigos como cosméticos, certos fast food, artigos de loja, etc. O varejista, porém, só tem aproximadamente 30-40% de lucro.

COMO A TORRE DE VIGIA FAZ ISTO 

A Torre de Vigia criou um mercado imediato para suas publicações. Lançar um novo livro em uma Assembleia anual de Distrito traz vendas automáticas para pelo menos cinco milhões de livros. A uma taxa de lucro LÍQUIDO por volta de 50% por livro, pode-se obter o benefício imediato. (Tendo estado envolvido na avaliação dos custos dos livros e revistas deles enquanto trabalhando nos escritórios de impressão em Nova Iorque, eu estou atento sobre as despesas deles nesta área). Com uma circulação de revistas bem maior que onze milhões por semana com aproximadamente $16 centavos ganhos por revista, só a renda deles com revistas excederia $1.780.000 por semana. Perceba você, que o mercado deles é garantido, independente da qualidade das revistas. 

Contudo, esta circulação deve ser cuidadosamente mantida. Duas reuniões por semana (a Reunião de Serviço e a Escola Teocrática ) são agendadas nos Salões do Reino locais pelos escritórios de Filial para demonstrar os picos de vendas para os livros e revistas. Cada mês há uma oferta especial, e são ensaiadas apresentações de amostra nestas reuniões, como também nas reuniões matutinas para serviço de campo para cada Salão do Reino ou arranjo domiciliar no mundo inteiro. Em outras palavras, cada Testemunha é exposta a pelo menos duas horas ou mais por semana em uma atmosfera de reunião de vendas, para os preparar e os encorajar para a venda do maior numero possível de livros e revistas. Estas mesmas Testemunhas levam estes livros e revistas para o público lá fora, proclamando que elas representam a "organização de Deus" e são financiados estritamente através de contribuições, e procedem a mostrar as injustiças das igrejas no transcurso delas do prato de coleta! Tal hipocrisia segue desapercebido pela própria Testemunha, porque ela está ignorante dos métodos da Sociedade. 

O Resumo Anual da Filial britânica da Torre de Vigia ficou disponível recentemente para os anos de 1982-1985. Nós reproduzimos a declaração de 1985 neste artigo, e também fornece o balanço durante os outros anos em um quadro. Isto é útil, visto que a filial norte-americana da Torre de Vigia não distribuirá nenhum balanço financeiro. Estes documentos que permanecem escondidos das próprias testemunhas, ilustram a real fonte de renda da Torre de Vigia. As páginas 119-120 da publicação Organizados Para Efetuar Nosso Ministério, impresso em 1983, discursa em como eles são financiados. Não apenas neste livro, mas em muitos outros artigos que reivindicam dar o quadro financeiro da Torre de Vigia durante os últimos 15 anos, eles falham em não demonstrar a fonte primária deles de renda. Melhor, eles buscam passar a impressão que a renda deles provem estritamente de contribuições voluntárias, como algumas propriedades que são doadas. Nenhuma menção é feita da fonte PRINCIPAL de renda, que é a distribuição de livros e revistas. A Testemunha local, em troca, faz a declaração enganosa que as contribuições são para COBRIR o custo da literatura recebida, como se o preço que eles pagam é o que realmente custou para produzir o livro. Ele está desavisado dos fatos.

É ERRADO GERAR FUNDOS DESTA MANEIRA? 

Não é errado para uma organização religiosa ou corporação sem fins lucrativos receber renda pelo oferecimento de literaturas. Este ministério recebe 30% de sua renda aproximadamente de contribuições por literaturas (o resto vem de donativos de livre vontade). O que está ERRADO é buscar esconder a fonte PRINCIPAL de renda deles desses que apóiam a organização, enquanto deliberadamente e constantemente carregando uma impressão diferente para se reservar como "Dirigida por Deus", ao invés do modo como são financiadas outras organizações. As Testemunhas de Jeová apontam para a injustiça das igrejas que têm rifas e jogos de Bingo, enquanto dizimando e passando o prato de coleta para se apoiar, contudo estão completamente inconscientes ao fato que eles são aqueles que carregam a REAL decepção. Pelo menos as muitas outras organizações, enquanto incluindo muitos cultos, tornam conhecidos o fundo de ajuda de seus programas particulares. O Corpo Governante das Testemunhas de Jeová se mantém distante de todos esses, porque eles não têm nem mesmo indicado sua VERDADEIRA fonte de renda.

