Chamada celestial - quando terminou - INDICETJ.COM Escandalo sobre Testemunhas de Jeova

Ex-Testemunha de Jeová
publica mais de 1.000 artigos críticos!
Ir para o conteúdo
1
2
3
4
5
6


CHAMADA CELESTIAL - QUANDO TERMINOU?



Livro Proclamadores do Reino de Deus, capítulo 28, página 632

"Arrazoava-se também que o fim do favor especial de Deus ao Israel natural até 36 EC pudesse apontar para 1881 como a época em que a oportunidade especial de tornar-se parte do Israel espiritual terminaria."

 


 
A Sentinela de 1/5/07, páginas 30 e 31

Perguntas dos Leitores
Quando termina a chamada de cristãos para a esperança celestial?

A Bíblia não dá uma resposta precisa a essa pergunta. Sabemos que a unção dos discípulos de Jesus, com o objetivo de receberem uma herança celestial, começou em 33 EC. (Atos 2:1-4) Sabemos também que, depois da morte dos apóstolos, o “trigo”, os genuínos cristãos ungidos, passou a ‘crescer junto’ com o “joio”, os falsos cristãos. (Mateus 13:24-30) Então, a partir do final do século 19, os cristãos ungidos passaram a estar novamente ativos de modo notável. Em 1919 começou “a colheita da terra”, que inclui o ajuntamento dos últimos ungidos. — Revelação (Apocalipse) 14:15, 16.
 

 
Do final do século 19 até 1931, a obra de pregação se concentrava em ajuntar os últimos membros do corpo de Cristo. Em 1931, os Estudantes da Bíblia adotaram o nome bíblico de Testemunhas de Jeová, e no número de 15 de novembro de 1933 de A Sentinela (em inglês) foi expresso o conceito de que esse nome especial era o “denário” mencionado na parábola de Jesus registrada em Mateus 20:1-16. Acreditava-se que as 12 horas mencionadas na parábola correspondiam aos 12 anos entre 1919 e 1931. Por muitos anos depois disso, acreditava-se que a chamada para o Reino celestial tinha terminado em 1931 e que os que foram convidados para ser herdeiros com Cristo em 1930 e 1931 eram os “últimos” a serem chamados. (Mateus 20:6-8) No entanto, em 1966 foi apresentado um novo entendimento da parábola, e ficou claro que ela nada tinha a ver com o encerramento da chamada dos ungidos.

Em 1935, entendeu-se que a “grande multidão” de Revelação 7:9-15 era composta de “outras ovelhas”— cristãos com esperança terrestre — que surgiriam nos “últimos dias” e que como grupo sobreviveriam ao Armagedom. (João 10:16; 2 Timóteo 3:1; Revelação 21:3, 4) Depois daquele ano, a obra de fazer discípulos passou a se concentrar no ajuntamento da grande multidão. Assim, especialmente depois de 1966, acreditava-se que a chamada celestial havia terminado em 1935. Isso pareceu confirmar-se pelo fato de que quase todos os que foram batizados depois de 1935 professavam ter esperança terrestre. Achava-se que toda chamada celestial depois desse ano seria para substituir algum cristão ungido que se tornara infiel.

Realmente, se um ungido abandona a verdade e não se arrepende, Jeová chama outra pessoa para tomar seu lugar. (Romanos 11:17-22) Contudo, o número de verdadeiros ungidos que se tornam infiéis provavelmente não é muito grande. Por outro lado, com o passar dos anos, alguns cristãos que se batizaram depois de 1935 receberam do espírito santo o testemunho de que têm a esperança celestial. (Romanos 8:16, 17) Sendo assim, parece que não podemos especificar uma data para o fim da chamada de cristãos para a esperança celestial.

Como deve ser encarado alguém que, na época atual, passa a ter no coração a convicção de que é um dos ungidos e começa a tomar os emblemas da Comemoração? Ele não deve ser julgado ou criticado. O assunto é entre ele e Jeová. (Romanos 14:12) Mas, ao mesmo tempo, os verdadeiros cristãos ungidos não exigem atenção especial. Não acham que o fato de serem ungidos lhes dá maior “perspicácia”, além daquela que até mesmo alguns membros experientes da grande multidão talvez tenham. Não acham que têm necessariamente mais espírito santo do que seus companheiros das outras ovelhas; não esperam receber tratamento especial nem acham que o fato de tomar os emblemas os coloca acima dos anciãos da congregação. Humildemente se lembram de que alguns homens ungidos no primeiro século não se qualificaram para servir como anciãos e servos ministeriais. (1 Timóteo 3:1-10, 12, 13; Tito 1:5-9; Tiago 3:1) Alguns cristãos ungidos até mesmo ficaram espiritualmente fracos. (1 Tessalonicenses 5:14) E as irmãs, embora ungidas, não ensinavam na congregação. — 1 Timóteo 2:11, 12.

Assim, tanto os cristãos ungidos como seus companheiros das outras ovelhas se empenham para manter-se espiritualmente fortes, cultivando os frutos do espírito e trabalhando para a paz da congregação. Todos os cristãos, quer ungidos, quer das outras ovelhas, trabalham arduamente sob a orientação do Corpo Governante para pregar as boas novas e fazer discípulos. Os cristãos ungidos terão prazer em fazer isso enquanto for a vontade de Jeová que permaneçam na Terra como seus servos.
 
 


LIBERTOS!
Participe! Envie seu artigo para indicetj@yahoo.com
O INDICETJ.COM não comercializa publicações, filmes ou qualquer outro tipo de arquivo.

Voltar para o conteúdo