As Loucas Aventuras Proféticas da Torre de Vigia - Rei do Norte - Rei do Sul - INDICETJ.COM Escandalo sobre Testemunhas de Jeova

Ex-Testemunha de Jeová
publica mais de 1.000 artigos críticos!
Ir para o conteúdo
1
2
3
4
5
6

As Loucas Aventuras Proféticas da Torre de Vigia
O REI DO NORTE E O REI DO SUL
Cid Miranda

O Rei do Norte e o Rei do Sul

Final dos anos 40. Regimes socialistas e comunistas começavam a florescer em nações como a ex-União Soviética. Logo eles se tornaram conhecidos pelo resto do mundo que acabara de testemunhar os horrores da Segunda Guerra Mundial (1939-1945). Mas não importando a opção de governo, países como os EUA e a União Soviética resolveram investir pesadamente em algo mais atemorizante ainda: a "corrida armamentista".

Envolta nesse perigoso contexto de mundo, a sede da Torre de Vigia, em Brooklyn, EUA, abrigava alguns ansiosos profetas de plantão que se interessaram em estudar febrilmente o quadro da "Guerra Fria" entre os EUA e a ex-União Soviética para encaixá-lo em alguma profecia bíblica.

O evento profético bíblico escolhido para a interpretação particular da organização das Testemunhas de Jeová da guerra fria foi logo definido. Do livro bíblico de Daniel, capítulo 11, que fala sobre um Rei do Norte e um Rei do Sul, suscitaram-se interpretações "inquietantes" a partir da Torre de Vigia, que tanto serviram para estimular a curiosidade de uns como arrepios de outros. Como costuma agir a organização, o "entendimento" dela sobre essa profecia, conforme o tempo passava, foi mudando. Os dois reis assumiram, no decorrer de poucas décadas de história, caras novas, tendo em vista as inesperadas conjunturas mundiais.

Em 1999, a Torre resolveu apelar para um "entendimento" mais abrangente: a de que esses reis já haviam existido desde muito tempo, com rostos diferentes, representando outras nações poderosas no curso da história. Publicou-se, então, um livro chamado "Profecia de Daniel".

Nesse livro, o Rei do Norte, por exemplo, que por tanto tempo havia sido interpretado pela Torre de Vigia como sendo a ex-União Soviética, teve de perder sua coroa e tomar outro rumo. E por quê? Porque a Rússia hoje em dia já não representa grande perigo para o Rei do Sul, supostamente o império anglo-americano.

A profecia havia simplesmente caducado e tinha de sofrer alterações convenientes. Mas como era a mesma publicada desde 1958? Deixe que a Despertai! de 08/12/81, pág 10, nos relate (o grifo é nosso):
As causas da crescente tensão mundial

No livro ‘Seja Feita a Tua Vontade na Terra’, publicado em 1958, a União Soviética foi identificada como sendo o "rei do norte", mencionado em Daniel capítulo 11. "O Rei do sul", também mencionado nesse capítulo, foi identificado como sendo o chamado mundo livre, liderado pelos Estados Unidos e pela Grã-Bretanha. Esse capítulo da profecia bíblica descreve uma competição entre estes dois reis simbólicos, na seguinte linguagem:


"E, no tempo do fim, o Rei do sul se empenhará com ele [o Rei do norte] em dar empurrões, e o Rei do norte arremeterá contra ele com carros, e com cavaleiros, e com muitos navios . . . E ele [o Rei do norte] dominará realmente sobre os tesouros ocultos de ouro e de prata e sobre todas as coisas desejáveis do Egito." - Dan. 11:40, 43.


O que significava isso, O livro ‘Seja Feita a Tua Vontade na Terra’ fez a seguinte interessantíssima predição baseada na Bíblia, há mais de 22 anos:


"Só o futuro dirá até onde o Rei do norte conseguiu avançar quando ele chegar ao seu ‘tempo do fim’. Mas, está predito que ele obterá o controle sobre os tesouros de ouro, de prata e de todas as coisas preciosas deste mundo comercializado e materialista, inclusive sobre o petróleo." - Página 281.


Hoje, a União Soviética é uma das pouquíssimas nações industrializadas que não precisam importar petróleo. A União Soviética também controla vastos depósitos de minerais muito estratégicos que o "rei do sul" precisa desesperadamente. Não é de admirar que em anos recentes a política mundial tem sido caracterizada por um jogo de "empurrões" entre as superpotências!
A "interessantíssima predição baseada na Bíblia" de que o Rei do Norte e do Sul ficariam a "dar empurrões entre si", tinha de ser modificada urgentemente com o fim da Guerra Fria, a verdadeira fonte do "novo entendimento"; mudada a situação do mundo, mudam-se também as interpretações da organização, e mais uma "nova luz" brilhou no mundo TJtiano.


A organização tornou-se mestre em utilizar artifícios sutis para remover de sua história os transtornos, os embaraços e os vexames que ela mesma criou e promoveu ao longo do tempo através de suas especulações proféticas desapontadoras. Por vezes, ela confunde a cabeça de seus membros e depois usa de sofismas e raciocínios falaciosos a fim de promover sua imagem de "mãe" amorosa que se preocupa em dar novo "alimento espiritual" nutritivo e especial a seus filhos espalhados mundo afora. Para tanto, ela precisa de vez em quando, recompor tralhas proféticas e reformulá-las. Surgem então os chamados "novos entendimentos" e, como que por uma tal "orientação do espírito santo de Deus", as velhas idéias são re-editadas numa linguagem que descaradamente subestima a inteligência alheia e mostra o verdadeiro espírito que orienta os editores e profetas de Brooklyn.


