Beth-Shan: Bunker das Testemunhas de Jeová na Califórnia - INDICETJ.COM Escandalo sobre Testemunhas de Jeova

Ex-Testemunha de Jeová
publica mais de 1.000 artigos críticos!
Ir para o conteúdo
1
2
3
4
5
6

O que as Testemunhas de Jeová
não querem que saibamos acerca de Beth-Sarim

Kent Steinhaug
Segredo de Beth-Shan
Beth-Shan em 1945, pouco depois de ter sido vendida pela Watchtower Society.
(Foto a preto e branco cortesia de Edmond C. Gruss. A cor foi adicionada utilizando o computador.)

A maioria das pessoas que estudaram a história da Watchtower Society (Testemunhas de Jeová) ouviram falar de Beth-Sarim, uma mansão em estilo espanhol que a Sociedade construiu em 1929 em San Diego, Califórnia, cuja escritura foi feita em nome de Abraão, Isaque, Jacó e outros "príncipes" do Velho Testamento. Muitas pessoas, contudo, nunca ouviram falar da casa Beth-Shan, construída pela Sociedade em 1939, dez anos depois de Beth-Sarim, numa propriedade adjacente. Beth-Shan, que significa "Casa da Segurança" em Hebraico, era literalmente uma casa de segurança -- a única maneira de lá chegar era através de um caminho de terra batida que estava guardado e bloqueado por um portão. Também tinha dois abrigos secretos contra bombas para proteger os inquilinos de Beth-Shan e Beth-Sarim (como J. F. Rutherford, o segundo presidente das Testemunhas de Jeová). Parece que a Sociedade queria manter em segredo essa residência e chegou a abafar a sua existência. A Sociedade só mencionou Beth-Shan uma vez na sua literatura. Como resultado disto, não se sabia quase nada acerca de Beth-Shan até investigações recentes de Edmond Gruss e Leonard Chretien terem posto a descoberto alguns dos seus segredos bem guardados. A história de Beth-Shan revela ainda a mentalidade, os métodos e as expectativas falhadas dos líderes das Testemunhas de Jeová durante a Segunda Guerra Mundial.


Beth-Sarim
Em 1929 a Watchtower Society construiu uma mansão em estilo espanhol, em San Diego, Califórnia, conhecida como Beth-Sarim ou "casa dos príncipes" em Hebraico. O "Juiz" J. F. Rutherford, o segundo presidente da Sociedade, viveu nessa mansão nos meses de inverno até à sua morte, em 8 de Janeiro de 1942. Rutherford e a Sociedade mantinham a casa e a propriedade adjacente registadas "em nome" dos "príncipes" do Velho Testamento, para quando eles regressassem à Terra. A escritura pública da propriedade e da residência foi feita em nome destes indivíduos do Velho Testamento. Nenhum dos indivíduos mencionados na escritura como sendo os detentores legais da propriedade (como Abraão) apareceu em Beth-Sarim para reclamá-la, embora a Sociedade tenha dito muitas vezes nos seus livros e revistas que o regresso deles era esperado "a qualquer momento." A Sociedade vendeu a propriedade e a residência em 1947. (The Watchtower, 15 de Dezembro de 1947, p. 382.) Houve pelo menos um sujeito que se apresentou como sendo o rei David do Velho Testamento e, portanto, o proprietário legal de Beth-Sarim. Contudo, Rutherford não acreditou neste "vagabundo com a barba por fazer" (como Rutherford lhe chamou). (San Diego Sun, 9 de Janeiro de 1931, p. 15.)

Rutherford pediu para ser sepultado em Beth-Sarim, mas isto não foi permitido. A Sociedade começou a construir uma cripta (túmulo) para Rutherford mesmo abaixo de Beth-Sarim pouco antes da sua morte. Depois de as autoridades locais terem recusado a autorização para se fazer o túmulo neste sítio, a Sociedade propôs um segundo local que ficava na propriedade de Beth-Shan, que era adjacente a Beth-Sarim. Também este segundo local foi recusado pelas autoridades. Até hoje há quem diga que apesar destas proibições Rutherford foi secretamente sepultado em Beth-Sarim ou Beth-Shan, embora a Sociedade tenha declarado nos livros que os restos mortais de Rutherford foram enviados para Brooklyn, para serem enterrados.