O RELATÓRIO ANUAL 

O relatório da Filial Britânica reproduzido neste Boletim informativo é dividido em recibos (entrada de numerário) e despesas (saída de numerário). Se nós ignorarmos as transferências entre o Brooklyn Branch e a Filial britânica (que sempre resultam em ganho para a filial de Brooklyn), nós podemos avaliar as porcentagens de renda que vem de doações e legados (testamentos, etc.) e comparar isso com a renda total deles da venda de livros e revistas, a fim de ver a realidade deles, cuidadosamente disfarçada no tocante a fonte de renda. 

Enquanto avaliações não estiverem disponíveis da filial principal nos Estados Unidos, é óbvio que as avaliações seriam semelhantes. Infelizmente, tal documentação não pode ser obtida no momento nos EUA. 

Quatro anos sucessivos estudando os relatórios do mesmo escritório de filial revelam um aumento fixo em livros e vendas de revista, e uma diminuição no percentual de contribuições de livre vontade. Esta informação é útil para mostrar para a Testemunha de Jeová e seus estudantes que a Torre de Vigia está escondendo deles informações que revelam a real fonte de renda. Ao invés de Deus que muda o coração das pessoas para contribuir com a Torre de Vigia, eles estão continuamente aumentando um império financeiro, e treinando vendedores para eles. Uma pessoa não é contada como uma verdadeira Testemunha de Jeová nos registros revisados anualmente pelo Servo de Circuito, se ela não dispõe de seu tempo para ir de porta em porta para vender livros e revistas. Assim sendo, para ser uma Testemunha de Jeová, você tem que ajudar o fundo da Torre de Vigia vendendo a literatura deles.

AMPLIANDO O IMPÉRIO 

A Torre de Vigia se retrata continuamente como sendo modelada de acordo com a Primitiva Igreja Cristã em assuntos de dar e financiar seu trabalho. Note esta declaração na Sentinela de 15 de Fevereiro de 1970. 

"Alguns podem discutir que custa mais dinheiro hoje para levar a cabo as funções de uma igreja, e se as contribuições voluntárias não cobrirem despesas, então alguns meios devem ser usados para elevar o dinheiro. Mas pense um momento. Os princípios da Bíblia não mudam, mudam? Se Deus enriqueceu os primeiros cristãos e moveu seus corações à generosidade, não irá Ele também fazer isso hoje entre os verdadeiros cristãos, e sem necessidade de pressão? (2 Cor. 9:8-14) mas há um corpo de cristãos hoje que seguem os princípios da Bíblia referente ao dinheiro, e que trabalham zelosamente para ajudar outros espiritualmente? " (p.101-102) 
A impressão que é passada é que todos os fundos da Torre de Vigia são provenientes de contribuições. Aparentemente, só 10% fazem isso.. 

Além das despesas regulares, a Torre de Vigia tem projetos especiais que são financiados através de outros meios, frequentemente na forma de empréstimos ou contribuições especiais. Em 1980 foram feitos esforços especiais para obter empréstimos e penhores nas congregações individuais, por meio de cartas lidas às congregações e enviadas pelos escritórios de filial. Não foram fornecidos detalhes disponíveis nas revistas da Torre de Vigia, porém. 

Vários projetos grandes estavam sendo realizados no final dos anos 70. O primeiro grande movimento foi a aquisição do Hotel Towers em Brooklyn Heights, Nova Iorque, para acomodar mais trabalhadores para a sede. Deste modo, mais 1000 trabalhadores poderiam viver e poderiam trabalhar lá. Desde que a comida deles é cultivada na Fazenda da Torre de Vigia a 90 milhas de Brooklyn, e os voluntários não são pagos com exceção de alguns dólares por mês, é relativamente barato trazer mais trabalhadores. 

Porém, muito maior foi a necessidade de ampliar a operação de impressão tanto em qualidade como quantidade. Quando eu vim para Betel em 1974, o equipamento de impressão estava muito antiquado. Uma das primeiras prensas que eu operei foi construída em 1926! Até mesmo as mais novas, eram máquinas de letterpress; um desenho antigo, ineficiente e incapaz de imprimir em bom papel ou em mais de duas cores de cada vez. Quando eu fui designado posteriormente como inspetor, eu também estive envolvido em métodos experimentais de imprimir, e viajei para lugares como o Escritório Central de Impressão do Governo em Washington D.C. ou W.R. o Grace Inc. para ver como as pessoas "mundanas" estavam imprimindo. 