As Faces "Mutantes" do Rei do Norte e do Sul


O que intriga os pesquisadores da Torre de Vigia, é a falta de questionamento dos membros fiéis que rapidamente compram as velhas roupas desbotadas e remendadas que ela lhes vende, como se fossem tecidos novinhos em folha. Quando os velhos "novos" artigos reaparecem nas prateleiras dos Salões do Reino, ostentando uma nova etiqueta atraente, eles nunca se perguntam sobre a já fragilizada natureza dos mesmos.

À guisa de exemplo, vejamos como ela induziu o mundo TJ a pensar que simplesmente havia um padrão bíblico-histórico para a mudança de identidade dos dois reis em questão, tão logo ela concluiu que o erro profético tinha de ser consertado. Um indício disso pode ser achado no capítulo 14 do livro "Profecia de Daniel" (1999) cujo título é: "Os dois reis mudam de identidade".

Acompanhe a seqüência dos "entendimentos" anteriores, até o lançamento desse último livro (1999) e veja como foram feitas as investidas proféticas relacionadas com o Rei do Norte e Rei do Sul por vários anos. (Todo o material a seguir foi extraído de publicações da própria organização. [Os grifos são nossos]):


A Sentinela de 1 de agosto de 1977, página 461:

Desenvolvimento Militar Soviético

As profecias bíblicas no livro de Daniel, capítulo 11, delineiam a luta pela supremacia entre "o rei do norte" e "o rei do sul". A profecia indica que o "rei do norte" adora o "deus dos baluartes", quer dizer, o poderio militar baseado na tecnologia científica. — Dan. 11:36-43.

A luta atual pela supremacia, entre as forças comunistas lideradas pela União Soviética e as forças democráticas lideradas pelos Estados Unidos, desenrola-se paralelamente àquela profecia. E nos últimos meses, muitos têm sugerido que a União Soviética está no processo de ultrapassar os Estados Unidos em diversas categorias militares, vitais.

O "Relatório Sobre Informações Secretas" da revista "Parade" fez o seguinte comentário: "A nova edição de ‘Jane’s All the World’s Aircraft’, publicada em Londres, afirma que a União Soviética é vastamente superior à América em aviação militar. . . . J. W. R. Taylor, respeitado redator de ‘Jane’s’, diz que há grande dúvida de que os E. U. A. poderiam equiparar-se à União Soviéticanuma guerra convencional, nesta época."

Sem se considerar a relativa posição militar destes dois "reis", é evidente que a profecia de Daniel está tendo cumprimento na época atual. Ela predisse com exatidão que o comunista "rei do norte" estaria decidido a desenvolver seu potencial militar como meio de influenciar os assuntos do mundo. Resta ver até que ponto este "rei" será bem sucedido em fazer isso, antes de Deus dar cabo de todo este sistema de coisas. — Dan. 2:44; 11:44, 45.


A Sentinela de 15 de junho de 1981, página 30:

Não obstante, a aliança anglo-americana continua na sua poderosa posição dominante como a Sétima Potência Mundial. Nem mesmo a União Soviética a ultrapassou por ter alcançado superior poderio militar, político e comercial. A Bíblia mostra que, neste sentido, haverá apenas sete potências mundiais, correspondentes às sete cabeças da fera. (Rev. 13:1) Há rivalidade e competição entre a potência mundial anglo-americana como o "rei do sul" e o "rei do norte" socialista, mas não há nenhum indício nas Escrituras de que o último substitua o primeiro como uma oitava potência mundial, antes de ambos terem o seu fim. - Dan. 11:40-45.


Na Despertai! 06/08/87, página 22, a organização apela para o "bloco comunista" e "bloco oponente", ao invés da velha ênfase na "União Soviética" e na "potência Anglo-americana" (Inglaterra e EUA), conforme vimos nas referências acima e na Despertai! de 08/12/81, pág. 10. Veja então essa Despertai! (06/08/87, página 22):


Em Daniel 11, a Bíblia simbolicamente designa o bloco comunista de nações como "o rei do norte", e o bloco oponente, como "o rei do sul". Veja o livro ‘Seja Feita a Tua Vontade na Terra’,distribuído pela Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados, e publicado em português em 1962, páginas 244-284.


Esse tipo de menção menos arriscada ("o bloco comunista e o bloco oponente") já havia ocorrido levemente em A Sentinela de 1 de outubro de 1978:

O profeta Daniel falou sobre os nossos dias quando predisse o clímax da luta secular entre o "rei do norte" e o "rei do sul". Hoje em dia, estes dois reis são identificados como os blocos opostos das nações comunistas e das capitalistas, que lutam pelo domínio do mundo.


Observa o leitor a presunção ao dizer "o profeta Daniel falou sobre os NOSSOS DIAS". Quem estava falando ali era tão-somente a organização e não o servo de Deus, Daniel. Os rumos que tomaram as certezas proféticas da organização mostraram isso. O mundo mudou e nenhuma nação do bloco comunista hoje em dia representa antagonismo contra qualquer nação do bloco capitalista.