Escusado será dizer que o episódio Beth-Sarim por vezes tornou-se uma fonte de ridículo e embaraço para as Testemunhas de Jeová. A Watchtower publicou muitos artigos e declarações acerca de Beth-Sarim que os opositores usaram contra a Sociedade. A Sociedade sentiu a necessidade de mencionar o episódio Beth-Sarim no livro em que conta a sua história, intitulado Testemunhas de Jeová -- Proclamadores do Reino de Deus (pp. 76 e 89), embora tenham deixado de fora pormenores embaraçosos e a descrição que fazem seja um tanto enganadora. É curioso que a Sociedade não tenha dito nada acerca da casa e da propriedade chamada Beth-Shan, que era pelo menos tão importante como Beth-Sarim, mas ainda maior. Mesmo investigadores e críticos da Sociedade desconheciam Beth-Shan e a sua importância até recentemente. Edmund C. Gruss, com a colaboração de Leonard Chretien nas investigações, descobriram alguns dos segredos de Beth-Shan. O resultado das investigações deles pode ser visto no livro de Gruss recentemente editado, intitulado Jehovah's Witnesses: Their Monuments of False Prophecy [Os Monumentos às Falsas Profecias das Testemunhas de Jeová].

Beth-Shan: A Casa da Segurança
Beth-Shan tinha uma casa ainda maior do que Beth-Sarim, construída na "propriedade de cem acres" (Consolation, 27 de Maio de 1942, p. 3.) que a Sociedade possuía em San Diego. Foi construída em 1939, dez anos depois de Beth-Sarim. A residência de Beth-Shan era um local secreto que a Sociedade só mencionou uma vez na sua literatura. Foi vendida em 1945, apenas seis anos depois de ter sido construída. Por que é que foi construída?
Beth-Shan tinha uma casa ainda maior do que Beth-Sarim
Esta fotografia das residências em Beth-Shan foi tirada depois da sua venda em 1945. O edifício à direita é a residência principal de Beth-Shan. O edifício comprido, à esquerda do largo em forma de saco, é o "estábulo das cabras" que tinha um abrigo secreto contra bombas (a residência principal tinha outro abrigo). A pista de aterragem no canto superior esquerdo não foi construída pela Sociedade, foi construída por Bruster Gillies em 1945 depois de ter comprado a propriedade à Sociedade. (A fotografia é cortesia de Edmond Gruss.)
vista aérea de Beth-Shan
Uma vista aérea de Beth-Shan em 1945, para sul. Pode-se ver aqui a estrada de terra batida original, que era o único acesso à residência. A estrada larga que se pode ver em primeiro plano é a pista de aterragem que Bruster Gillies construiu ali depois de ter comprado a propriedade à Sociedade em 1945. (A fotografia é cortesia de Edmond Gruss.)
A Escritura de Beth-Shan
As escrituras da casa e da propriedade de Beth-Shan foram feitas, tal como Beth-Sarim, em nome de Abraão, de David e dos outros "príncipes" do Velho Testamento. Ao ler a escritura pública de Beth-Shan, fica-se com a impressão de que é simplesmente Beth-Sarim, parte 2, pois as duas escrituras são muito similares. Ambas as residências eram confiadas à guarda dos líderes da Watchtower Society enquanto os "príncipes" do Velho Testamento não chegavam. (Livro 1075, pp. 42, 43, County Recorder; Edmond C. Gruss e Leonard Chretien, Jehovah's Witnesses: Their Monuments to False Prophecy [Os Monumentos às Falsas Profecias das Testemunhas de Jeová], 1997, pp. 67-69, 250, 251 (abreviadamente: Monuments).

O único comentário conhecido da Sociedade acerca de Beth-Shan
Conforme foi dito acima, a Sociedade só mencionou Beth-Shan uma vez na sua literatura. Foi na revista Consolação (agora chamada Awake! [Despertai!]). No longo artigo acerca das batalhas relacionadas com o pedido de sepultamento de Rutherford, diz-se que o segundo local proposto para a sepultura ficava na propriedade Beth-Shan:

O juiz decidiu continuar o caso, de forma que o novo local pudesse ser levado perante a Comissão de Planeamento... o segundo terreno era um local próprio para se fazer nele um sepultamento.... A Comissão de Planeamento, que deliberou durante mais de duas semanas, investigando o local, foi trazida perante o tribunal e recusou que no local se fizesse um cemitério.... A nova localização para o enterro ficava quase no centro da propriedade conhecida como Beth-Shan, que ocupa cerca de 75 acres de canyon e planaltos, adjacente a Beth-Sarim mas separada por meia milha de canyon. Esta propriedade, também pertença da WATCHTOWER, tem um edifício pequeno, outro grande, algumas dependências e tem algumas árvores de fruto e outros pedaços de terra que ocupam cerca de sete acres ao todo, e cerca de 65 acres de mata não desbravada, que ou é muito íngreme, ou rochosa, ou inacessível para poder ser utilizada.... O Juiz Rutherford, numa discussão antes de morrer, tinha dito que como segunda escolha desejava ser enterrado algures nestas terras selvagens. Para que nenhuma das objeções feitas ao primeiro local, perto de Kensington Heights, fosse levantada novamente, pediu-se que apenas fosse dada autorização para um cemitério de dez pés quadrados. O local era também inacessível exceto por uma estrada privada com meia milha de comprimento e fechada por um portão. (Consolation, 27 de Maio de 1942, p. 9.)

Esta referência a Beth-Shan (a única que se conhece) foi feita ao tentarem mostrar a razoabilidade do segundo local que pediram para a sepultura de Rutherford, num cemitério-de-um-homem-só numa área residencial exclusiva. Eles sublinharam que o local estava quase no centro de 75 acres de "terra de canyon e planaltos," sendo que 65 destes acres eram "mata não desbravada, que ou é muito íngreme, ou rochosa, ou inacessível para poder ser utilizada." Eles disseram ainda que estas "terras selvagens" eram "inacessíveis exceto por uma estrada privada com meia milha de comprimento e fechada por um portão." Segundo Fred Eason, que mais tarde comprou parte da propriedade e edifícios de Beth-Shan, a estrada em terra batida que só era acessível por um portão, também estava guardada por Testemunhas de Jeová, portanto pessoas não autorizadas não podiam entrar. Ele encontrou pela primeira vez o edifício que a Sociedade tinha em Beth-Shan quando estava à procura da "Gruta de Young," um conjunto de grutas ou túneis que existiam naquela área, feitos pelo homem. Ele foi "repelido" por "vários homens a cavalo" e observou o edifício de Beth-Shan a partir de um sítio diferente do planalto do canyon. (Entrevistas telefônicas entre Edmond Gruss e Fred Eason, 3 de Dezembro de 1996 e carta datada de 12 de Dezembro de 1996 de Eason para Gruss. Gruss, p. 70. Monuments, p. 70.)

Estes fatos levam-nos a perguntar porque é que a Sociedade achou necessário ou apropriado comprar esta propriedade praticamente "inacessível," porque é que construiu nela duas "residências" e porque é que tentou manter tudo isto no maior dos segredos (se excetuarmos a misteriosa referência citada anteriormente), chegando mesmo ao ponto de pôr guardas e um portão na única estrada que permitia chegar lá. Parece que eles até tentaram esconder o que estavam a fazer quando circularam rumores entre as Testemunhas de Jeová acerca da existência de Beth-Shan, no princípio dos anos 40 (veja a seção "Falsos Relatórios," abaixo).

A resposta que me parece mais razoável é esta: a propriedade e residência de Beth-Shan eram o que agora se chama um "complexo da seita" [abrigo para os líderes da seita]. Muitas seitas nos Estados Unidos, acreditando que o Armagedom está prestes a rebentar e que o seu pequeno grupo estará no centro dos acontecimentos, constróem abrigos bem guardados em locais remotos e dificilmente acessíveis, não o fazem em áreas metropolitanas como Los Angeles ou Nova Iorque (a sede mundial da Watchtower Society está situada em Brooklyn, Nova Iorque). Eles acreditam que o Armagedom envolverá guerra por todo o mundo, talvez guerra nuclear, e aqueles grupos que acreditam que só o seu pequeno grupo sobreviverá têm tendência para construir abrigos contra bombas para proteger os seus seguidores ou pelo menos os seus líderes que no fim da guerra emergirão como líderes da Nova Terra. As grandes áreas metropolitanas serão as primeiras a desaparecer, por isso eles fogem para as montanhas e para os desertos, por vezes construindo lá residências subterrâneas. Existem alguns indícios de que Beth-Shan poderá ter tido um propósito similar: as declarações da Sociedade a respeito da proximidade do Armagedom e de fomes, a inacessibilidade de Beth-Shan, o segredo de que eles rodearam o local, tentando esconder a existência e propósito do local e o fato de existirem em Beth-Shan dois abrigos contra bombas.