Eu penso que a coisa mais surpreendente que eu aprendi foi que o Comitê de Fábrica e o Corpo Governante (como também Nathan Knorr) eram bastantes despretensiosos do significado de "eficiência". A atitude que eu presenciei continuamente de homens como Calvin Chyke e Richard Wheelock, do Comitê de Fábrica, era que esta é a organização de Deus, e nós não nos preocupamos em como o mundo está fazendo isto. Como resultado, muito dinheiro estava sendo perdido em total ineficiência. Era dito frequentemente para os operadores de prensa para girar as maquinas prematuramente e jogar fora o material impresso, só para impressionar vendedores de papel ou pessoas importantes em excursão. 

Isto pode ser ilustrado pelo que aconteceu em 1979. O Corpo Governante decidiu que eles desejavam atualizar a qualidade das revistas, enquanto usando papel melhor e fotografias melhores. O Comitê de Fábrica decidiu que em vez de renunciar as prensas velhas, antiquadas, eles as renovariam. Eles trouxeram fabricantes de prensa japoneses para calcular o custo para renovar 60 prensas, enquanto incluindo algumas a serem usadas em outras filiais. A estimativa foi de 60 milhões de dólares para converter estas prensas mais antigas para compensar a impressão! O Comitê de Fábrica quis prosseguir com isto. 

Isto deixou 04 de nós em pânico, pois éramos inspetores das prensas. Nós tínhamos feito o trabalho experimental durante aproximadamente dois anos, e sabíamos que isto seria uma atitude errada. Eles já tinham comprado uma prensa WoodHoe por $1.600.000 que se mostrou um limão que nem ao menos puderam vender. Eu sei, porque me pediram para tentar opera-la. Eu fiz, mas a qualidade era como impressão de selo de borracha! Esta prensa ficou lá durante vários anos, enquanto guias de excursão ostentaram de sua capacidade para imprimir 100.000 livros por dia. Nós finalmente imprimimos 200.000 livros, certo, mas muitos foram obstruídos e os outros foram vendidos pela metade do preço para Betelitas. Foram feitas tentativas de vender prensa para compradores na China, mas não deu certo.

De qualquer maneira, nós soubemos que o custo de renovar as 60 prensas velhas excedia bastante o que era necessário. Três de nós trabalhamos secretamente em um projeto de comparação de custos que propunha DESTRUIR todas as prensas velhas, e comprar a nova marca de prensa Harris (como aquelas que já estávamos usando para imprimir Meu Livro de Histórias Bíblicas). Por um custo de apenas $12 milhões, nós poderíamos comprar doze prensas que substituiriam todas as outras 60, rendendo muito mais qualidade! Nós trabalhamos falando com peritos de impressão "mundanos". O Inspetor das Prensas submeteu esta proposta ao Comitê de Fábrica, e secretamente submeteu uma cópia a um membro do Corpo Governante (que ainda está em Betel), eles decidiram rejeitar isto. Bem, eles realmente rejeitaram, enquanto rindo dos esforços presunçosos dos mais "jovens". Mas um par de membros do Corpo Governante não acharam que seria tão tolo economizar $48 milhões, e algum tempo depois, depois de não ter notícias do Comitê de Fábrica, perguntou por isto a eles. O Comitê de Fábrica submeteu então a proposta ao Corpo Governante, e assim eles levaram finalmente este plano a cabo. Nenhum obrigado foi dado a equipe das prensas! Porém, isso não foi nenhuma surpresa; e além do mais, nós estávamos ocupados em descobrir que novidade o Corpo Governante sabia sobre 1914 e o Tempo dos Gentios que não estavam contando para ninguém.

Embora este fosse o próximo-engano mais caro deles, haviam outros enganos desconhecidos até mesmo dos trabalhadores da sede. No final dos anos 70, esforços foram feitos para introduzir um novo sistema de computação de Foto Edição, muito mais complexo do que era atualmente usado lá fora. Foi alugado equipamento da IBM a um custo de cerca de $30.000 mensais, que ficou lá durante um ano, por causa de problemas com programas e pessoal. Porquê pessoal? Em Betel, um superintendente pode ser encarregado de um departamento que não sabe nada sobre o próprio departamento. Ele simplesmente é uma figura de autoridade. Se parece que outros com menos antiguidade que ele está tentando sugerir o que fazer, ele pode se ressentir com isto e causar problemas para esse individuo (normalmente um "menino novo" trazido de fora, que não usou à ordem escrita de Betel), o forçando frequentemente a deixar Betel em frustração. Muitos partiram frustrados por causa deste assunto de computação durante 1979-1980. Finalmente, eles trouxeram um TJ perito em computação, acomodando a família dele em um apartamento privado próximo a Betel, enviando as crianças dele para a escola e lhe pagando milhares de dólares de salário por mês, só para manter o sistema operando.

