facebok

GRUPO INDICETJ EX-TJ

Participe também!

 

 

"Liberdade no Amor de Deus"

Artigo de Walter Mendes

 

O Grito por Socorro

 

O que me levou a pedir dissociação da Torre na realidade não foi, a princípio, conhecer os fatos chocantes de fraudes e mentiras que ficamos conhecendo.

 

Eu passei por um momento muito difícil em minha vida quando comecei a cansar e ficar "espiritualmente fraco", como eu dizia.

 

Pedi ajuda e orientação a outros anciãos e nenhum destes sequer visitou-me ou deu orientação! A resposta era sempre a mesma: "É brabo irmão!"

 

Sendo assim, apesar de ser ancião e daqueles chamados "figurões" (pela foto dá para notar que eu estava na dedicação de Betel, convite este que não foi dado a pessoas tão "jovens" como eu), resolvi simplesmenete me afastar por causa da falta de amor, já um "sinal identificador" dali.

 

Ordálio: A Falta de Amor

 

Sempre tive meus problemas particulares como nervosismo, síndrome do pânico, depressão e outros. Entretanto, mesmo assim, a princípio como ancião sozinho cuidando de todas as tarefas do salão pelo fato de não haver pessoas qualificadas para certas tarefas, fazia visitas de pastoreio e cuidava das depressões e problemas dos outros. Tanto que, quando me afastei e disse que estava "fraco", ninguém acreditou!

 

Lembro de uma vez que em um Congresso de Distrito, minutos antes de subir à tribuna para discursar, eu falei a um ancião que eu estava muito desanimado. Ele simplesmente deu gargalhadas de minha cara, não acreditando no que estava escutando.

 

Voltando então ao ponto em que me afastei, fiquei nove meses sem ter NINGUÉM que me visitasse ou procurasse saber o que estava acontecendo. Para minha esposa, alguém chegou a dizer: "Ele deve ter feito alguma coisa errada por isso se afastou!" Ouvi isso algum tempo depois da boca de dois anciãos que apareceram lá em casa. Onde estava o amor e a empatia ensinada por meio das revistas e discursos da tribuna? Na prática, pude sentir que este amor simplesmente não existia.

 

Uma Luta Solitária e Desigual

 

Assim afastado, passei a frequentar bares e apesar de não fazer nada de errado, eu estava sendo vigiado por algumas TJs que relatavam à minha esposa onde eu estava e o que estava fazendo.

 

Começaram a correr os boatos, como é de praxe nos salões.

 

Comecei a fazer tratamentos de saúde e me lembro bem que naquela época eu fiquei num estado lastimável. Minha pressão sangüínea chegou a 17 por 10! Os médicos fizeram exames de todo tipo e diagnosticaram ANSIEDADE.

 

Quantas vezes orei chorando copiosamente a Jeová, pedindo ajuda, estendendo literalmente minha mão ao ar suplicando-Lhe por socorro! Chorava e lamentava muito ter abandonado a "Jeová", segundo o entendimento que as Testemunhas têm sobre aqueles que saem da organização.

 

O tempo foi passando e eu passei a conhecer novas pessoas de diversas denominações religiosas. Cada uma "puxando a sardinha" para sua religião. Não sei porque motivo, fui melhorando de meus traumas e medos. Ainda não tinha computador conectado à internet naquela época. Só sei que comecei a ver o mundo e as pessoas com outros olhos. Pela primeira vez na minha vida eu conseguia me colocar no lugar dos outros! Não me sentia como fazendo parte de um "povo especial" que ganharia a "vida eterna" enquanto outros morreriam!

 

Aprendendo a Sobreviver

 

Cada vez mais minha depressão e outros problemas foram passando.

 

Quando me mudei para Piracicaba-SP, conectei-me à internet e comecei a pesquisar debatendo com alguns que eu considerava "apóstatas". No entanto, ao observar os documentos e os argumentos usados por alguns, foi como se um clarão invadisse o meu ser. Passei a orar agora não pedindo socorro mas sim agradecendo a orientação que Deus a cada dia me dava.

 

Custei a aceitar, mas ao verificar cuidadosamente tudo o que pude, e confesso que não vi tudo ainda, senti-me realmente liberto! Eu me sinto hoje como um livre pensador e adorador de Deus e sei que, muitos dos odiosos "apóstatas", tão condenados pela organização, não passavam de pessoas que haviam tido as mesmas experiências que eu. Ademais, descobri que, assim como eu, eles também praticam a caridade e tentam ter fé genuína no sangue derramado de seu filho.

 

Hoje estou livre! Sinto-me grato, satisfeito, sem síndromes de pânico, cacuetes outras coisas mais que tinha.

 

Sou tachado por alguns de "apóstata" e na realidade dou boas risadas deste termo usado pelo Corpo Governante...; uma franca e absoluta deturpação de textos bíblicos!

 

Sentimentos

 

Sinto muitas saudades, é verdade, de meu instrutor que já faleceu e o superintendente de circuito que continuou o meu estudo (Helbert Fonseca Ratamero). Fiz muitas "amizades" ali dentro e sinto falta de alguns. No entanto, ao mesmo tempo em que sinto falta, percebo que uma verdadeira amizade não pode e nem deve ser destruída pelas orientações de outros que não sabem como foram os relacionamentos entre aqueles que se diziam irmãos. Muitos agem assim pelo zelo que tem em querer servir a Deus, mas não percebem que estão exatamente agindo como os judeus da ilustração de Jesus sobre o bom Samaritano. Existe um ditado importante:

 

"Amigo é quem te socorre, e não quem tem pena de ti." (Thomas Fuller)

 

Se a vida for uma lágrima, chore...; se a vida for um sorriso, sorria...; se for uma guerra, lute...; se for uma luta, vença. Mas se for uma lembrança, lembre-se de nossa amizade...

 

O amigo não é aquele que nos faz algum bem, mas aquele que está sempre e em toda parte junto conosco.

 

Amigos são os que nas prosperidades aparecem se receberem convite, e nas adversidades aparecerem sem serem chamados.

 

Livre no Amor de Deus

 

Tenho sentido, e outros também, que minha vida mudou para melhor. A família de minha esposa que é toda TJ, fica perguntando para ela o que aconteceu comigo, pois sou animado e alegre em tudo o que faço.

 

Interessante que todos conversam comigo e visitam minha casa; só não tocam em assuntos bíblicos.

 

Sinto-me alegre e percebo que minha esposa nota isso. A princípio ela ficou incomodada comigo, mas agora, depois de certo tempo e de algumas "estocadas" que dei, ela passou a duvidar de certos ensinamentos da Torre. Tenho todas as informações guardadas em meu computador e não me surpreenderia se ela os estiver verificando. Há mais de um ano ela não vai ao Salão do Reino (?).

 

Sinto com toda a certeza que Deus está comigo... "De modo algum te abandonarei!", diz o Criador!

 

Também, lembro da promessa de que "Deus não é injusto para se esquecer de suas boas obras e do amor que demonstraste..".

 

Sinto na pele as palavras de nosso salvador Jesus Cristo: "E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará!"

 

Esta é a minha vida! Só agora consegui por nela um pouco de liberdade que só o amor de Deus proporciona...


 


 

 

 facebok

GRUPO INDICETJ EX-TJ

Participe também!