Pergunta "dos leitores" sobre frações de sangue - uma análise da resposta - INDICETJ.COM - Escandalo sobre as Testemunhas de Jeova

Ex-Testemunha de Jeová
publica mais de 1.000 artigos críticos!
Ir para o conteúdo
1
2
3
4
5
6

Pergunta "dos leitores" sobre frações de sangue - uma análise da resposta

Em fundo vermelho, a publicação das Testemunhas de Jeová.

A Sentinela de 15 de junho de 2004, páginas 29, 30 e 31.


Perguntas dos Leitores

As Testemunhas de Jeová aceitam quaisquer frações menores do sangue?

A resposta a seguir é uma reimpressão do artigo publicado no número de 15 de junho de 2000.

A resposta básica é que as Testemunhas de Jeová não aceitam sangue. Acreditamos firmemente que a lei de Deus sobre o sangue não pode ser alterada para adaptar-se a conceitos que sempre mudam. Contudo, o fato de o sangue atualmente poder ser processado em quatro componentes primários e em frações desses componentes tem gerado novas questões.
Imagine que eu te perguntasse se você aceita praticar algo um pouco imoral e você me dissesse: a resposta básica é que eu não aceito imoralidade, contudo já que agora é possível dividir a imoralidade em 4 partes básicas e em frações dessas, se for apenas "um pouquinho" de imoralidade, "uma fração", eu topo. Em certos casos, não pode existir uma resposta "básica" , ou sim ou não. Se pergunto: você mataria alguém? e você me diz: A resposta básica é não. Neste caso, fica subentendido que existe uma possibilidade de você matar, não está totalmente descartada a ideia.
Ao decidir se deve ou não aceitar a tais, o cristão não deve pensar apenas nos possíveis benefícios e riscos médicos. Ele deve estar preocupado com o que a Bíblia diz e com o efeito de sua decisão sobre sua relação com o Deus Todo-Poderoso.
Em parte alguma da Bíblia se menciona sobre “componentes primários e componentes secundários” do sangue. Por isso, não há porque o cristão se preocupar com o que a Bíblia diz sobre isso. Na verdade, a maioria teme o efeito de sua relação com a Organização e não sua relação com Deus.
As questões principais são bem simples. Para entender porque isso é assim, considere o fundo bíblico, histórico e médico. Jeová Deus disse a nosso ancestral em comum, Noé, que o sangue devia ser tratado como algo especial. (Gênesis 9:3, 4)
Se lermos o restante dos textos de gênesis notaremos que junto com a lei do sangue Deus também ordenou que eles deveriam ser fecundos e tornar muitos e encher a terra, não ordenou? Logo, se eles realmente tem que seguir aquelas antigas orientações porque usam métodos anticoncepcionais?
Posteriormente, as leis dadas por Deus à nação de Israel refletiram a santidade do sangue: “Quanto a qualquer homem da casa de Israel ou algum residente forasteiro . . . que comer qualquer espécie de sangue, eu certamente porei minha face contra a alma que comer o sangue.” Por rejeitar a lei de Deus um israelita poderia corromper outros. Por isso, Deus acrescentou: “Deveras o deceparei dentre seu povo.” (Levítico 17:10)
Como é possível comparar alimentar-se de (digerir) sangue com fazer um transplante de um componente "primário" do sangue? Mas a frente a própria Bíblia mostra que Deus não era tão radical assim em relação a quem comesse sangue. Veja 1 Samuel 14:31-35:

31 E naquele dia continuaram a golpear os filisteus desde Micmás até Aijalom, e o povo ficou muito cansado. 32 E o povo começou a lançar-se avidamente sobre o despojo e a tomar ovelhas, e gado vacum, e vitelos, e os abateram no chão, e o povo foi comer junto o sangue. 33 Contaram-no, pois, a Saul, dizendo: “Eis que o povo está pecando contra Jeová, comendo junto o sangue.” A isso ele disse: “Agistes traiçoeiramente. Em primeiro lugar, rolai para cá a mim uma grande pedra.” 34 Depois, Saul disse: “Espalhai-vos entre o povo, e tendes de dizer-lhes: ‘Trazei a mim, cada um de vós, seu touro e, cada um, seu ovídeo, e tendes de fazer o abate neste lugar, bem como o comer, e não deveis pecar contra Jeová por comer junto o sangue.’” Por conseguinte, todo o povo trouxe perto, cada um, seu touro que se achava na sua mão, naquela noite, e fizeram o abate ali. 35 E Saul passou a construir um altar a Jeová. Com isso principiou a construir um altar a Jeová.