Desde a primeira identificação, em 1958, do "Rei do Norte" como sendo a União Soviética, o "entendimento" foi alterado e o leitor perspicaz pode notar que as declarações atuais ignoram tudo que foi enfatizado. A tentativa agora é dar vida a um mutante "rei do norte".

Veja o que ela hoje diz no livro Profecia de Daniel (1999), página 270, parágrafo 2, descrevendo a identidade "atual" do Rei do Norte até final da década de 40:

Durante as duas guerras mundiais, a Alemanha tinha sido o principal inimigo do rei do sul — a Potência Mundial Anglo-Americana — e tinha ocupado a posição de rei do norte. No entanto, depois da Segunda Guerra Mundial, essa nação ficou dividida. A Alemanha Ocidental tornou-se aliada do rei do sul, e a Alemanha Oriental alinhou-se com outra poderosa entidade — o bloco comunista de nações, chefiado pela União Soviética. Este bloco, ou entidade política, ergueu-se como o rei do norte, em forte oposição à aliança anglo-americana. E a rivalidade entre os dois reis tornou-se uma Guerra Fria, que durou de 1948 a 1989. Anteriormente, o rei do norte, alemão, havia agido "contra o pacto sagrado". (Daniel 11:28, 30)


Boa saída, não? Novamente, nesse livro (Profecia de Daniel) capítulo 16, parágrafo 21:

Com a dissolução da União Soviética, em dezembro de 1991, o rei do norte sofreu um sério revés. Quem será este rei quando se cumprir Daniel 11:44, 45? Será um dos países que faziam parte da anterior União Soviética? Ou mudará ele completamente de identidade, assim como já fez várias vezes no passado? Resultará o desenvolvimento de armas nucleares por mais nações numa nova corrida armamentista, afetando a identidade desse rei? Somente o tempo fornecerá as respostas a estas perguntas. É sábio não especularmos sobre isso. Quando o rei do norte empreender sua campanha final, todos os que têm perspicácia baseada na Bíblia discernirão claramente o cumprimento de profecia.


Primeiramente, as frases "o tempo fornecerá as respostas" e "não é sábio especularmos", não condiz com a conduta especulativa da organização. Ela poderia Ter apresentado um pedido de desculpas aos seus leitores por ter, não só especulado como tentado "fornecer as respostas a estas perguntas" que "somente o tempo" forneceria, quando divulgou mundial e enfaticamente que "sem se considerar a relativa posição militar destes dois "reis", é evidente que a profecia de Daniel está tendo cumprimento na época atual" (A Sentinela de 1 de agosto de 1977, página 461). Tanto a norma bíblica de Atos 1:7 que ordena: "Não vos cabe obter conhecimento dos tempos ou das épocas que o Pai tem colocado sob sua própria jurisdição", como o aviso de 2 Ped. 1:20: "...nenhuma profecia da Escritura procede de qualquer interpretação particular", foram postos de lado pela organização.

Como se não bastasse o vexame, o uso da expressão "mudar completamente" possibilita à organização passar a idéia de que ela estava "quase correta" quanto à interpretação dessa profecia que ela sustentou até bem próximo à queda da União Soviética em 1991.

Uma TJ fiel talvez não perceba que uma interpretação "meio-correta" não tem valor nenhum aos olhos de Deus e deveria ser firmemente rejeitada por Seus servos leais, conforme lemos nos livros bíblicos de Deuteronômio 18:22 e Jeremias 23:21.

Também, ao dizer: "assim como já fez várias vezes no passado", a organização pretende mais uma vez, e sutilmente, passar a impressão de que a mudança de identidade do "Rei do Norte" é simplesmente normal, cíclica, rotineira e esperada. Pura invenção humana!

Assim, os profetas da organização Torre de Vigia nos EUA, apenas dizem hoje que o Rei do Norte está de cara nova, e que sua versão mutante é compreensível e deveria ter sido aguardada para esse século 21 que teve a temosia de se iniciar. O que na imaginação deles representava o Rei do Norte, no caso a velha União Soviética, teve de passar por uma costura completa depois da queda do muro de Berlim em 1989. Mas essa é apenas uma pequena amostra da loucas aventuras proféticas dos escritores da Torre de Vigia. Se não, vejamos mais alguns exemplos...



Profecias Bíblicas à Luz da Torre

Como vimos, tudo que fora escrito e dito sobre o Rei do Norte e o Rei do Sul nas década de 70 e 80, nada mais era que o produto do contexto da Guerra Fria. O profeta Fred Franz e cia. embarcaram em barcos furados de especulações. Tais barcos foram afundando à medida que o mundo tomava outros rumos inesperados.

Depois que os EUA e a Rússia deixaram de ser rivais ferozes, vimos várias nações aumentando seu poderio nuclear ou de posse de armas de destruição em massa (como a Coréia do Norte). Elas hoje são iguais preocupações para os EUA (e Inglaterra), que lideram o suposto "bloco capitalista", o Rei do Sul..., por enquanto.

É válido ressaltar que outras especulações dos "profetas" de Brooklyn também têm dado com os "burros n´água". O caso da ONU, então, será mais um.