A Sentinela de 01 de Fevereiro de 1982 faz menção do projeto de Hotel Towers como também a expansão de impressão e o equipamento de computação. Claro que, nenhuma menção é feita dos detalhes anteriores, pois isso exporia a muitos. 

Para ajudar a cobrir o custo de comprar equipamento adicional, o custo das revistas Sentinela e Desperta foram de 10 centavos para 15 centavos por cópia a partir de 01 de Setembro de 1981. 

Atualmente, a Torre de Vigia tem usado outros hotéis em Brooklyn Heights que foram comprados por homens de negócios privados das TJ que concordaram em emprestar espaço fora do complexo de Betel, enquanto usando tal estabelecimento até que o próximo projeto deles fosse completado. 

Em 01 de Setembro de 1984, as revistas Sentinela e Despertai foram para 20 centavos por cópia. (O preço subiu para 25 centavos em Setembro de 1987.)

RESUMO 

A Sociedade Torre de Vigia contesta qualquer tipo de angariação de fundos e do pagamento de ministros. Mas ao mesmo tempo, eles [1] Carregam a mais extensa venda de literaturas no mundo, sem rival em qualquer organização, [2] eles solicitaram penhores repetidamente, na forma de " Boas Esperanças" arranjo de doação" ou "contribuição prospecta", 1 e [3] Tem regularmente dado um salário aos trabalhadores de Betel, aos superintendentes de circuito, distrito e missionários. 

Porquê as Testemunhas de Jeová comuns não vêem toda esta algaravia incoerente? Porque ela simplesmente não sabe dos fatos. Lhe foi dito que a Sociedade não ganha dinheiro por vender literatura, e que tudo vem através de doações. Se imaginando em uma posição superior, a TJ zomba de outras organizações religiosas devido as práticas financeiras delas. Além disso, ela é ignorante do que a Bíblia diz sobre apoiar o ministério Cristão, porque a Torre de Vigia distorceu isto muito bem. Ele é treinado para não questionar a Sociedade Torre de Vigia, enquanto temendo que ele poderia se tornar uma "apóstata", por tal duvida. Tais técnicas são reminiscências da Sociedade Socialista de Orwell (Ingsoc) tipificada em seu livro 1984. 

". . As especulações que poderiam induzir a uma atitude cética ou rebelde possivelmente são destruídas com antecedência pela disciplina interna adquirida. O estágio inicial e mais simples da disciplina, que pode ser ensinado até mesmo às jovens crianças, é chamado de Novilingua e Parecrime. Parecrime significa a faculdade de parar como se através de instinto, ao limiar de qualquer pensamento perigoso. Inclui o poder de não pensar em analogias ávidas, de não perceber erros lógicos, de interpretar erradamente os argumentos mais simples se eles são hostis ao Ingsoc, e de ser entediado ou repelido por qualquer tipo de pensamento que seja capaz de conduzir em uma direção herética." 1984 - págs. 174-175.

OS MINISTROS DEVEM SER PAGOS? 

É errado as igrejas pagarem seus ministros? O que diz a Bíblia? 

Para uma resposta, nós precisamos examinar a igreja apostólica. Olhando atrás, encontramos que os judeus Cristãos foram usados no arranjo do dizimo, ou dar um "décimo" a Deus. Jesus disse ao Fariseus: 

"Mas ai de vós, fariseus! porque dais o dízimo do hortelã, e da arruda, e de toda hortaliça, e desprezais a justiça e o amor de Deus. Ora, estas coisas importava fazer, sem deixar aquelas. ." (Lucas 11:42) 

Embora a Lei de Moisés e as leis do dízimo fossem cumprida com a morte de Cristo, e todos os cristãos estivessem agora a funcionar de certo modo como ministros, apenas alguns estavam habilitados na arte de ensinar e pastorear como anciãos da igreja (1 Tim. 3:1) A história da igreja primitiva revela que a estrutura de liderança na igreja era muito semelhante a das sinagogas. Tiago disse que nem todos deveriam ser instrutores, devido a maior responsabilidade desses perante Deus (Tiago 3:1). os Diáconos (grego: diakonos) foram designados para cuidar de tarefas seculares de forma que os homens mais velhos pudessem prestar "atenção não dividida" a assuntos espirituais (Atos 6:26). Os mesmos padrões são realizados em tempos modernos.