Note que eles apenas tiveram que fazer uma oferenda a Jeová e ficou tudo bem.
Posteriormente, numa reunião em Jerusalém, os apóstolos e os anciãos decretaram que devemos ‘nos abster de sangue’. Fazer isso é tão vital quanto se abster de imoralidade sexual e de idolatria. — Atos 15:28, 29.
Se “pequenas frações” de sangue podem ser aceitas, será que “pequenas frações” de imoralidade sexual e idolatria também poderiam?
Qual teria sido o significado de ‘abster-se’ naquela época? Os cristãos não consumiam sangue, quer fresco quer coagulado; nem comiam carne de um animal que não tivesse sido sangrado. Alimentos que contivessem sangue, como o chouriço, também eram vetados. Ingerir sangue de qualquer desses modos seria violação da lei de Deus. — 1 Samuel 14:32, 33.
Exatamente. Ainda não existe como relacionar isso com uma transfusão.
A maioria das pessoas nos tempos antigos não ficava perturbada por causa do consumo de sangue, como podemos ver nos escritos de Tertuliano (segundo e terceiro séculos EC). Respondendo às acusações falsas de que os cristãos consumiam sangue, Tertuliano mencionou tribos que selavam acordos degustando sangue. Ele também observou que “quando há um espetáculo na arena, [alguns] com sede cobiçosa pegam sangue fresco dos culpados . . . para curar sua epilepsia”.

Aquelas práticas, (mesmo que alguns romanos as adotassem por questão de saúde) eram erradas para os cristãos: “Não incluímos nem mesmo sangue de animal em nossa alimentação natural”, escreveu Tertuliano. Os romanos usavam alimentos contendo sangue para testar a integridade dos verdadeiros cristãos. Tertuliano acrescentou: “Agora, eu vos pergunto, como é que apesar de terdes confiança [de que os cristãos] rejeitarão com repugnância o sangue de animais, vós supondes que eles sejam ávidos por sangue humano?”

Atualmente, poucas pessoas imaginariam que as leis do Deus Todo-Poderoso estariam envolvidas caso um médico lhes sugerisse tomar sangue.
De fato, pouquíssimas pessoas poderiam "imaginar" isso a não ser os 13 senhores de Brooklyn. Na verdade é preciso uma grande ginástica mental, sim, muita "imaginação" para ligar a proibição de comer (digerir) sangue com a de não poder aceitar “componentes primários” de sangue. O sangue transfundido não é digerido, não é "tomado" como quem bebe um café. É um transplante.
Apesar de certamente desejar continuar vivendo, as Testemunhas de Jeová estão comprometidas a obedecer à lei de Jeová a respeito do sangue. O que isso significa à luz da prática médica atual?

Ao passo que as transfusões de sangue total se tornaram comuns após a Segunda Guerra Mundial, as Testemunhas de Jeová entenderam que isso era contrário à lei de Deus — e ainda pensam assim.
Na verdade quem unicamente tem o direito de “entender” ou deixar de entender é o Corpo Governante. Os membros testemunhas de Jeová apenas aceitam o que eles “entendem” ser o certo.
Contudo, a medicina tem mudado com o passar do tempo.
E, ao que parece, o entendimento da Torre nesta questão do sangue tem mudado junto com a medicina e se tornou tão complexo que é preciso substituir a Bíblia por um livro de biologia para poder entender as explicações.
Atualmente, a maioria das transfusões não são de sangue total, mas de um de seus componentes primários: (1) glóbulos vermelhos; (2) glóbulos brancos; (3) plaquetas; (4) plasma, a parte líquida.Dependendo do quadro clínico do paciente, os médicos talvez prescrevam glóbulos vermelhos, glóbulos brancos, plaquetas ou plasma. A transfusão desses componentes primários permite que uma unidade de sangue seja dividida entre mais pacientes. As Testemunhas de Jeová defendem a opinião de que aceitar o sangue total ou qualquer desses quatro componentes primários viola a lei de Deus.
Com qual base bíblica "defendem" isso? A maioria das testemunhas nem mesmo sabem desta nova política da Torre, basta perguntar a qualquer uma delas que não seja da dianteira. Faça o teste perguntando a uma TJ comum: quais partes do sangue você podem aceitar, quais não e qual o critério que usam para decidir isso? Qual texto da bíblia serve de base para se recusar (1) glóbulos vermelhos; (2) glóbulos brancos; (3) plaquetas; (4) plasma, e aceitar os demais?
É significativo que aderir a essa posição baseada na Bíblia as tem protegido de muitos riscos, incluindo doenças como hepatite e Aids, que podem ser contraídas pelo sangue.