Diz-se em publicações da organização como Clímax de Revelação que a política (a fera), cuja cabeça é a ONU, irá estraçalhar "a religão falsa, Babilônia a Grande", que se "embriaga de vinho e comete fornicação com os reis da terra". (Revelação [Apocalipse] 13- 19)

Obviamente, a Bíblia não esclarece quem é quem ou o quê é o quê nesses quadros proféticos mas a Torre, ah, sim, a Torre já interpretou à sua maneira que, é claro, a coloca à parte da "imundície religiosa" do resto do mundo. Ela junta todo o resto da humanidade, à parte de sua estrutura, num só rebanho de condenados à destruição eterna, ao lado dessa "prostituta religiosa" (Babilônia, a Grande) e seus "amantes políticos".

São vários os problemas oriundos dessa presunção. Primeiro, o que vemos é que a religião tem estado realmente achegada à política e não o oposto. A política, por sua vez, está longe de querer destruir tal "aliada". Fica muito difícil imaginar como se dará esse desfecho alardeado pela Torre. Mas, com certeza, nessa ficção mirabolante, ela tem conseguido assustar todos os que dela são reféns.

Um detalhe é que, a Testemunha com mais tempo na organização, pode facilmente se lembrar da famosa "urgência dos tempos" e de como isso deixava as Testemunhas confiantes de que Babilônia iria cair "em breve". Ora, mesmo pelo calendário profético da Torre, para quem acompanhou todas as publicações das décadas de 60, 70, 80 e 90, isso já deveria ter ocorrido há muito tempo. Que nada! Tudo fruto das fantasias humanas do Corpo Governante!

Cada religião do mundo gostaria de disputar entre si o prêmio de "única escolhida como religião verdadeira" enquanto as outras, achadas falsas, fossem "perseguidas e devastadas pelo governantes do mundo". Certamente, se algo assim ocorresse, isso se daria por causa do vazio existencial e do mal desempenho delas em cuidar de seus vastos rebanhos de seguidores. Todavia, o que vemos, cada vez mais, são pessoas buscando refúgio nas igrejas do mundo elegendo cada uma delas como "religião verdadeira". Embora em alguns países da Europa, igrejas tradicionais possam estar perdendo adeptos, o que dizer da crescente quantidade de muçulmanos, evangélicos, dentre outros, ao redor do mundo? O que dizer do aumento no número de seitas e religiões alternativas?

Mas, se muitas das religiões do mundo vierem a falir um dia, com certeza isso não se dará por meio dos "reis da terra", mas devido às próprias pessoas que "as devastarão" pelo que fizeram à humanidade.

Quanto ao significado da referida profecia, aplica-se aqui novamente o que nos alerta 2 Ped. 1:20.



"Um Poderoso Comentário sobre Revelação e Ezequiel"


O livro O Mistério Consumado (1917) é o exemplo típico de profecias e especulações da Torre de Vigia. Esse livro está repleto de profecias e "explicações" risíveis e bastante insignificantes. No entando, elas também marcaram época na história da Torre.

Grande parte do que foi escrito nele era apenas produto do espanto de Russell, fundador da Torre, diante das inovações tecnológicas de sua época e das fantásticas mudanças que o mundo no começo do século 20 atravessava.

No livro Em Busca da Liberdade Cristã, o escritor Raymond Franz demonstra o absurdo das elucubrações de Russell no livro O Mistério Consumado. E, pasme o leitor, a Sociedade ainda hoje se refere a essa publicação como um "poderoso comentário sobre Revelação e Ezequiel" (Revelação, Seu Grandioso Clímax Está Próximo!, página 165):


Início da citação de Raymond Franz:


********************************************************
Considere agora o que ocorreu em 1917. Lembremo-nos de que, segundo o ensino "reajustado" atual da Torre de Vigia, Cristo Jesus estava então oficialmente reinando como rei entronizado havia três anos. Em 1917, a organização Torre de Vigia imprimiu um livro chamado O Mistério Consumado.

Dizia-se que este livro era ‘a mensagem do momento.’ Já que se argumenta insistentemente que a "luz torna-se cada vez mais brilhante," esta nova publicação tão aclamada deveria logicamente conter excelente evidência da "qualidade" do alimento servido, algo que o recém-empossado Rei pudesse usar como um notável exemplo da prova pela qual teria de ser avaliado o canal que servia alimento de qualidade.

Observe algumas das predições feitas para os anos de 1918 e 1920 nestes trechos que tratam do capítulo 16 de Revelação e dos capítulos 24 e 35 de Ezequiel:

...


258 O Mistério Consumado REV. 16


16:20. E toda ilha fugiu. — Até as repúblicas desaparecerão no outono de 1920. E não se acharam os montes. — Todos os reinos da terra passarão, serão tragados pela anarquia.


16:21. E caiu sobre os homens. — Em grego "Os Homens."os adoradores da fera e da sua imagem, i. e., o clero.


Uma grande saraiva do céu. — A verdade, compacta, chegando com força esmagadora. Uma declaração concludente de como o sétimo volume dos Estudos das Escrituras parece aos adoradores da fera e da sua imagem. — Rev. 1:19; Isa. 28:17; 30:30; Eze. 13:11; Josué 10:11.


Cada pedra pesando cerca de um talento. — 113 libras. (Mal. 3:10) Outra visão do sétimo volume dos Estudos das Escrituras, conforme parece aos adoradores da fera e da sua imagem, se encontra na última das pragas egípcios, a morte dos primogênitos. Êxodo, capítulos 11 e 12.


