Consegue Ler Isso Sem Se Emocionar?
Brasil, 16 de Julho de 2002


A carta que publicamos abaixo, foi enviada pela irmã Barbara Anderson à alguns fóruns de discussão na Internet em 23 de Agosto de 2001. Os editores do Observando o Mundo da Torre apenas a traduzem, disponibilizando-a para o público de língua portuguesa, sem nada acrescentar, exceto o parágrafo abaixo com informação sobre o trabalho dela qual Testemunha de Jeová, uma vez que muitos não estão familiarizados sobre o que desencadeou toda a onda de exposição das Testemunhas de Jeová e da Sociedade Torre de Vigia nos meios de comunicação nos Estados Unidos e Europa. A irmã Anderson e o esposo, que é ancião na Congregação Manchester, vivem em Normandy, Tennessee, EUA. Ao finalizar a leitura dessa carta, talvez o leitor queira seguir este link e, depois, este, para entender os desdobramentos do que ela aqui discorre. Uma palavra de cautela é necessária: O número de pedófilos entre as Testemunhas de Jeová não é maior do que em outros segmentos da sociedade de modo geral. O problema é que, pela maneira como os casos de pedofilia são tratados nas congregações, por orientação da Torre de Vigia, acaba se produzindo uma situação onde a pessoa culpada de pedofilia pode atacar mais de uma vez, pondo outras crianças em risco, sem o conhecimento dos pais delas, uma vez que tudo é muito secreto de modo a não "lançar vitupério para a organização". Veja agora um pouco sobre a irmã Anderson.

Algumas das pessoas mencionadas no texto.
(Programa Dateline da NBC)

 

Barbara Anderson

Normandy, Tennessee

Erica Garza

Othello, Washington

Bill Bowen

Draffenville, Kentucky


Quem é Barbara Anderson

Trabalhou no Betel de Brooklyn por muitos anos. Ela foi a principal pesquisadora assistente de Karl Adams para o livro Testemunhas de Jeová - Proclamadores do Reino de Deus, de 1993. Karl Adams têm atuado em várias posições de responsabilidade em Betel: responsável pelo Departamento de Redação do começo dos anos 1960 até cerca de 1980, responsável pela equipe que produziu o Estudo Perspicaz das Escrituras, Raciocínios, atualmente instrutor de Gileade.

Ela foi pesquisadora assistente de vários outros membros experientes do Departamento de Redação, fazendo às vezes pesquisa histórica e, às vezes, pesquisas de reclamações que a Sociedade recebia quanto ao manejo de molestamento infantil e abuso de mulheres por varões.

Provavelmente as pesquisas dela contribuíram para a mudança de regulamento conforme declarado na Sentinela de 1.o de Janeiro de 1997, onde eles, pela primeira vez, reconheceram que molestamento infantil era uma questão séria e decidiram que "alguém de quem se sabe ser molestador" não mais podia servir em qualquer posição de responsabilidade, ou ser um pioneiro, ou servir em qualquer outro serviço especial ou por tempo integral (claro, a Sociedade ainda dar um jeitinho nesse "regulamento" por manter pouco clara a definição do que é "alguém de quem se sabe ser molestador"; um homem pode ser condenado em tribunal por múltiplos molestamentos mas se um grupo de anciãos decidirem que a evidência que levou à esta condenação não é "baseada nas Escrituras", eles podem ignorar o que o tribunal decidiu e ainda designar tal molestador para algum "privilégio especial").

Ela escreveu vários artigos publicados na Despertai!. Veja agora abaixo a íntegra da carta da irmã Anderson.


 

A Carta

Como alguns jornais tem chamado a atenção para minhas ações, sinto ser necessário prover algumas informações que têm surgido e merecem completa exposição.

A Sociedade está bem ciente das minhas intenções, visto que um e-mail particular que eu inocentemente escrevi a uma pessoa, foi enviado para a Sociedade sem a minha permissão. Você pode lê-lo abaixo na íntegra. Eu gostaria, antes de mais nada, de lhe fornecer alguma informação de fundo quanto as razões por tê-lo escrito inicialmente.

Eu soube que um varão Testemunha de Jeová estuprou a filha de uma Testemunha amiga minha quando ela tinha apenas 9 anos de idade. Ano passado, quando a vítima tinha então 18 anos de idade ela deu queixa e em Fevereiro de 2001 o pedófilo foi pra cadeia.

Este caso é típico. Anos antes quando a mãe da vítima descobriu sobre o estupro, ela foi aos anciãos como as Testemunhas são instruídas a fazer. Como qualquer boa Testemunha, ela acreditava que eles fariam a coisa certa. Eles fizeram?

Não há qualquer registro de relato às autoridades pelos anciãos, apesar de o estado onde eles moram exigir o relato de molestamento por qualquer um, inclusive religiosos. Esta falta de continuidade serviu para proteger o perpetrador, e ele continuou molestando até que uma outra vítima notificou as autoridades.

