Testemunhas de Jeova - Uma religiao de sucesso - INDICETJ.COM Escandalo sobre Testemunhas de Jeova

Ex-Testemunha de Jeová
publica mais de 1.000 artigos críticos!
Ir para o conteúdo
1
2
3
4
5
6

Testemunhas de Jeová - Seria uma religião de Sucesso?
A cúpula das Testemunhas de Jeová, em Brooklyn e nas filiais em volta do mundo, têm perdido o sono ultimamente. Já se perguntou alguma vez por que muitos se sentem atraídos à esta religião? Se você é uma Testemunha de Jeová, já se perguntou, após deparar-se com uma inconsistência doutrinária, como é que ninguém teria notado isto antes? Ou se notaram, por que, mesmo pessoas inteligentes, continuam na religião apesar disso? Poderiam todos os que acreditam estarem errados? Se você já se fez alguma dessas perguntas então este artigo é pra você.

As Testemunhas são compostas de pessoas de vários níveis sociais, econômicos e educacionais; essa diversificação de origens é por sinal muito elogiável. Dentre elas há pessoas muito limitadas mas também há pessoas muito hábeis. É preciso lembrar, porém, que muitas dessas pessoas mais sofisticadas, inteligentes, se tornaram tais depois de terem se tornado Testemunhas, seja porque já nasceram num lar de Testemunhas ou porque abraçaram essa fé cedo na adolescência, o que é muito comum. No entanto, as perguntas acima são no mínimo intrigantes e merecem uma consideração. Para uma religião reter adeptos ela precisa primeiro, obviamente, fazer adeptos. Como conseguem isso? Vejamos.

Pessoas Se Sentem Atraídas – Por quê?
Existem vários fatores que atraem as pessoas às Testemunhas e este artigo de forma alguma pretende ser exaustivo o bastante para ser considerado a última palavra no assunto, pois isto talvez requeresse um inteiro livro por si só. Considere a seguir três desses fatores.

Ausência do Forte Comercialismo
Num mundo onde as religiões, bem ou mal intencionadas, exigem dos seus membros contribuições, dízimos, ofertas etc, é muito comum uma pessoa que se aproxima das Testemunhas de Jeová achar seu método de contribuições voluntárias bastante correto. É muito comum a Testemunha se orgulhar disso e o apontar como sendo um sinal identificador da religião verdadeira. É preciso lembrar, contudo, que alguém precisa pagar a conta, ou seja, quando as contribuições voluntárias não são suficientes, um pedido direto de contribuições é feito – nas assembleias de circuito e distrito isto têm se tornado comum; se o morador – de casa em casa - não mais paga pela publicação, alguém têm de pagar e esse alguém é, naturalmente, os membros da congregação. Às vezes nos esquecemos que para que algo continue sendo voluntário é preciso que o objetivo seja atingido; quando ele não o é, o que era voluntário vira compulsório.

Socialização
Já reparou como a faixa etária das Testemunhas de Jeová nos países em desenvolvimento é baixa? Há uma quantidade de jovens muito grande nas congregações. As reuniões e diversas assembleias durante o ano provêem uma excelente forma de socialização para as Testemunhas, especialmente os jovens. O que teria uma pessoa - jovem ou não - a perder se ele(a) percebe que têm a chance de obter um belo(a) namorado(a) dentro da congregação? O que teria a pessoa a perder se ela está se vestindo e até se expressando melhor no meio social no qual ela acabou de se inserir? Nada.

Qualidade Gráfica e Editorial
Já observou como é difícil achar um erro gramatical nas publicações das Testemunhas? Já notou como é de boa qualidade o material usado na produção dessas publicações? Se você é uma Testemunha, claro que já percebeu quão boa é a qualidade gráfica das ilustrações e fotografias usadas nas publicações. Por outro lado, já reparou como é fácil nós comprarmos um produto, qualquer que seja ele, pela melhor embalagem que ele têm? Por exemplo, que impressão você teria de um manual de computador que contivesse uma série de erros de grafia ou gramaticais? É provável que duvidasse da qualidade do computador em si, não é mesmo? A qualidade da literatura das Testemunhas contribui para a impressão de que a religião deve ser mesmo de Deus.