Contudo, visto que o sangue pode ser processado além dos componentes primários, surgem questões sobre frações derivadas desses componentes. Como são tais frações usadas, e o que o cristão deve considerar ao decidir sobre elas?

O sangue é complexo.
Exatamente. Por isso é impossível definir qual parte dele é “primária” e qual secundária. Na verdade, a parte que o paciente estiver necessitando no momento será a parte “primária” para ele.
Mesmo o plasma — composto de 90% de água — transporta dezenas de hormônios, sais inorgânicos, enzimas, e nutrientes, incluindo minerais e açúcar. O plasma também transporta proteínas como albumina, fatores de coagulação e anticorpos para combater doenças. Os técnicos isolam e usam muitas proteínas do plasma. Por exemplo, o fator VIII de coagulação tem sido administrado a hemofílicos, que sangram facilmente. Ou caso alguém fique exposto a certas doenças, os médicos podem prescrever injeções de gamaglobulina, extraída do plasma sanguíneo de pessoas que já tenham imunidade. Outras proteínas do plasma são usadas de maneira medicinal, mas as mencionadas acima ilustram como um componente primário do sangue (plasma) pode ser processado para obter frações.
O plasma, que é classificado como um "componente primário" e está na lista dos proibidos, chega a ser constituído por 93% de água simples. Quais são as componentes dos aproximadamente 7% restantes? As principais são albumina, globulina (da qual as imunoglobulinas são as partes mais importantes), fibrinogênio e fatores de coagulação (usados nas soluções hemofílicas). E estas são precisamente as componentes que a organização põe na lista das que são permitidas aos seus membros! O plasma é proibido apesar de as suas componentes principais serem permitidas - desde que sejam introduzidas no corpo separadamente. Por que o plasma é proibido?
Assim como se pode extrair várias frações do plasma sanguíneo, os outros componentes primários (glóbulos vermelhos, glóbulos brancos, plaquetas) podem ser processados para se isolar deles partes menores. Por exemplo, glóbulos brancos podem fornecer interferons e interleucinas, usados para o tratamento de algumas infecções virais e alguns tipos de câncer. As plaquetas podem ser processadas para se extrair delas um fator de cicatrização. E há outros medicamentos em estudo que envolvem (pelo menos inicialmente) derivados de componentes sanguíneos. Essas terapias não constituem transfusões de componentes primários; geralmente envolvem partes ou frações deles. Devem os cristãos aceitar tais frações para tratamento médico? Não podemos dizer. A Bíblia não fornece detalhes, por isso, o cristão deve tomar sua própria decisão, baseada em sua consciência, perante Deus.
Na verdade a Bíblia não fornece detalhes sobre nenhum assunto relativo a frações de sangue. Por que então não permitir que as testemunhas tomem suas próprias decisões baseadas em suas consciências sobre todo esse assunto? Por que ir "além do que está escrito"?
Alguns recusam qualquer produto derivado de sangue (mesmo frações destinadas a fornecer imunidade passiva temporária). É assim que entendem a ordem de Deus de ‘abster-se de sangue’. Eles raciocinam que a lei de Deus à nação de Israel exigia que o sangue removido de uma criatura fosse ‘derramado na terra’. (Deuteronômio 12:22-24)
Aqui se dá a falsa impressão que dentro da organização existe liberdade para que as pessoas "entendam" ou "raciocinem" de forma diferente uma das outras. Por que em alguns casos as testemunhas podem fazer o que “entendem” ser correto e em outros não? E se outras "entenderem" que a aceitação de uma transfusão de plasma não fere a ordem de Deus de se "abster de sangue"? Fica claro que quem decide é a Torre de Vigia.
Por que isso é relevante? Bem, a preparação de gamaglobulina, fatores de coagulação baseados no sangue, e assim por diante, exige que o sangue seja coletado e processado. Por isso, alguns cristãos rejeitam tais produtos, assim como rejeitam transfusões de sangue total ou de seus quatro componentes primários. Sua posição sincera, baseada em sua consciência, deve ser respeitada.
Por que as testemunhas são proibidas de armazenar o próprio sangue para usar depois, mas podem utilizar de preparos feitos de sangue que foram armazenados? Por que não doam sangue mas não se importam de beneficiar do sangue que outros doaram?
Outros cristãos tomam uma decisão diferente. Também recusam transfusões de sangue total, glóbulos vermelhos, glóbulos brancos, plaquetas ou plasma. Contudo, talvez permitam que um médico lhes administre um tratamento que contenha uma fração derivada dos componentes primários. Mesmo aqui pode haver diferenças. Um cristão talvez aceite uma injeção de gamaglobulina, mas pode ou não aceitar uma injeção contendo algo extraído de glóbulos brancos ou vermelhos. Mas, de maneira geral, o que talvez leve alguns cristãos a concluir que poderiam aceitar frações de sangue?