Os três dias nos quais as hostes de Faraó perseguiram os israelitas no deserto representam os três anos de 1917 a 1920, tempo no qual os mensageiros de Faraó serão tragados pelo mar da anarquia. As rodas se soltarão de seus carros—organizações.


24:24. Assim Ezequiel é para vós um sinal: segundo tudo o que ele fez, vós fareis: e quando isto chegar, sabereis que eu sou o Senhor Deus. Assim, a silenciosa dor do coração do Pastor Russell devia ser um sinal para a Cristandade. As dolorosas experiências do Pastor Russell com respeito a isto tornar-se-ão mais tarde as de toda a Cristandade; e "quando isto chegar" saberão que Jeová Deus é supremo, e está por trás de todos os julgamentos da época da tribulação.


O PASTOR RUSSELL MORTO, MAS FALANDO OUTRA VEZ


24: 25, 26. Também tu, filho do homem, não será no dia em que tirarei deles a sua força, o júbilo de sua glória, o desejo de seus olhos, e aquilo em que fixam suas mentes, e seus filhos e suas filhas. Que aquele que escapar naquele dia virá a ti para fazer-te ouvir com teus ouvidos. Também, no ano de 1918, quando Deus destruir as igrejas em escala total e os membros das igrejas aos milhões, ocorrerá que qualquer um que escapar se voltará para as obras do Pastor Russell para aprender o significado da derrocada do "Cristianismo."


35:14. Assim diz o Senhor Deus; Quando toda a terra se regozijar eu te causarei desolação. Quando vierem os Tempos da Restituição de todas as coisas, uma das coisas que não será restaurada é o movimento Socialista, trabalhista. Quando toda a sociedade se regozijar na nova ordem de coisas instituída por Deus, o estado Socialista terá sido então desolado completamente e para sempre.


35:15. Assim como te regozijaste diante da herança da casa de Israel, por ter sido desolada, assim farei a ti; serás desolado, Ó monte Seir, e todo o Edom, sim, todo ele: e saberão que eu sou o Senhor. Assim como os apóstatas de mentalidade carnal do cristianismo, aliando-se aos radicais e revolucionários, se regozijarão diante da herança de desolação que virá a ser da Cristandade depois de 1918, assim fará Deus ao movimento revolucionário triunfante; será completamente desolado, "sim, todo ele." Não sobreviverá nenhum vestígio dele nas ruínas da anarquia mundialmente abrangente no outono de 1920. (Rev.11:7-13.)

...

O livro especializava-se na profecia de Ezequiel e no livro de Revelação. Tudo que se relacionava com o próprio Ezequiel foi aplicado ao Pastor Russell, o Ezequiel moderno. Além das fracassadas profecias de data relativas a 1918 e 1920, considere as explicações que o livro dá sobre Revelação 14:20, como amostras do tipo de "alimento" servido nesta publicação. O relato da própria Bíblia reza:


"E o lagar foi pisado fora da cidade, e saiu sangue do lagar até aos freios dos cavalos, numa extensão de mil e seiscentos estádios."


Usando a tradução de Rotherham (em inglês) que diz "mil e duzentos estádios" (em vez de mil e seiscentos), esta é a explicação que o livro (página 230) dá como cumprimento do texto:

...


Pelo espaço de mil e [seiscentos] DUZENTOS estádios. Isto não pode ser interpretado como que se referindo às 2100 milhas da linha de batalha das guerras do mundo. Um estádio não é uma milha e esta está fora da cidade, enquanto a linha de batalha está dentro da cidade. (Veja a tradução de Rotherham)

Um estádio é 606 ¾ de um pé inglês; 1200 estádios são, em milhas, 137,9. O trabalho deste volume foi realizado em Scranton, Pensilvânia. Tão logo foi con-cluído enviaram-no para Betel. Metade do trabalho foi feito à uma distância média de 5 quadras da estação Lackawanna, e a outra metade a uma distância de 25 quadras. As quadras em Scranton são de 10 por milha. Deste modo a distância média até a estação é de 15 quadras, ou 1,5 milha.

A distância em milhas de Scranton para o Terminal de Hoboken aparece nas tabelas como sendo 143,8, e esta é a distância que é cobrada dos passageiros, mas em 1911, ao custo de $12.000.000, a Ferrovia Lacka-wanna concluiu o seu famoso atalho, eco-nomizando 11 milhas de distância. A partir do dia em que foi concluído o atalho os fer-roviários foram aquinhoados com 11 milhas a menos do que a que aparece na tabela, ou seja, uma distância reduzida para 132,8. "De Hoboken Ferry para Barclay Street Ferry, Nova York, são 2,0 "De Barclay Street Ferry para Fulton Ferry, Nova York, são 4.800 pés ou 0,9 "De Fulton Ferry, Nova York, para Fulton Ferry, Brooklyn, são 2.000 pés ou 0,4"

"De Fulton Ferry, Brooklyn, para Betel, são 1.485 pés ou 0,3"

A distância mais curta do local em que o lagar foi pisado pelos Pés Membros do Senhor, cuja direção e ajuda apenas, torna-ram possível este volume. João 6:60, 61; Mat.20:11.) 137,9 milhas.

...