O abrigo contra bombas de Beth-Shan
O edifício principal na propriedade de Beth-Shan, referido como "residência grande" na revista Consolation de 27 de Maio de 1942, tinha um abrigo secreto contra bombas como "cave." (Gruss, p. 74) Tinha 10 por 20 pés com muitas prateleiras para armazenar coisas.

O segundo abrigo contra bombas: no "estábulo das cabras"
Outro edifício, um "estábulo das cabras," também tinha um abrigo secreto contra bombas. Trata-se de um edifício comprido, aparentemente usado para guardar cabras. Nas traseiras do edifício existia uma casa de banho. Fred Eason comprou 30 acres da propriedade de Beth-Shan, incluindo o estábulo das cabras. Numa carta para Ed Gruss, ele escreveu acerca deste abrigo contra bombas:

Para entrarmos no abrigo temos de ir à pequena área da casa de banho, nas traseiras do edifício, abrir o armário dos medicamentos e puxar uma alavanca que está escondida lá dentro. Uma seção da parede afastava-se, pondo à mostra umas escadas que desciam para o que só pode ser identificado como sendo um abrigo contra bombas -- um quarto com cerca de 30 por 30 pés, com o tecto a 10 pés de altura. As paredes estavam forradas com prateleiras para armazenar coisas. O tecto de cimento do quarto tinha 3 pés de espessura! (Monuments, p. 75.)

Gruss observou no seu livro Monuments:

Uma pessoa podia ir à casa de banho sem notar que o abrigo estava mesmo ali perto. Quando foi construída uma casa na propriedade, em 1967, teve-se o cuidado de deixar o abrigo intacto e este ainda existe hoje. (Ibid, p. 75.)

O abrigo do estábulo das cabras foi redescoberto nos anos 60, quando a terra foi remexida por tratores [bulldozers]. (Veja esta foto aérea da residência Beth-Shan, que estava a ser desenvolvida nos anos sessenta, revelando o "tecto" do abrigo.)
redescoberto nos anos 60
Vista aérea de Beth-Shan, para sul. Fotografia tirada a 19 de Maio de 1963. O nivelamento do chão da propriedade em redor de Beth-Shan pôs a descoberto a parte superior do abrigo contra bombas do "estábulo das cabras" (indicado pela seta a preto). (A fotografia é cortesia de Edmond Gruss.)
O edifício pequeno junto da residência principal de Beth-Shan
Vista aérea de Beth-Shan e do abrigo contra bombas no "estábulo das cabras." Nesta fotografia pode ver-se o tecto do abrigo contra bombas do "estábulo das cabras" posto a descoberto. O edifício pequeno junto da residência principal de Beth-Shan é a cabana dos guardas que foi deslocada da sua localização original (perto do estábulo das cabras) para este local. (A fotografia é cortesia de Edmond Gruss.)
Estes abrigos contra bombas e o modo à la 007 como se entrava neles revelam a forma absolutamente secreta e paranóica como a Sociedade encarava a residência Beth-Shan.

Paranóia do Armagedom
Parece que a razão para a Sociedade ter comprado a propriedade Beth-Shan e ter incorporado abrigos contra bombas nos seus edifícios foi a "nova luz" de Jeová Deus a respeito da iminência do Armagedom e do que isso traria. Em 1938, Rutherford começou a fazer discursos e a escrever artigos para a revista Watchtower, declarando que o Armagedom estava tão perto que não era aconselhável casar e ter filhos. Um artigo da revista Golden Age [A Idade de Ouro] declarou que até mesmo fazer sexo estava fora de questão já que era uma atividade promovida por Satanás! (Raines, Ken, "WWII: Armageddon Soon!," JW Research, Primavera, 1995, pp. 18-23.) Também de 1938 em diante, Rutherford declarou que a Hierarquia Fascista/Católica Romana liderada por uma "associação totalitária" estava naquela altura em existência e controlaria em breve a Inglaterra e a América, bem como outras grandes potências mundiais:

Quando a associação Católica totalitária conseguir o controlo das Ilhas Britânicas, e é certo que isto acontecerá mesmo, acabarão todas as liberdades do povo.... O que acontecerá quando todas as nações se tornarem totalitárias?.... A associação totalitária assumirá o controlo da Inglaterra e da América. Você não o pode impedir. Não tente. (Rutherford, J. F., Face the Facts [Encare os Fatos], 1938, pp. 20, 21, 27.)