Ligando para minha amiga e ouvindo a inteira nauseante história, eu decidi quebrar meu longo silêncio e contei-lhe da minha decisão de conversar com o Dateline da NBC sobre a pedofilia (molestamento ou abuso de crianças) nas congregações das Testemunhas de Jeová. Mais tarde, eu decidi escrever um e-mail sugerindo à minha amiga que também falasse com o Dateline.

Logo depois disso, nosso Superintendente de Circuito foi de algum modo informado do meu envolvimento com o Dateline. Este Superintendente de Circuito ligou para meu marido, sugerindo que ele me impedisse de falar com o Dateline, claramente dizendo que ele perderia a posição dele como ancião se ele não me impedisse.

Dentro de algumas semanas, meu e-mail particular foi enviado para o Departamento de Serviço e Legal da CCTJ (Congregação Cristã das Testemunhas de Jeová), problema que até então seria tratado pela Sociedade Torre de Vigia de Nova Iorque. Sem permissão, um parente de minha amiga, um ancião, tinha enviado para a Sociedade, a CCTJ em Patterson, NY, uma cópia do e-mail. O inteiro conteúdo do e-mail é reproduzido abaixo para que você veja.

A Sociedade agiu por meio da CCTJ. Uma cópia do e-mail juntamente com uma carta inquisidora foi enviada para os anciãos da congregação onde meu marido serve como ancião. A carta perguntava aos anciãos quanto a se eu havia propagado minhas opiniões localmente. A única resposta do corpo de anciãos teria de ser um claro "Não".

Semana passada, quando do julgamento do caso da Erica, uma outra carta chegou da CCTJ solicitando que os anciãos locais marcassem uma reunião comigo. Para que saibam, eu recusei o convite. Saibam também que minha amiga recusou o convite para aparecer no Dateline.

Gostaria de saber que heresia teria desencadeado tal forte reação? Leia você mesmo. Ao publicar este que foi um e-mail pessoal, eu espero que será informativo para outros que foram prejudicados pelos regulamentos das Testemunhas de Jeová através de sua hierarquia de superintendentes e entidades corporativas tais como a CCTJ, a Sociedade Torre de Vigia da Pensilvânia e a Sociedade Torre de Vigia de Nova Iorque, cujos regulamentos inadequados e pouco esclarecidos no que diz respeito à abuso sexual resultam na proteção de pedófilos, mesmo que sem querer, involuntariamente.

Seu propósito também é encorajar pessoas que foram prejudicadas a vir à tona e exigir mudanças.

Eu recomendo que se escreva ou se ligue para o Corpo Governante das Testemunhas de Jeová, CCTJ, para a imprensa, e para qualquer um disposto a ouvir, para protestar pelos regulamentos da Sociedade que têm gravemente ferido as crianças, as famílias delas, e ao mesmo tempo protegem criminosos.

Eu penso que os anciãos das Testemunhas de Jeová não devem ter nada que ver com a decisão de se alguém é culpado ou não de acusação de molestamento, ou em avaliar a genuinidade da queixa de uma criança ou de um membro da família falando por ela. Eles simplesmente não estão qualificados, não importa quantas sessões de aconselhamento tenham tido com seus superintendentes viajantes ou em suas sessões de treinamento.

A primeira coisa na ordem do dia deve ser a proteção das crianças, não a "pureza da congregação". Nos comunicados à imprensa a Sociedade reconhece que molestamento é "crime sério". Eles não têm agido de modo consistente com esse claro reconhecimento. As ações deles não batem com as palavras. Eles devem AGIR de acordo. Devem tratar este assunto como o fazem com outros "crimes sérios".

Crimes devem ser postos nas mãos de César, as "autoridades superiores" de Romanos 13:1-6, "pois são ministros de Deus para ti". As autoridades seculares vêem como prerrogativas delas examinar acusações e julgar os assuntos. Anciãos não devem sob quaisquer circunstâncias interferir no direito absoluto da família de relatar às autoridades competentes. Ao invés disso, devem, de modo pró-ativo, encorajar que façam tal denúncia. As "autoridades" de Romanos 13 podem se extender ao médico da família, serviço social, autoridades escolares, autoridades de saúde incluindo especialistas em saúde mental autorizados e, obviamente, a polícia.

Acredito que há vários em Betel que tem sentimentos similares mas que estão temerosos de falar abertamente por medo de falta de apoio.

Eis aqui o e-mail enviado para a Sociedade que desencadeou as ações acima da parte da CCTJ. O texto abaixo está totalmente inalterado, em sua forma original, a não ser os nomes.