A Necessidade de Crer em Algo
A grande maioria das pessoas sente a necessidade de crer em algo mesmo que não seja necessariamente Deus ou a Bíblia. Já reparou como não são muitas as pessoas que quando indagadas 'qual é a sua religião?' dizem 'eu sou ateu'? Mesmo aqueles que dizem 'eu sou ateu' completam isso com frases do tipo 'eu acredito em levar uma vida honesta' ou 'eu acredito em fazer o bem ao próximo'. As pessoas, independente do nível intelectual, querem crer em algo. Alguns adotam uma crença totalmente desprovida de restrições, outros reconhecem a existência da autoridade Divina, ainda outros criam ou adotam complexos sistemas doutrinários. As Testemunhas de Jeová se encaixam nesta última categoria. Além de um sistema doutrinário, porém, as Testemunhas de Jeová ensinam coisas boas – de senso comum, na verdade – tais como o respeito aos pais e outras autoridades, honestidade, limpeza moral etc. Quando uma pessoa toma contato com uma religião assim é muito comum ela pensar 'que religião diferente, têm de ser a verdadeira'. Pouco se dá conta de que exatamente o aspecto que a atraiu pode ser exatamente o que vai se reverter implacavelmente contra ela lá na frente. Muito comum acontecer também é o que ocorre quando alguém está prestes a fechar um contrato, ou seja, normalmente as letras miúdas não são vistas ou lidas. As Testemunhas de Jeová, por motivos óbvios, não informa o prospecto converso completamente das obrigações que o aguardam se se tornar uma Testemunha batizada. Elas também não têm o menor interesse em avisar o que acontecerá se após o batismo a pessoa desejar voluntária e formalmente se desligar. Enfim, o fato é que para satisfazer sua necessidade de crer em algo, o estudante está ansioso para abraçar a nova fé e a Testemunha, até de modo sincero, ansiosa para fazer um novo converso.

Questionar Não é Encorajado
Muitas Testemunhas passam anos achando que têm todas as respostas para todas as perguntas. Quando uma questão surge, o ancião congregacional vai no máximo – apesar de as Testemunhas pensarem o contrário – apontar para o que a Sociedade ensina, independente de isto fazer ou não sentido. O problema na maioria das vezes, porém, não é dúvida quanto ao que a Sociedade ensina mas quanto a se o que ela ensina faz ou não sentido. Neste momento a pessoa, se não tinha percebido ainda, percebe que questionar não é encorajado nem aconselhável, afinal quem teria a coragem de questionar a Deus? Questionar a Deus? Sim, a Organização, provisionalmente, criou algumas doutrinas que fazem com que a pessoa fique muito desconfortável em questionar. Dúvida é visto como falta de fé. Por exemplo, Jesus numa ilustração, se referiu ao "escravo fiel e discreto" e disse que ele estaria fornecendo alimento espiritual aos "domésticos", mas sabe quem é esse "escravo"? Isso mesmo, a liderança que está lá em Brooklyn. Essa, aliás, é uma doutrina bastante interessante porque, segundo a Sociedade, este "escravo" é todo o restante ungido, espalhado por toda a terra, ao passo que lá em Brooklyn encontra-se apenas um porta-voz desse "escravo", o corpo governante, um grupo de elite de talvez uns 13 membros. Ou seja, é o porta-voz que está fornecendo esse alimento, ao passo que a enorme maioria desse "escravo" simplesmente o consome. Mas a Testemunha não pode questionar. Precisa aceitar o pacote inteiro. Questionar isso é ir contra o próprio Deus. Se os membros do "escravo" não forem todos repostos por novos membros e o Armagedon não vier logo, deixará o alimento de ser servido? Não pergunte. Outra aspecto provisional também é a expressão "organização de Deus". A Torre de Vigia se auto-nomeou o único "canal de comunicação de Deus na Terra". Qual Testemunha se atreveria a contestar isso? A palavra "organização" têm mais de um sentido para as Testemunhas, mas elas aprendem com o tempo a reconhecer exatamente do que está se falando quando esta aparece nas publicações, que na maioria dos casos, refere-se ao comando central lá em Brooklyn. Mesmo quando a Testemunha de fato questiona, ela muitas vezes racionaliza do modo como consideramos a seguir.