A seção “Perguntas dos Leitores”, publicada em A Sentinela de 1.° de junho de 1990, observou que as proteínas do plasma (frações) passam do sangue da gestante para o sistema sanguíneo, separado, do feto. Portanto, a mãe passa imunoglobulinas para o filho, fornecendo-lhe imunidade valiosa. Separadamente, à medida que os glóbulos vermelhos do feto completam seu período normal de vida, o componente que transporta oxigênio é processado. Parte dele se transforma em bilirrubina, que passa para a mãe, atravessando a placenta, e é eliminada junto com os dejetos do corpo dela. Alguns cristãos podem concluir que visto que frações de sangue podem passar para outra pessoa neste ambiente natural, eles poderiam aceitar uma fração de sangue derivada de plasma ou de glóbulos sanguíneos.
Seguindo essa mesma analogia, não há motivo de recusar nenhuma parte do sangue pois na verdade TODAS as partes do sangue atravessam a placenta, sem contar que durante a amamentação ingerimos milhões de glóbulos brancos (leucócitos), ainda assim a Torre “entende” que as testemunhas não podem aceitar transfusões de glóbulos brancos.
Será que o fato de haver diferentes opiniões e decisões, baseadas na consciência, indica que a questão é de pouca importância? Não. O assunto é sério.
Exatamente. Essa questão é muito séria pois muitos estão morrendo por seguir essa série de regras inventadas e impostas pelo corpo governante às testemunhas em todo o mundo.
Contudo, há uma simplicidade básica. A matéria acima mostra que as Testemunhas de Jeová recusam transfusões tanto do sangue total quanto dos componentes primários do sangue.
A única base que as testemunhas possuem para recusar “componentes primários” é a “matéria acima”. Nada mais que isso.
A Bíblia ordena aos cristãos que se ‘abstenham de coisas sacrificadas a ídolos, de sangue e de fornicação’. (Atos 15:29) Fora isso, quando a questão envolve frações de quaisquer componentes primários, cada cristão deve conscienciosamente decidir o que fazer, após cuidadosa meditação com oração.
Por que o cristão não pode "conscienciosamente" decidir qual parte do sangue ele quer aceitar ou recusar?
Muitas pessoas estariam dispostas a aceitar qualquer terapia que pareça oferecer benefícios imediatos, mesmo uma que reconhecidamente apresenta riscos para a saúde, como é o caso dos derivados do sangue. O cristão sincero se esforça para ter um conceito mais amplo e equilibrado, que envolve mais do que apenas os aspectos físicos. As Testemunhas de Jeová apreciam os esforços feitos para prover tratamentos médicos de qualidade, e avaliam o risco/benefício de qualquer tratamento. Contudo, quando se trata de produtos derivados do sangue, elas avaliam cuidadosamente o que Deus diz, e sua relação pessoal com o Dador da Vida. — Salmo 36:9.
Existe algum texto bíblico onde Deus fala sobre “produtos derivados do sangue” ?
Muitas pessoas estariam dispostas a aceitar qualquer terapia que pareça oferecer benefícios imediatos, mesmo uma que reconhecidamente apresenta riscos para a saúde, como é o caso dos derivados do sangue. O cristão sincero se esforça para ter um conceito mais amplo e equilibrado, que envolve mais do que apenas os aspectos físicos. As Testemunhas de Jeová apreciam os esforços feitos para prover tratamentos médicos de qualidade, e avaliam o risco/benefício de qualquer tratamento. Contudo, quando se trata de produtos derivados do sangue, elas avaliam cuidadosamente o que Deus diz, e sua relação pessoal com o Dador da Vida. — Salmo 36:9.
Existe algum texto bíblico onde Deus fala sobre “produtos derivados do sangue” ?
É uma bênção para o cristão ter a mesma confiança do salmista, que escreveu: “Jeová Deus é sol e escudo; favor e glória é o que ele dá. O próprio Jeová não reterá nada de bom dos que andam sem defeito. Ó Jeová . . ., feliz o homem que confia em ti.” — Salmo 84: 11, 12.
Imagine que o médico lhe proíba de comer pão com presunto, queijo e mortadela mas diga que se você comer o pão, o presunto, o queijo e a mortadela separadamente não há problema, será que você entenderia? Isso acontece no caso do plasma.
LIBERTOS!
Participe! Envie seu artigo para indicetj@yahoo.com
O INDICETJ.COM não comercializa publicações, filmes ou qualquer outro tipo de arquivo.

Voltar para o conteúdo