Em Mateus10:10 e Lucas 10:7, Jesus deixou claro para seus discípulos que eles não deveriam preparar para as próprias necessidades deles ao visitar os irmãos em suas casas, mas deveriam esperar receber o alimento deles dessas casas: 

"Não adquira ouro, ou prata, ou cobre para si, ou uma bolsa para sua viagem, ou até mesmo duas túnicas, ou sandálias, pois o trabalhador é merecedor de sua labuta". 

Posteriormente, quando as circunstâncias mudaram e os discípulos foram espalhados pelo mundo, Jesus lhes disse que levassem uma espada e uma bolsa (proteção e dinheiro) para as viagens mais longas (Lucas 22:35,36). Nenhuma dúvida até então que a maior parte do dinheiro deles era proveniente dos crentes que eram generosos (2 Cor. 9:12,13). contudo, enquanto circunstâncias variaram, o princípio de prover para estes homens permaneceu o mesmo, pois Paulo enfatiza isto depois. Em 1 Coríntios capitulo 9 Paulo desenvolve o ponto que esses que auxiliam o corpo como inspetores têm o direito se receberem contribuições, inclusive provisões para a esposa (v.47). Ele olha atrás na lei Mosaica para apoio deste princípio (v. 8-11). Enquanto o próprio Paulo escolheu ser uma exceção neste caso (Já que aparentemente alguns estavam o acusando de motivos impróprios - v. 12,15), ele declara que o próprio Senhor Jesus declarou estes princípios (v. 14). Em Gálatas 6:6 Paulo diz " E o que está sendo instruído na palavra, faça participante em todas as boas coisas aquele que o instrui. ", enquanto admoestando o corpo para contribuir para as necessidades dos que estão os auxiliando.

Estes mesmos princípios valem para a Igreja atual. Esses que estão sendo alimentados espiritualmente são confiados para ter certeza que seus pastores e mestres são alimentados fisicamente. Em 1 Timóteo 5:17-18, Paulo diz: 

"Os anciãos que governam bem sejam tidos por dignos de duplicada honra, especialmente os que labutam na pregação e no ensino. Porque diz a Escritura: Não atarás a boca ao boi quando debulha. E: Digno é o trabalhador do seu salário. " 

Por outro lado, Paulo não reinstituiu o arranjo Levítico, enquanto deixando aberto à igreja usar seu próprio método de apoio. Paulo espera que os cristãos sejam tão generosos quanto debaixo da Lei, porque o Cristianismo é a realidade; considerando que a Lei era uma mera sombra. Paulo estava confiante que os cristãos maduros doariam generosamente para a obra de Deus, e teriam a certeza que seus pastores e mestres teriam suas necessidades atendidas. O princípio aplicado no capitulo 3 de Malaquias, é que Deus merece nosso melhor.

Embora doar seja algo que provem do coração, de acordo com a possibilidade de cada um, bênçãos podem ser retidas de nós se não somos generosos com os outros (2 Cor. 9:6-13). um princípio de Malaquias aplicado: 

"Roubará o homem a Deus? Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas alçadas. 9 Vós sois amaldiçoados com a maldição; porque a mim me roubais, sim, vós, esta nação toda.Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós tal bênção, que dela vos advenha a maior abastança." (Mal.3:8-10)

Provendo as necessidades de outros, tanto de pastores como pobres entre o rebanho, Paulo diz que este mesmo princípio é verdade, você colhe o que semeia:

"Mas digo isto: Aquele que semeia pouco, pouco também ceifará; e aquele que semeia em abundância, em abundância também ceifará, Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, nem por constrangimento; porque Deus ama ao que dá com alegria. E Deus é poderoso para fazer abundar em vós toda a graça, a fim de que, tendo sempre, em tudo, toda a suficiência, abundeis em toda boa obra; conforme está escrito: Espalhou, deu aos pobres; a sua justiça permanece para sempre. Ora, aquele que dá a semente ao que semeia, e pão para comer, também dará e multiplicará a vossa sementeira, e aumentará os frutos da vossa justiça. (2 Cor. 9:6-10)