 

E-mail à Amiga

Querida -----,

Talvez você não queira falar comigo depois de ter lido os artigos de jornal que eu te enviei [sobre a renúncia de Bill Bowen como ancião por causa de desentendimentos quanto à como as Testemunhas de Jeová manejam casos de pedofilia nas suas fileiras]. Talvez isso em que me engajei seja amedrontador pra você. Afinal de contas, nós fomos treinados a não correr à frente ou criticar a organização de Deus. O treinamento tinha a intenção de nos controlar, de pensarem por nós. É este o tema da Bíblia? Permitimos a injustiça porque nos foi dito que não cabe à nós nos envolver na luta pela verdade e pela justiça? Não posso deixar de lembrar do que Jesus disse às 7 congregações no começo do livro de Revelação. Ele condenou algumas das congregações por permitir que a iniquidade existisse. Ele repreendeu e censurou os Cristãos pela apatia deles. Nós temos esse exemplo de como não ser, portanto é hora de nos levantar e ser contados por Jeová Deus como lutadores pela retidão e pela justiça por esses pequeninos.

Lembre-se de Mateus 18:1-6. Leia esses versículos em diferentes traduções da Bíblia e o mesmo princípio vem à tona limpo e claro: qualquer um que faça um pequenino tropeçar ou pecar, terão uma "pedra de mó" amarrada ao pescoço e serão lançados ao mar. Crianças que são molestadas, que são estupradas, tropeçaram. Eles perderam sua inocência e isto os afeta pelo resto das suas vidas.

Enquanto eu lutava por mudanças nos regulamentos da Sociedade concernente à molestamento na organização em 1991-92, sua criança estava sendo molestada por um homem no qual jamais você teria confiado se os regulamentos secretos da Sociedade não existissem.

Eu sei que você e todas as outras Testemunhas que talvez assistam o Dateline ficarão chocadas com a indiferença e a franca hostilidade dos líderes da Torre de Vigia para com as vítimas de abuso sexual que eu vi em Brooklyn. Eu posso dizer perante Deus que esses homens tem sangue nas mãos pelos sofrimentos e suicídios ocorridos por causa da proteção dada à anciãos e servos ministeriais pedófilos.

Posso provar o que digo. Se todos os detalhes não aparecerem no Dateline, visto que haverá tantos outros falando, garanto a você, estas informações vão chegar ao conhecimento da Times e Newsweek. A Torre está em maus lençóis e eles foram avisados repetidamente que algo como isso aconteceria, mas a arrogância deles não conhece limites. Eles vão colher o que plantaram. E o que plantaram foi um vendaval que vai arrebentar de volta nas faces deles.

Eu dei o seu telefone para o produtor do Dateline com o qual estou trabalhando. Por favor pense quão importante é para você botar a boca no trombone quanto aos danosos efeitos que os regulamentos da Torre de Vigia têm causado em sua família e em outras famílias em sua localidade. Eu espero que leia os relatos em SilentLambs.org. Quando os operadores de câmeras do Dateline leram as histórias das vítimas, 2 deles choraram.

A última coisa que eu queria nesse mundo era ir à público relatar os resultados de um péssimo conjunto de regulamentos que Deus certamente odeia. Não posso imaginar um amoroso mediador, Cristo Jesus, não se importando com o que acontece com crianças, tudo para proteger a Organização de Deus de vitupério.

Se você decidir falar publicamente sobre o pesadelo de infância de sua filha, Dateline daria um jeito de lhe incluir e esconder sua identidade, se você assim desejar. Eis a sua chance de expor esses terríveis atos praticados por predadores e algumas pessoas mal-orientadas. Pense em todas as crianças que você poderia ajudar se decidir falar. Se os anciãos tivessem feito a coisa certa bem no começo; se eles tivessem obedecido a lei do Estado e a lei da Bíblia em Tito 3:1: "Continua a lembrá-los de estar em sujeição e ser obedientes aos governos e autoridades como superiores" muitas crianças não teriam perdido a inocência durante os últimos 10 anos.

Você é uma mulher corajosa e determinada. Erga-se e seja contada em benefício de sua filha. Se não fizer isso, talvez se arrependa no futuro. Faça uso do poder e do controle que se lhe está sendo oferecido, que foi tomado de sua filha e fale com o [produtor do Dateline]. O nome dele é [este].

Eu falei abertamente e prevejo a perda de entes queridos por causa disso, mas faço isso pelas vítimas. Eu o faço pelo meu neto, xxxx. Pensar que ele não está à salvo de ser molestado por predadores ardilosos dentro da organização é mais do que posso suportar. Não vou à sepultura sabendo que poderia ter falado abertamente, ter salvo mais crianças de molestamento e não o fiz. Fiz minha escolha, cabe agora à você fazer também a sua.

Asseguro-lhe de meu amor e se lhe pus em desconfortável situação, me perdoe. Mas minha consciência treinada pela Bíblia me levou a fazê-lo.

Carinhosamente,

Barb.