Alguém Com Certeza Sabe Explicar
É muito comum, ao deparar-se com uma inconsistência, a Testemunha racionalizar dizendo que o conhecimento dela não é suficiente, que ela não é tão experiente, mas que os anciãos sabem a resposta; se eles não souberem, alguém lá em Cesário Lange sabe; se lá ninguém sabe, em Brooklyn com certeza têm alguém que saiba. Pior que isso, muitas vezes ela vai reprimir o questionamento dela com o raciocínio de que isto não é importante para o aspecto geral de sua fé, esquecendo-se de que todo um conjunto de outras doutrinas baseia-se justamente naquela que ela acabou de descartar como sem importância, esquecendo-se também de que foram as próprias Testemunhas que tiveram o capricho de criar todo um pacote de doutrinas peculiares – 1914, feriados, aniversários, estaca de tortura versus cruz etc – e fazem disso um artigo de fé. Mas imagine que ela questionou, pensou, refletiu, não achou resposta satisfatória, e agora? Deixará ela a religião? Isto pode não ser tão simples assim. Veja porquê.

Entrar é Fácil, Sair Nem Tanto
Imagine que você é membro de uma família de Testemunhas. Imagine que seus pais e talvez avós são do tipo que enchem o pulmão quando dizem que a família TODA está unida na fé. Agora imagine que um membro dessa orgulhosa família "unida na fé" chegou ao ponto em que ele têm certeza de que há sérios erros e/ou falsidades na religião que ele tanto amou, você acha que é fácil pra ele manifestar isso e enfrentar toda a família e a resultante vilificação dele? Vilificação? Sim. Só há três maneiras de a pessoa deixar de ser uma Testemunha de Jeová: ela se afasta quietamente, é expulsa da organização ou voluntariamente pede o desligamento. A primeira opção normalmente não é possível porque, como seres humanos, nós conversamos sobre os questionamentos que temos, o que é visto como "apostasia", e isto é razão suficiente para expulsão. E a terceira opção carrega os mesmos efeitos da segunda, a saber, total corte de relações por parte dos ex-amigos e da família. É por isso que não é de surpreender que muitas pessoas, mesmo as bem informadas, se mantenham exatamente onde estão.

O Tempo Também é Um Fator de Retenção
Muitas vezes o individuo que descobriu a real natureza da religião já é Testemunha por muitos – 15, 20, 25 – anos. Em muitos casos esta pessoa simplesmente racionaliza que seria um descabimento agora, depois de tanto tempo, abandonar o que ele defendeu tão arduamente, e no final das contas Jeová consertará as coisas que estiverem erradas. Afinal, o que pensaria dele os amigos? Ironicamente, ele faz exatamente o que a Torre de Vigia diz que as pessoas não deveriam fazer, a saber, se manter numa religião por simples tradição ou por influência dos pais, família e amigos.

Os Tempos Mudaram
Não podemos deixar de encarar um fenômeno que está mudando as regras desse jogo: a Internet. O acesso à informação associado à maior comunicação entre as pessoas faz com que a pessoa descubra que aquilo que ela achava que fosse um problema só dela é também um problema para outros. A quebra do isolamento entre as pessoas têm sido um fator decisivo no abandono da religião por parte de muitos. A sensação de que o caso dela é uma exceção agora é muito menor. O que ocorre na França, na Rússia, na Bulgária ou nos Estados Unidos é facilmente conhecido, mesmo para pessoas que vivam do outro lado do globo. A Rede Mundial é uma verdadeira pedra no calcanhar da Torre.

Enfim, quando paramos pra pensar objetivamente, não encontramos muitas dificuldades para entender porque, mesmo pessoas requintadas e capazes, se tornam cativas de um sistema doutrinário tal como o das Testemunhas de Jeová.

Todavia, a Internet continuará a tirar o sono do Corpo Governante porque…. humn... bem, vamos ficar por aqui, isso é assunto para uma outra conversa.
LIBERTOS!
Participe! Envie seu artigo para indicetj@yahoo.com
O INDICETJ.COM não comercializa publicações, filmes ou qualquer outro tipo de arquivo.

Voltar para o conteúdo