De "qualidade" semelhante é o que o livro chama de "tradução corrigida de Jó 40:15 a 41:34, "com os respectivos comentários, apresentados nas páginas 84 a 86. Lá o livro de Jó fala do "beemote" e do "leviatã" (hoje entendidos pela Sociedade Torre de Vigia e por outros como referências ao hipopótamo e ao crocodilo). Eu recomendaria que primeiro fossem lidas as palavras tal como se encontram em Jó. Depois, analise esta "tradução corrigida" feita por "um dos seguidores do Pastor Russell" no livro O Mistério Consumado. Primeiro, sobre o "beemote" ele diz: (O que segue é uma tradução corrigida de Jó 40:15 a 41:34, com os respectivos comentários de um dos seguidores do Pastor Russell)


"Contempla agora um que tem grande calor [a máquina a vapor imóvel], que eu criei para estar contigo; ele consumirá forragem [turfa, madeira, carvão] como o gado. Olha agora, sua força está nos seus lombos [as chapas da caldeira], e seu poder está dentro das partes curvas [concha da caldeira] de seu ventre. Sua cauda [chaminé defronte à extremidade de abastecimento] se empina como o cedro; as junções de suas partes separadas [barras de conexão, bielas] são pregadas juntas. Seus ossos são tubos de cobre; seus ossos sólidos [barras da grelha] são como barras de ferro batidas com martelo. Ele é o principal dos meios de força. Aquele que o criou [o Senhor] pode fazer Sua espada [a Palavra] achegar-se [revelar-se] a ele. [Isa. 27:1, 2] Ele repousará sob fino abrigo [colunas de vapor] dentro de uma cobertura de juncos fibrosos [juta] e argila [almofariz]. Os salgueiros do vale [as árvores acima] o cercam. Contempla [como um sistema de captação de água], ele bebe um rio transbordante sem muito esforço; fará o povo confiar [que seus celeiros manter-se-ão secos], ainda que o Jordão se levante até sua boca. Ele o ajuntará em suas fontes por meio de armadilhas e com a narina perfurada.

...

O redator da Torre de Vigia dá em seguida esta explicação definindo "leviatã," não como uma máquina a vapor imóvel, tal como as que se utilizam nos moinhos e nas fábricas, mas como uma locomotiva:

...

"Puxarás para fora o leviatã [a locomotiva] com um anzol [engate automático] ou com um laço [pino de engate] prender-lhe-ás a língua [conexão de engate]? Acaso colocar-lhe-ás uma argola [pistão] nas narinas [cilindros] ou furar-lhe-ás as bochechas [pontas dos pistões] com uma vara [barra do pistão]?

Far-te-á ele repetidas súplicas [para que te afastes dos trilhos]? Acaso proferir-te-á ele sons suaves [quando faz guinchar o apito]? Fará ele um pacto contigo, para que o tomes como servo para sempre [sem consertos]? Brincarás com ele como se fosse um pássaro [fazendo-o apitar à vontade]? Ou o deixarás amarrado [escravizado] para tuas moças [de modo a levá-las aos piqueniques e congressos]?

Companheiros [os acionistas] regalar-se-ão com ele [os lucros]? Partilhá-lo-ão entre os especuladores? [Sal.74:14] Acaso encher-lhe-ás a pele de arpões [parafusos], e por-lhe-ás a cabeça numa cabina de pescadores [como as cabinas dos barcos de pesca]? Põe tua mão sobre ele, lembra-te da peleja [o furor da caldeira] e não mais farás pergunta alguma. Contempla sua confiança [a caldeira] sendo enganada [por não ter sido devidamente abastecida com água], não será sua poderosa imagem espalhada de uma vez [por uma explosão]? Ninguém há tão audaz que venha a incitá-lo [a correr à maior velocidade possível], e ninguém que lhe possa fazer frente [para atropelá-lo]. Quem competirá com este e resistir-lhe-á [ultrapassando-o nos trilhos]? Debaixo de todos os céus, ninguém, senão [alguém como] ele próprio.

"Não silenciarei a respeito de seus membros, nem da causa de suas forças poderosas, nem da beleza de seu equipamento. Quem poderá abrir-lhe as vestes? Quem poderá penetrar entre as dobras duras de seu escudo [as seções sobrepostas das chapas da caldeira]? Quem pode forçar as portas de seu escudo [extremidades da caldeira]? Os círculos de seus dentes [fileiras de rebites] são formidáveis. Sua força reside em fileiras de escudos [seções de chapas] bem encostados com um selo [vedados].