Em 1941, começando com o seu discurso intitulado "Confortem Todos os que Pranteiam," Rutherford proclamou que Jeová Deus estava a revelar-lhe (através de anjos que transmitiam pensamentos à sua mente, de forma inaudível) a correta interpretação do livro bíblico Daniel, capítulo 11. Os dois "reis" ali descritos estavam naquela altura na Terra, cumprindo esta profecia. Esta idéia foi desenvolvida na série de artigos que apareceu nas Watchtowers de 15 de Setembro e 15 de Dezembro de 1941, intitulada "O Fim do Domínio dos Demônios" e que faz parte dos últimos textos que o "Juiz" escreveu:

Jeová revelou ao seu povo que o "tempo do fim" começou em 1914.... Agora o Senhor revela ao seu povo o significado da profecia de Daniel.... O Senhor revelou ao seu povo a identidade dos dois "reis" que estão agora a lutar pelo domínio do mundo... (The Watchtower, 1.º de Dezembro de 1941, p. 355.)

Quanto ao resultado final, Jeová fez com que aparecesse claramente e a WATCHTOWER compreende... (The Watchtower, 1.º de Dezembro de 1941, p. 360.)

Que a batalha do grande dia do Deus Todo Poderoso acabará com o domínio dos demônios.... Assim, o domínio da Hierarquia Nazi-Fascista acabará para sempre e isso assinalará o fim do domínio dos demônios. É nos dias destas potências ditatoriais... que o Deus do céu fará com que entre em ação este reino, A TEOCRACIA. (The Watchtower, 15 de Dezembro de 1941, p. 376, 377.)

A Próxima Guerra: fomes e gás venenoso
Conforme documentei noutro artigo, nas décadas de 1920 e 1930 a Watchtower Society acreditava que a "próxima guerra" levaria ao Armagedom e resultaria na Teocracia, ou Reino de Deus na Terra. Eles acreditavam que essa seria uma guerra travada principalmente ou exclusivamente no ar, com gás venenoso e bombas de bactérias (micróbios) que acabariam com a maior parte da vida na Terra. Por exemplo, eles disseram:

... a próxima guerra será a conclusão [da Primeira Guerra Mundial] e isso representará uma aniquilação! Haverá veneno e explosões por todo o lado, sob a abóbada celeste... Será espalhado mecanicamente veneno para a frente e para trás, por aviões não tripulados, subindo à atmosfera e descendo à terra. (The Golden Age, 21 de Abril de 1926, p. 455.)

Os centros da civilização, compactos, densamente povoados e altamente industrializados, serão ensopados com gases, levarão um banho de fogo líquido e serão semeados com bactérias. Incêndios inextinguíveis espalharão pelo céu um cobertor de fumo.... Talvez tenha sido feita uma preparação prévia sob a forma de elaborados túneis subterrâneos e quartos, em antecipação a este tempo aflitivo. (The Golden Age, 2 de Junho de 1926, p. 551.)

Parece que a Watchtower Society fez os seus próprios preparativos para esta futura calamidade ao construir Beth-Shan (Casa da Segurança) com dois abrigos contra bombas. Talvez a "Gruta de Young," com os seus numerosos túneis subterrâneos, tenha sido um fator decisivo na decisão da Sociedade de comprar aquela propriedade!

A razão para as prateleiras de armazenamento de produtos nos abrigos contra bombas é esta: eles acreditavam que grandes fomes ocorreriam em breve por todo o mundo, incluindo os Estados Unidos. Isto também foi mencionado nos artigos intitulados "O Fim do Domínio dos Demônios":

É certo que uma grande fome afligirá as nações da Terra num futuro muito próximo. Os Estados Unidos também estão destinados a ter muito sofrimento.... os Estados Unidos estão confrontados com um desastre mundial que agora é iminente e está prestes a abater-se sobre nós... (The Watchtower, 15 de Novembro de 1941, p. 343.)

Falsos Relatórios?
Parece que se espalharam rumores (coisa que é muito comum entre as Testemunhas de Jeová) acerca desta residência secreta e a Watchtower tentou abafar o assunto ao publicar este anúncio na The Watchtower:

FALSOS RELATÓRIOS?

