REFORMAS BRANCAS

Willian Gadelha

Rigorosamente falando, reformas não chegam a ser novidade na organização das Testemunhas de Jeová, pois estas vêm ocorrendo praticamente desde o início da existência dela, desde os anos 1870.

Russell, por exemplo, a dirigiu SOZINHO e tomou todas as decisões enquanto foi o presidente, pois não havia nenhum corpo governante nem em teoria, nem de fato. A primeira menção a um CG em A Sentinela foi em 1944. Mas, Rutherford e Knorr (até 1976), presidiram a Torre de Vigia como bem entenderam.

Um CG no pleno sentido da palavra só veio a existir em 1976. Isto foi uma grande reforma.

Ensinaram até 1935 que todas as Testemunhas de Jeová leais poderiam ir para o céu, e, daí, disseram que haviam DUAS CLASSES, celestial e terrena. Isto também foi uma grande reforma.

Por cerca de 30 anos as vacinas foram proibidas, depois liberadas;

Até 1945 nada havia de pecaminoso com transfusões de sangue, aí proibiram totalmente. Depois liberaram frações de sangue, proibiram e liberaram novamente;

Em 1962 liberaram os transplantes, em 1968 o proibiram e finalmente liberaram em 1980;

Até o início dos anos 30 mesmo no Betel de Brooklin celebravam-se aniversários e depois proibiram.

No começo eles ensinaram que as "autoridades superiores" de Romanos eram os governos seculares. Em 1929 mudaram e disseram que eram Jeová e Jesus. E finalmente, em 1962, voltaram a dizer que eram os governos seculares.

Nas gravuras das publicações da Torre de Vigia Jesus aparecia com barba até os anos 30 - época de Rutherford. Depois apareceu sem barba e às vezes até louro nas revistas A Sentinela e Despertai! até 1969. Daí em diante passou a aparecer com barba de novo.

Os corpos de anciãos nas congregações existiram até os anos 30. Depois foram abolidos, Então as congregações passaram a ser dirigidas por um único homem, o servo de congregação. Mas,  finalmente, foram restabelecidos em 1972.

No tempo da Primeira Guerra Mundial, as TJs (Estudantes da Bíblia) podiam vestir uniforme, ir aos campos de batalha, mas deviam atirar para o ar, e hoje tudo isso é "velha luz".

E há outras coisas menores das quais não me recordo agora. Uma coisa, porém, é certa. Com o fim de evitar problemas com os governos, a Torre de Vigia tem procurado AMENIZAR alguns de seus ensinos que ela mesma sabe serem mais negativos. Creio também que ela sabe que está a perder membros por conta de algumas normas desamorosas e antibíblicas.

Observa-se a facilidade com que pessoas agora são aceitas para o batismo. Deste modo um número bem maior de pessoas É BATIZADO TODOS OS ANOS, encobrindo o NÚMERO ENORME DOS QUE ESTÃO SAINDO. É como a porta giratória dos bancos: muitos entram e muitos saem, mas procura-se facilitar e agilizar o processo de entrada, no afã de que o saldo se mostre positivo no relatório anual. Não podemos esquecer que a Torre de Vigia apresenta os aumentos numéricos COMO EVIDÊNCIA DA APROVAÇÃO DIVINA À ÚNICA RELIGIÃO VERDADEIRA NA FACE DA TERRA. Se tantas reformas já aconteceram no passado, não é impossível que outras venham a acontecer. E terão de vir, se é que a Torre pretende sobreviver.

Que abrangência terão? De que modo beneficiarão as pessoas? Corrigirão os males das terríveis divisões familiares resultantes dos injustos processos de desassociação? Como será resolvida a questão da culpa de sangue por conta das passadas proibições de vacinas e transplantes? Quem a assumirá? E depois destas reformas, ainda valerá a pena para muitos dos que saíram tomar o caminho de volta? São dúvidas e perguntas que só o tempo (ninguém sabe quanto) esclarecerá e responderá.
 

Imprimir este artigo

 

Confira os mais de 800 artigos críticos sobre as Testemunhas de Jeová!