Estarão tão juntos uns aos outros que nem um sopro [vapor] passará entre eles. Colar-se-ão uns aos outros. Tão ligados uns aos outros ficarão que não poderão separar-se. Seus espirros [as lufadas dos cilindros] relampejam faíscas, torrentes de luz varam a massa de fumaça: e seus olhos [faróis] serão como as pestanas da aurora [os raios de luz do sol nascente]. De sua boca [boca da fornalha] saltarão tochas acesas, e [da chaminé] prorromperão centelhas incandescentes. De suas narinas [cilindros] irromperá o vapor como que de uma fundição ou caldeirão. Sua inalação [refluxo da chaminé] reavivará carvões acesos, e uma chama saltará de sua boca. Em seu pescoço reside a força, e diante dele festejará a desolação [tornando-se uma comunidade próspera]. As partes separadas de seu corpo ajuntar-se-ão; comprimir-se-ão todas contra ele; nada se move. Seu coração estará rijo como pedra, estará sólido como a mó de baixo [rocha]. Quando em sua plena velocidade, os mais bravos temerão [acidentes], perder-se-ão. Quando a seca o exalta [ou o torna furioso], não se pode deter; faz-se romper a abóbada curva [o forno], e também a couraça. Ele prezará o ferro como se fosse palha, e o latão como madeira apodrecida. O arqueiro não consegue pô-lo em fuga; projéteis [de guerra] virar-se-ão contra ele como refugo. O [batidas de um] martelo será prezado como um refugo; regozijar-se-á com os empurrões do foguista. Vigas lavradas [ou entalhadas] de artesão estarão por baixo dele; estenderá uma barragem sobre o lodo. Fará [como uma máquina marítima] das profundezas [lugares] uma panela fervente [sob seus propulsores]; fará o mar assemelhar-se a ungüento fervente. Fará a vereda brilhar após ele; pensar-se-á que a profundeza da terra se torna cinza. [Sal. 104:26; Isa. 27:1.] Sobre a terra nada há que se lhe assemelhe ? ele que é [tão] construído de modo que nada pode temer. Ele pode superintender [controlar por sua obra] tudo que é grandioso; é sem dúvida rei sobre todas as concepções de poder."

...

A profecia de Naum, capítulo 2, versículos 3 a 6, contém esta passagem (conforme reza a Versão Rei Jaime) dirigida contra a antiga cidade de Nínive:


O escudo dos seus poderosos torna-se vermelho, os homens valentes vestem escarlate; os carros estarão com tochas flamejantes no dia de seu aparelhamento, e vibrarão terrivelmente as lanças. Os carros troarão nas ruas, cruzarão uns com os outros pelas vias largas; parecerão tochas, correrão como os relâmpagos. Recontará seus valorosos; tropeçarão em seu caminho; apressar-se-ão para chegar ao próprio muro, e a defesa estará preparada. As comportas dos rios serão abertas, e o palácio se dissolverá.


Neste tão aguardado "Sétimo Volume," na página 93, o autor de O Mistério Consumado dá esta explicação acerca da passagem acima:

...


(18) Naum veio em seguida como um dos santos Profetas; e após profetizar no último versículo do capítulo anterior acerca da vinda do Rei com Sua boa nova de paz para a terra sobrecarregada de pecados, ele em seguida fala (Naum 2:3-6) sobre uma coisa interessante que será uma questão de costumeira experiência diária na época em que o Reino estiver estabelecido. Ele descreve uma composição ferroviária em movimento [não

um automóvel, como alguns pensam], e se fizermos o esforço de colocarmo-nos no lugar do Profeta, poderemos ver exatamente o que ele viu em sua visão e o que ele de modo tão interessante descreveu.

Primeiro, o Profeta fica olhando para a máquina que vem em sua direção, e então diz, "O escudo [o objeto à frente deste grande guerreiro ? o farol] torna-se rubro [brilha com força], os homens valentes [o maquinista e o foguista] são tingidos de escarlate [quando as chamas da fornalha iluminam o interior da cabina à noite, enquanto o foguista abre a tampa da fornalha para jogar carvão]. Os carros [os vagões do trem] estarão com [serão precedidos pelas locomotivas que, à noite, têm a aparência de] tochas ardentes, no dia da Preparação. A seguir, o Profeta toma seu lugar no trem e olha pela janela, e aparentemente, "Os abetos serão terrivelmente agitados [os postes de telégrafo ao longo dos trilhos parecem estar dançando um pouco]. Os carros enfurecer-seão nas ruas [uma ferrovia não passa de uma rua elaborada, cientificamente construída, ou uma rodovia], colidirão uns contra os outros nas vias largas [o chacoalhar e o ranger] dos vagões juntos é um dos aspectos mais significativos das viagens ferroviárias]. Assemelhar-se-ão a tochas [um comboio ferroviário à noite, correndo ao longo de um campo distante, parece nada mais que uma vasta tocha, correndo como se voasse], correrão como os relâmpagos." A seguir, o Profeta vê o condutor em busca de sua passagem e diz, "Ele recontará seus valorosos [o condutor passa quase todo o seu tempo contando e recontando os passageiros, conferindo-os, etc.]; tropeçarão em seu caminho [tentando andar num trem que se move rapidamente]; apressar-se-ão para chegar ao próprio muro [a próxima cidade ou vila] e a cobertura [o abrigo do trem, a estação] estará preparada [o carregador de bagagens, o conferente, carro postal, o ônibus do hotel, passageiros que embarcam, e amigos que lá estão para receber os passageiros que desembarcam, todos estarão lá aguardando o trem que chega]. As comportas dos rios serão abertas [as portas dos vagões serão abertas e as pessoas fluirão para fora] e o palácio [vagão] se dissolverá [se esvaziará]."

...


Em Revelação capítulo 19, versículo 10, lemos que, "dar-se testemunho de Jesus é o que inspira o profetizar." Sendo assim, o ‘recém entronizado Rei’ razoavelmente teria considerado com grande

interesse as explicações da profecia e as predições anunciadas nesta publicação, provenientes de uma organização que se proclama seu mensageiro escolhido, seu "canal" de informação. Em sua obra de julgamento ele naturalmente examinaria esta mensagem "oportuna," supostamente provinda de Deus, uma publicação oferecida a toda a humanidade no período de grande crise e sofrimento da Primeira Guerra Mundial. Conforme declara A Sentinela de 15 de março de 1978 (página 15):


"Sua fidelidade e sabedoria espiritual no serviço do Amo decidem seu merecimento de ser encarregada de todos os bens terrenos de seu Amo."