A Testemunha zomba da "Cristandade" por pagar os salários de seus pastores e por chamar de "ministros" ou "pastores", insinuando que estes homens tem tido muito poder sobre as pessoas. A Bíblia não condena esta prática; permitindo liberdade para a igreja estabelecer seu próprio padrão de doar. Ao mesmo tempo, os anciãos das TJ têm controle sobre o modo como as TJ vestem, como elas falam, o que elas fazem em fins de semana, quanto elas comem, onde elas fazem suas orações, como elas estudam a Bíblia, e com quem elas podem ou não podem falar. Eles até mesmo controlam assuntos de vida e morte em suas mãos, proibindo seus membros de tomar transfusões de sangue, enquanto mentindo, enquanto morrendo na mesa de operações. Os anciãos podem lhes impedir de falar com membros da própria família que deixou as Testemunhas, debaixo da dor da desassociação. Quão interessante é eles acusarem as igrejas de determinar um homem sobre outro! Enquanto seja verdade que devido a natureza humana alguns ministros abusarão de sua autoridade, TODOS os anciãos das TJ são exigidos para ir além da base Bíblica de autoridade, obrigando as regras humanas da Torre de Vigia.

Todos nós que deixamos a Torre de Vigia deveríamos apreciar o que significa a verdadeira generosidade Cristã. Nosso doar deveria ultrapassar o dos Escribas e Fariseus, que eram doadores meticulosos. O próprio Deus dá até mesmo ao perdido e iníquo, e ele nos pede que imitemos esta mesma atitude (Mateus 5:42-48). Enquanto o Torre de Vigia contesta organizações caridosas e desencoraja o envolvimento em projetos para ajudar os pobres e necessitados, deveria aborrecer nossa consciência ignorar as necessidades ao nosso redor. (Lucas 10:30-37). Uma marca identificadora da "nova personalidade" e do novo nascimento em Cristo é a transição do egocentrismo para a caridade (Lucas 12:33,34).

A falsidade é uma tentativa de reter a verdade desses que têm um direito de sabê-la.  (L.J. Peter)

A Visão da Sociedade Sobre Verdade & Mentira: 

"Enquanto a mentira maliciosa é definitivamente condenada na Bíblia, isto não significa que uma pessoa está sob a obrigação de divulgar informações verdadeiras para pessoas que não estão intituladas para isto. . . Esse é o motivo pelo qual Jesus em certas ocasiões se absteve de dar informações completas ou respostas diretas a certas perguntas, ao fazer assim poderia ter trazido dano desnecessário." AJUDA AO ENTENDIMENTO DA BÍBLIA - pág. 1061. 

Nota de rodapé: 

1. veja os seguintes assuntos da Sentinela como exemplos: 1/5/50 p.139,140; 1/5/51 p.284,285; 1/5/53 p.267; 1/5/54 p.263; 1/5/55 p.275; 1/5/56 p.267; 1/5/57 p.267; 1/5/59 p.287.     

 

Quadro de Comparação (em Libra Britânica)
QUADRO DE COMPARAÇÃO (em libra britânica)

(Receitas e Despesas menos Transferências)

1982 1983 1984 1985
Receitas 5,405,797 4,036,811 4,558,007 6,456,184
Despesas 2,536,342 2,715,392 3,530,787 5,940,474
Net e Transferências para a IBSA 1,165,500 (781,252) (1,580,600) 60,500
Numerário, Bens Transferidos, Escritórios, Filiais 778,517 1,088,448 1,312,935 2,230,353
Venda de Literaturas 1,027,753 1,176,798 1,431,720 1,786,243
Venda de Revistas 1,707,180 1,820,536 1,866,035 2,516,847
Doações 374,258 243,633 233,236 218,892
Herança 183,173 135,055 113,274 251,308
Total de doações + heranças 557,431 378,688 346,510 470,200
Total de Vendas de Revistas + Literaturas 2,734,933 2,997,334 3,297,755 4,303,090
Porcentagem de Aumento ou Recuo nas Vendas n/a 10.9% 10% 30%
Porcentagem de Aumento nas Doações n/a (35%) (4.3%) (6.1%)
Porcentagem de Aumento ou (Recuo) na Herança n/a (26.3%) (16%) 122%
%  de Receitas (-transferências) das Doações e Heranças 10.3% 9.3% 7.6% 7.3%

Total do Ativo de 1985: 10,348,103

Total das Responsabilidades de 1985: 1,185,564

Valor liquido na Filial Britânica com base em 31 de Agosto de 1985:  9,162,538