Alguma pessoa pouco credível é responsável pela circulação de um relato segundo o qual Beth-Sarim está a ser ampliado como um lugar de segurança e que isso está a ser construído pela Sociedade. Não existe absolutamente nenhuma ponta de verdade nesse relatório. Aqueles que estão interessados na Teocracia fariam melhor em circular a mensagem do reino em vez de estarem a circular falsas imaginações de outros. (The Watchtower, 1.º de Junho de 1940, p. 162.)

Pode ser tecnicamente verdade que Beth-Sarim não estava a ser ampliada como um lugar de "segurança," mas a "propriedade de cem acres" na qual Beth-Sarim estava construída estava a ser ampliada. De fato, Beth-Shan significa "Casa de Refúgio" ou "Casa de SEGURANÇA," portanto o desmentido acima citado não passa de uma tentativa de dissimulação, ou mesmo uma mentira descarada.

Foi a Sociedade que espalhou "falsas imaginações" acerca do regresso iminente dos "príncipes." Foram eles que disseram aos seus seguidores não só que adiassem o casamento e filhos, mas até mesmo o sexo, porque faltavam apenas alguns "meses" até ao Armagedom. Mas o Armagedom não veio alguns meses depois, nem sequer algumas décadas mais tarde. Beth-Shan foi vendida apenas cerca de seis anos depois de ter sido construída, portanto eles próprios abandonaram rapidamente as suas "expectativas." Beth-Sarim também foi vendida uns dois anos mais tarde. Abraão e os outros personagens bíblicos não apareceram. Se eles alguma vez regressarem, os líderes da Sociedade não estarão lá para cumprimentá-los. Eles abandonaram o local há quase meio século. Portanto Beth-Shan foi um "monumento às falsas profecias," como Ed Gruss lhe chamou. Para mim é ainda mais sério este fato: Se anjos foram responsáveis por terem dado a Rutherford estas "falsas imaginações," a Sociedade estava, por definição, sob a direção de espíritos mentirosos. Os líderes da Sociedade e os espíritos que os informaram mostraram que são "pouco credíveis."

Parece que afinal as "pessoas pouco credíveis" foram os líderes da Sociedade, porque espalharam um "falso relato" na revista The Watchtower acerca de Beth-Shan, a "casa da segurança" deles, para encobrir as suas atividades secretas. O que aconteceu realmente é que eles estavam a construir uma casa de segurança na propriedade adjacente a Beth-Sarim. Talvez eles achassem que era importante manter a sua "casa da segurança" secreta para que não fosse um alvo fácil quando viesse a guerra. Seja como for, eles negaram a verdade sobre este assunto ao seus seguidores crédulos. As Testemunhas de Jeová ainda hoje desconhecem completamente que Beth-Shan tenha alguma vez existido. Tanto quanto sei, a Sociedade manteve um silêncio absoluto sobre Beth-Shan desde 1942. Mas agora a verdade sobre o abrigo contra bombas que os líderes da Watchtower construíram está à vista de todos.

Portanto, não os temais [Deuteronômio 18:20-22!]; pois não há nada encoberto que não venha a ser descoberto e não há nada secreto que não venha a ser conhecido. -- Jesus (Mateus 10:26)




Agradecimentos
Este estudo baseia-se na pesquisa de Edmond Gruss, um autor muito conhecido de livros acerca das relações entre Testemunhas de Jeová (e outras seitas) e o ocultismo. O livro recente de Gruss, intitulado Jehovah's Witnesses: Their Monuments to False Prophecy [Os Monumentos às Falsas Profecias das Testemunhas de Jeová], escrito com a ajuda de pesquisas feitas por Leonard Chretien, tem um capítulo acerca deste assunto e inclui muitas fotografias, a escritura pública de Beth-Shan, etc. As fotografias incluídas neste artigo são cortesia de Edmond Gruss. Gruss também escreveu dois artigos que serão publicados no Christian Research Journal. Um deles, acerca de Beth-Sarim, sairá na edição do Verão de 1997 e outro, acerca de Beth-Shan, sairá na edição do Outono de 1997.


LIBERTOS!
Participe! Envie seu artigo para indicetj@yahoo.com
O INDICETJ.COM não comercializa publicações, filmes ou qualquer outro tipo de arquivo.

Voltar para o conteúdo