Os exemplos mostrados não são exceções. Basta ler o livro O Mistério Consumado para ver que eles são típicos da matéria encontrada no livro como um todo. Não são apresentados simplesmente para mostrar de que tolices incrivelmente imaginárias e não acho que o termo esteja aqui sendo mal aplicado ou injusto os homens são capazes quando têm o conceito religioso que estes autores tinham.

Eles são apresentados porque as Testemunhas lendo as alegações de clara superioridade da organização Torre de Vigia em "sabedoria espiritual" sobre todas as outras fontes religiosas de "alimento espiritual" daquele período têm ouvido uma versão muito tendenciosa. A maioria delas não têm absolutamente nenhum meio para investigar a realidade, já que as publicações da Torre de Vigia daquela época não estão disponíveis para elas. Deve-se recordar que, segundo a Sociedade Torre de Vigia, este foi um período de grande significado histórico e divino, tanto para a organização como para o mundo, um período crucial no qual estava em jogo a escolha da organização por Deus como Seu canal para toda a humanidade, estando isso dependendo enormemente do que o Amo encontraria ao inspecionar a alimentação que se produzia. Este livro teve um papel de destaque nessa história. A publicação de 1988, Revelação, Seu Grandioso Clímax Está Próximo! (página 165) descreve O Mistério Consumado como "um poderoso comentário sobre Revelação e Ezequiel"! Uma revisão do seu conteúdo força a pessoa a imaginar se o autor destas palavras chegou sequer a ler o livro ou a considerá-lo seriamente. Duvido muito que hoje a organização cogitasse de reimprimir um só capítulo, ou mesmo qualquer trecho dele que fosse. Isto mostrar-se-ia dolorosamente embaraçoso. E no entanto, o lançamento de O Mistério Consumado é com freqüência mencionado em publicações posteriores como um evento notável. Relata-se que o lançamento do livro para a "família de Betel" resultou numa "granada" que precipitou uma controvérsia que durou cinco horas. Em publicações posteriores da Torre de Vigia, o livro é apresentado como uma espécie de "prova decisiva" de lealdade para aquele período.

Foi a publicação do livro O Mistério Consumado que levou a julgamento, num tribunal federal, o presidente da Torre de Vigia, Rutherford, e outros encarregados da Sociedade, e à sua subseqüente prisão. Parece incrível que homens estivessem dispostos a suportar a perda da liberdade por causa de uma publicação tão repleta de matéria que só pode ser chamada de absurda. No entanto, a pena de prisão causada por esse livro foi mais tarde apresentada como acontecimento de grande importância profética, retratada por um lado, como a causa da morte injusta imposta às "duas testemunhas" descritas em Revelação 11: 3-7, e por outro, como algo relacionado com ‘partir para o cativeiro em

Babilônia, a Grande.’ Uma história oficial, As Testemunhas de Jeová no Propósito Divino (em inglês), na página 91, diz que em 1919 (quando veio sua alegada libertação de "Babilônia, a Grande") os "irmãos reconheceram que tinha havido uma transigência [em 1918] por se terem cortado as páginas 247-253 de O Mistério Consumado a fim de agradar àqueles que haviam assumido a posição de censor." A organização hoje, com efeito, cortou não somente aquelas páginas, mas o livro inteiro.


Assim mesmo, a ação então tomada é apresentada nesta história oficial como uma "transigência" que desagradou ao Rei recém-entronizado.

Na época em que Cristo Jesus estava supostamente designando a organização Torre de Vigia em virtude de ela ter distribuído de modo discreto e fiel o alimento espiritual no tempo certo, a principal conferência pública então proferida tinha o tema "Milhões Que Agora Vivem Jamais Morrerão." Este discurso foi primeiro proferido por J. F. Rutherford em 1918, continuou a ser apresentado no início dos anos 20 e foi também publicado em forma impressa. Lançou-se uma campanha mundial, toda centralizada neste tema. As publicações da Terra de Vigia de tempos mais recentes ainda falam desse assunto em termos favoráveis, descrevendo o alcance e a intensidade da campanha, os milhões de cópias da conferência que foram distribuídos e referindo-se a ela como um "espantoso discurso," uma "conferência bíblica que marcava época." A publicação de 1988, Revelação, Seu Grandioso Clímax Está Próximo! (página 173) a alista como estando relacionada com o toque da segunda das "sete trombetas" mencionadas em Revelação capítulo 8, versículo 6.




Final da citação de Raymond Franz


********************************************************


Quadros proféticos bem centrados nos EUA e no estilo da Torre de Vigia, não concorda o leitor? Mas não era para ser? Afinal de contas, de algum modo, para o suposto "escravo (in)fiel e (in)discreto", "God Lives in Brooklyn".
LIBERTOS!
Participe! Envie seu artigo para indicetj@yahoo.com
O INDICETJ.COM não comercializa publicações, filmes ou qualquer outro tipo de arquivo.

Voltar para o conteúdo